Pages

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Viver em casa dos pais aos 25


Se há uns anos atrás me dissessem que ia chegar aos 25 e continuar em casa dos meus pais, provavelmente ia pensar que me tinha tornado num valente falhado. Pois, aqui estamos nós. E agora?

Embora a minha situação familiar seja minimamente normal, sendo que nunca falta a gritaria fofinha que muitos de vocês também devem conhecer, a verdade é que já me sinto a mais. É uma sensação extremamente estranha quando de repente já não nos sentimos 100% confortáveis no sitio a que chamamos casa. Considero-me um sortudo na medida em que os meus pais não exigem que contribua nas despesas mas ao mesmo tempo cresce um  sentimento de culpa que é fortificado quando se lembram de mandar uma ou outra boca ao ar. É certo que pago tudo o que seja passes, roupas e comida específica só para mim, mas é diferente.

Com o avançar da idade também cresce a nossa falta de paciência. Ser um adulto trabalhador e ter que estar a ouvir raspanetes da mãe porque não arrumou bem a louça na máquina ou pendurou a roupa no armário é algo que me tira especialmente do sério. Como ela diz e bem, "independente da tua idade, serei sempre tua mãe." Certo, mas isso não implica que esteja sempre receptivo a aturá-la, especialmente depois de um longo dia cheio de preocupações laborais. Mas é caricato ver que a postura dela com o meu avô é exactamente a mesma que ela se queixa que eu às vezes tenho com ela.

De facto, não há nada como chegar a casa e ter o jantar à minha espera ou saber que a minha roupa é sempre lavada sem que eu tenha que mexer um dedo (além da árdua tarefa de a meter dentro na máquina), portanto sei que vou sofrer quando finalmente sair do ninho. Mas é um processo completamente normal e que a maioria das pessoas passa. Custa no inicio mas supera-se. Agora, há que ter oportunidade de viver isso.

Por muito que goste das regalias todas que viver em casa dos pais me dão, confesso que o principal motivo pelo qual ainda não saí se deve à minha actual situação salarial. É a triste realidade dos millennials. Com o ordenado miserável que recebo seria impensável conseguir sustentar-me sozinho. Pensando que logo metade seria para a renda, e o bolo restante entre água,  luz, net, etc, sobravam-me migalhas para comer. Factores positivos: ficava elegante; factores negativos: estava condicionado a uma vida restrita e sem poder de cometer qualquer tipo de exploração fora do pequeno budget existente. Sim, podia juntar-me com a minha namorada mas nem assim íamos estar suficientemente estáveis, pelos menos como gostaríamos.

Enfim,  não sei quando se dará a mudança que considero como a última etapa para estar de vez na vida adulta (por tudo o que isso acarreta),  mas até lá resta-me rezar pelo euro milhões, um aumento chorudo ou um sugar daddy.


Ainda vivem com os vossos pais?
Se sim, sentem necessidade de sair? Se não, custou a mudança?

11 comentários:

  1. Eu ainda vivo com os meus pais e tenciono fazê-lo nos próximos anos devido à instabilidade que referes. Ainda estudo, mas não me metia a viver sozinha ou com o namorado mal arranjasse emprego (isto se trabalhar na minha zona de residência, caso contrário não tenho outra alternativa).
    Mas começo a sentir-me um bocado como tu. Não pela parte de ter que fazer as coisas como a minha mãe - porque faço e nesse aspeto sou exatamente como ela -, mas sim por notar que lhes devia dar espaço e alguma folga em termos de despesas. Claro que o meu caso é diferente porque ainda estudo, mas sinto-me de certa forma culpada por ainda ser uma responsabilidade deles.

    ResponderEliminar
  2. Felizmente, consegui ter a estabilidade necessária para sair do ninho (aos 26 acabados de fazer, vá ahah). E na altura de dar o passo tremi por perder todas as comodidades de que falas (e felizmente as bocas eram raras, portanto não tinha grande pressão). Mas com a média de salários miseráveis que temos, reconheço que não é fácil...e caramba, ver a conta a diminuir ao ritmo que está é algo a que não estou nada habituada lol de qualquer forma, hoje em dia não me parece que ficar com os pais até mais tarde seja sinónimo de sermos uns falhados. Estudamos até muito mais tarde, temos prioridades diferentes, o paradigma social é outro...olha, é ir respirando fundo quando a paciência falta, que eventualmente a coisa estabiliza e arranjas o teu espaço! :)

    Jiji

    ResponderEliminar
  3. Eu vivi em casa da minha mãe até aos 27. Só casei em Junho.
    Agora, as coisas estão um bocadinho diferentes de antigamente.
    O que importa é o nosso bem-estar. E quando tivermos a certeza e a segurança, saímos.

    Beijinhos, A Vida De Diana.

    ResponderEliminar
  4. Eu saí de casa dos meus pais fez agora 2 anos, aos 24 anos. Fizemos bem as contas antes e, felizmente, tínhamos um dinheiro de parte para darmos como entrada da casa. Os primeiros meses foram complicados, não posso mentir, mas agora corre tudo nos eixos. Irá surgir a vossa oportunidade! ;)

    ResponderEliminar
  5. Vivi em casa da minha mãe até ao ano passado (aos 22 anos), sai de lá de casa e fui viver para casa da minha sogra. Como se costuma dizer "no início é tudo muito bonito" e, agora, passado um ano, vamos sair os dois daqui de casa para irmos viver os dois sozinhos. Não é nada fácil porque apenas temos um ordenado inteiro em casa porque eu ainda estou a estudar. Contudo, no meio de certas dificuldades, a motivação é mais que muita e é uma fase (mesmo que difícil) muito gira e agradável. Na minha opinião é uma questão de prioridades ;)

    ResponderEliminar
  6. Tenho 20 anos e ainda vivo na casa dos meus pais mas isso é porque ainda estou na faculdade e, portanto, não tenho condições de morar sozinha. Para mim, o ideal seria sair de casa logo após terminar o curso, mas dado o cenário atual do mercado de trabalho, tal é um bocado irrealista. Contudo, espero sair de casa nos próximos anos, por muito que goste de viver com os meus pais e reconheça as regalias inerentes a morar em casa deles, preciso da minha liberdade e independência.
    Achei o teu post uma reflexão bastante interessante, porque este fenómeno de sair tarde de casa dos pais só está a acontecer agora, isto antigamente não acontecia.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  7. Infelizmente é uma realidade bem mais comum do que deveria ser. E assusta-me ter que dar este passo dependente de outro alguém, ainda que seja alguém que ame muito.

    Chegar aos 27 anos também não ajuda, e vivo em casa dos meus pais, sem os meus pais cá estarem. Não é melhor por isso.
    É o mesmo que morar com os pais, sem as regalias da sua presença, como as que referiste!


    ❥ Biju da Ju,
    juvibes.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  8. bem percebo a tua situaçao, e parece me que tem vindo a piorar!
    eu aos 17 anos sai de casa e fui para o porto viver mesmo 'a maluca'sem familia nenhuma ou amigos la, numa altura vivi junta e depois sozinha, e a verdade é que ainda me aguentei lá 10 anos, mas depois por varios factores e sendo um deles que o dinheiro estava a apertar e as saudades tb, decidi voltar para a hometown onde infelizmente por uns meses tive que viver com a minha mae novamente e foi horrivel, fui me muito abaixo porque sentia que tinha regredido completamente! e as condiçoes ca em baixo de lisboa/margem sul sao do pior, quase que tens que vender um rim to afford renting a place. ugh. no norte as condiçoes sao muito mais favoraveis.

    https://rrriotdontdiet.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Estar em casa dos pais com essa idade não tem de ser uma falha. Hoje em dia, é normal.
    Mas sair... é libertador! :)
    (eu saí por volta dos 25 também, e fui viver junta)

    Claudia
    www.mulherxl.pt

    ResponderEliminar
  10. Ainda vivo com os meus pais, mas também só tenho 19 anos e estou a estudar! Quero poder começar a trabalhar pela minha independência financeira, para facilitar os meus pais e ir tendo uma certa noção das despesas, contudo, também reconheço que tão cedo não sairei daqui, pelo menos até descobrir o que realmente quero da vida!!
    Deve ser uma experiência diferente e única, mas lá está, há que ter o dinheiro para tal!

    novo blogue: IMPERIUM

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...