Pages

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Situações peculiares que já vivi


1. Perguntaram-se se era o Ghostly Walker

Há coisa de uns dois meses estava a sair do comboio quando uma rapariga vem ter comigo e profere as palavras que nunca pensei vir a ouvir "Desculpa, és o Ghostly Walker não és?". Caiu-me tudo. Não vos consigo descrever o que passou pela minha cabeça porque foi um misto de choque, vergonha e tudo mais. Felizmente era a Sara do Riot Don't Diet, que além de conhecer da blogosfera há alguns anos, também estava com tanta ou mais vergonha do que eu. Na correria de sair do comboio e andar à pressa para apanhar o autocarro, não tivemos a conversa mais longa de sempre e confesso que morri de medo dela achar que eu estava a ser seco/despachá-la (I wasn't!), mas ao menos foi um memória cómica que guardarei para sempre. Já posso dizer que me reconheceram haha!

2. Já apresentei queixa no estrangeiro

No ano passado quando fui a Madrid visitar a Marta, que estava a estagiar na Disney, roubaram a minha mala de viagem com TUDO. Além das minhas roupas favoritas e que nunca consegui substituir, foram vans, produtos de higiene, a prenda de anos dela e até comida. Enfim, sozinho num país estrangeiro, por muito perto que esteja do nosso, foi provavelmente um dos piores momentos da minha vida. Como não conseguia entrar em contacto directo com ela, basicamente tive que "desenmerdar-me", lançar-me naquela rede de metro extremamente confusa e ir até uma esquadra apresentar queixa. O inspector que me atendeu era a simpatia em pessoa, not, mas ao ver o meu estado, lá acalmou e esforçou-se para me entender. Escusado será dizer que aquilo não deu em nada, mas é uma experiência que me fez ver que se for preciso consigo desenrascar-me. Espero que nunca mais se repita.

3. Simulo chamadas telefónicas

Nem sei se devia falar destas coisas porque ainda alguém chama os senhores das batas brancas, mas vamos lá. Não sei precisar quando é que isto começou mas simulo chamadas telefónicas com alguma regularidade. Quando ainda estava na Universidade, quis surpreender a minha namorada com uma caixa de cupcakes da Mary Cupcakes. Ora, ao ver a bancada cor-de-rosa e super fluffy, bem no meio do centro comercial frequentado por imensos jovens, congelei. Numa tentativa desesperada e triste de me acalmar, dirigi-me ao balcão com a Marta ao telefone... só que não. "Sim, já aqui estou. Queres deste sabor não?" acho que percebem o resto. Sim, isto aconteceu! Hoje em dia ainda recorro a esta patética tentativa de me sentir melhor quando tenho que ir a locais onde não me sinto à vontade.  Chego a ter conversas inteiras comigo mesmo, onde até contraponho factos. Acho que preciso de ajuda.

4. Actuo para câmaras de vigilância

É impressão minha ou isto começou por ser tudo cómico e está a tornar-se numa espécie de intervenção à minha condição mental? Anyway! No meu local de trabalho existem câmaras de segurança por todo o lado. Com a desculpa de "proteger o material", visto que é um estúdio de dobragens, o certo é que os funcionários questionam seriamente a legalidade da situação. Como o meu patrão acha que somos todos burros e não percebemos que ele está constantemente a vigiar-nos para saber se estamos a trabalhar (ambiente super saudável), quando às vezes tenho momentos mortos, algo raro mas que deve ser aproveitado, digamos que actuo para as luzinhas vermelhas. Nada como levar as mãos à cabeça, suspiros profundos e ar de "oh não, estou tão cansado", para que ele não me chateie durante pelo menos 5 minutos. Vale a pena só para ter esse curto espaço de tempo sozinho.

5. Meia maratona no aeroporto

Era uma vez um casal de jovens namorados que foi passar uma semana a Londres. Com medo que o dinheiro não chegasse, resolveram ir às compras na manhã da partida de volta. Smart move. Escusado será dizer que o que se seguiu foi digno de uma comédia de Sábado à tarde. Imaginem a cena, não só estávamos com o stress de chegar em cima da hora como tivemos uma autêntica operação stop na parte do controlo de segurança. Tivemos que nos descalçar, abrir malas e tudo mais, o que é normal mas dado o timing, não podia ter sido mais inconveniente. Por sorte consegui despachar-me rapidamente mas a Marta não. Só teve tempo de agarrar nos ténis e começar a correr, descalça, em pleno aeroporto de Heathrow. Para melhorar a situação, estávamos literalmente na ponta oposta do embarque. A dada altura, quando estávamos a percorrer uma passadeira rolante, tive que parar para não cair para o lado. Nesse instante, viro-me para trás e vejo uma Marta que simplesmente desistiu da vida e olhou para mim do género género, "continua sem mim". Hilariante. No fim chegámos mesmo a tempo e tudo correu bem, mas o processo foi algo simplesmente memorável.


Já passaram por situações caricatas? Como correu?

7 comentários:

  1. Essa história no aeroporto ainda é das coisas mais traumatizantes que já passei. Acho que era por isso que cada vez que vim a Lisboa de Madrid de avião estava lá 2h antes... just in case

    ResponderEliminar
  2. Ahahah, essa meia maratona deve ter sido épica. Acho que vou começar a utilizar essa técnica de simular as chamadas, mas é importante nunca esquecer a regra de ouro de manter o telemóvel em silêncio para que não aconteça o mítico barraco de estar a falar e de repente o telemóvel começar a tocar.xD

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Este é dos posts mais cómicos que já escreveste! Tentei visualizar cada acontecimento e digo-te que me estou aqui a rir interiormente com as peripécias. Gostava de saber mais sobre essas conversas telefónicas, pois, parecem-me extremamente interessantes e úteis eheheh
    Beijinhos e boas aventuras :)

    ResponderEliminar
  4. Adorei ler este post, está tão engraçado xD. Reconhecerem-nos por causa do blog deve ser das coisas mais estranhas e constrangedoras. A mim nunca me aconteceu ( só tenho uma foto de costas, o máximo que teriam é suspeitas), mas já me aconteceu uma leitora mandar-me um mail a dizer que entrou na mesma universidade do que eu e no mesmo curso, e que me queria conhecer.
    Tens que escrever um post só sobre as chamadas telefónicas, acho hilariante o facto de teres conversas inteiras contigo próprio xD. O máximo que eu fiz foi fingir que ouvia uma pessoa a falar, por isso gostava de saber que diálogos são esses ahahahah.
    Ahahah, adorei a descrição da maratona do aeroporto. O "continua sem mim" matou-me, que dramático xD.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  5. Bem, que situações! Nunca passei por nada do género, mas como a Joaninha disse, tentei visualizar cada acontecimento e também me ri. Principalmente com as chamadas fictícias!
    Nem quero imaginar o que passaste em Madrid! Eu ficaria muito desorientada e chateada.

    ResponderEliminar
  6. LOL *hides away awkardly* acredita que eu estava em panic mode ahah e tambem nao estava a despachar, tinha que ir embora, e depois nao sabia que mais dizer. im so sorry!
    mas por acaso ja me aconteceu! estranhamente nunca sobre o blog mas uma vez devido ao meu fb de vendas (e por eu andar sempre por flea markets e afins) e outra "olha eu sigo te no instagram" - esta ultima eu no trabalho. fiquei tao parva que nem me lembro o que disse LOL
    tambem faço o 3 e 4, e o 2 e o 5 sao dos meus piores pesadelos omg.

    https://rrriotdontdiet.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...