Pages

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Prendas de Natal


Há décadas que o verdadeiro significado do Natal tem vindo a perder terreno para o consumismo. Esta quadra natalícia é uma verdadeira máquina de gerar dinheiro e por incrível que seja, ninguém se parece importar com isso.

As repercussões da fatídica crise de 2007-2009 foram várias e ainda se sentem, pelo menos por aqui. De um momento para o outro a árvore luminosa perdeu a companhia que até então dávamos como garantida, as prendas. Por muito que seja sempre agradável receber um presente, foi uma chamada à realidade. Há coisas mais importantes na vida.

Felizmente fui bem educado e nunca exigi o que quer que fosse dos meus pais, mas não significa que estivesse 100% consciente da situação financeira familiar. Se pensarmos que existem milhares de sem-abrigos, só em Portugal, e que nem um tecto ou comida garantida têm, seria uma verdadeira afronta ficar chateado por não receber um presente no dia 25 de Dezembro.

Dito isto, há algum tempo que me sentia mal por receber prendas de alguns familiares e não lhes dar nada em troca. Claro que ninguém leva a mal, mas não deixa de ser embaraçoso. Quer dizer, por quanto mais tempo serve a desculpa de "Ah são miúdos"? Até aos 30? Don't think so. 

Por esse motivo, pela primeira vez, não é apenas a minha namorada que vai receber um agrado. Continuo sem ter o ordenado que gostaria para lhes poder dar algo mais consistente e compensar os anos que me mimaram sem retorno,  mas sempre ouvi dizer que o que conta é a intenção. Não sei, mas apesar de trivial, é uma sensação estranhamente gratificante imaginar a cara deles enquanto desembrulham tudo. Oh my, estou a ficar oficialmente velho? I can't even.


Oferecem prendas de Natal à família?
Começaram com que idade?

6 comentários:

  1. Acho que ofereço presentes aos meus pais e ao meu irmão desde que comecei a juntar os meus primeiro trocos - não tinha mesada por isso quase tudo o que conseguia amealhar a partir de Setembro, prenda de anos incluída, ia para presentes de aniversário e Natal :) inicialmente pequenos mimos quase simbólicos, e hoje tento pensar ao pormenor em casa presente que ofereço...é das minhas partes preferidas do Natal: escolher tudo ao detalhe e ver a cara dos meus quando abrem os presentes - e nada tem a ver com o preço, muitas vezes faço eu as prendas! :) Não acho que seja uma questão de consumismo (embora este também esteja à mistura, claro), acho que vai para além disso, acho um mimo muito bom perceber que alguém pensou em nós e escolheu algo a dedo. E como gosto disso, gosto de dar esse prazer aos meus.

    Nisto das prendas o que me faz confusão hoje em dia, muito honestamente, é ver pais e família a gastar rios de dinheiros em mil prendas para os miúdos, a fazerem questão de dar 10 prendas e não só uma, e a gabarem-se do que ofereceram aos filhos e dos 400€ que gastaram num casaco para a mulher lol isso sim, faz-me confusão xD

    Jiji

    ResponderEliminar
  2. No Natal o que conta mesmo é a intenção com se que dá um presente. Às vezes prefiro mil vezes uma boa conversa com um familiar que vejo poucas vezes do que receber determinadas prendas!

    http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Entristece-me mesmo isso. A maior parte das pessoas, no natal, deixa invadir-se por todo este consumismo, e esquece-se daquilo que é realmente importante. Também fui educada para perceber que o natal é muito mais do que os presentes que recebemos. Na verdade, e estou a ser 100% sincera, as prendas nem são aquilo que mais me atrai ( embora goste muito, obviamente!). Aquilo que mais me atrai são as férias, o tempo passado com a família, as conversas à lareira com a minha avó, as tardes passadas a ver filmes natalícios, a véspera de natal a fazer bolos,... Todos estes pequenos momentos que me enchem o coração e que valem mais do que mil prendas.
    Comecei a dar prendas aos 16 anos, com a minha mesada. Mas, infelizmente, não é o suficiente para dar prendas a toda a gente ( só dou aos meus pais e aos meus primos, a maior parte das vezes), nem para dar prendas tão boas quanto gostaria. Quando tiver um salário, pretendo dar prendas melhores, mas também não quero prometer nada, porque o cenário não está nada favorável para os jovens. Mas, como tu dizes e muito bem, o que conta é a intenção :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  4. Ahahah, acho que não estás a ficar a velho acho é que o verdadeiro espírito de Natal é mesmo esse.:)

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. É, a vida adulta tem destas coisas (;

    ResponderEliminar
  6. Não tenho o hábito de oferecer bens comprados, afinal, não trabalho, no entanto, sempre que posso, faço eu as prendas e ofereço aos amigos e familiares. Para além de não gastar um cêntimo que seja, deposito todo o meu amor naquilo que faço e acaba por ser mais valorizado!

    novo blogue: IMPERIUM

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...