Pages

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Aceitar opiniões contrárias é um suplício


Desde muito cedo foi-me incutida a máxima de que podemos não concordar com certas opiniões mas temos que respeitá-las. Fair enough, cada um é livre de ter pensamentos opostos aos nossos. Só peço é que o façam de forma consciente e equilibrada.

Pessoalmente, e dependendo dos assuntos, tenho alguma dificuldade em lidar com opiniões que considero absurdas. Uma coisa é dizerem-me que não gostam de pizza porque detestam queijo  OK, faz sentido , outra é ouvir que uma mulher que ande de saia na rua está a "pedi-las". Poupem-me. Esse tipo de pensamento não só coloca a culpa na vítima como não faz qualquer sentido.

O mesmo se aplica a temas triviais como a industria do entretenimento. Cada um tem os seus gostos e, como sabem, sou o primeiro a defender que não devemos ser julgados por isso. No entanto, há que ter o mínimo de noção do que estão a dizer. Por muito que me custe e até possa ficar revoltado com algumas reviews negativas de um "produto" que considere fenomenal, se forem sustentadas em factos razoáveis, aceito. À partida, não estarão a dizer nenhuma mentira e se colocar as emoções de lado, consigo ver isso. O problema é quando certos indivíduos ridicularizam um filme, por exemplo, só porque a história é "banal"; se é um musical tem que ter actores que saibam cantar, etc. Lamento, mas além de um revirar de olhos instantâneo, coloco uma cruz vermelha nessas pessoas.

É preciso perceber que quando estamos a apresentar uma opinião ao mundo, não basta dizer "gosto ou não porque sim". Isso é zero, nada. Aliás, este processo básico de pensamento é trabalhado na escola ou pelo menos era no meu tempo. Continuando com o exemplo das longas-metragens, uma narrativa não precisa ser original, repleta de altos, baixos e reviravoltas, para ser considerada "boa". A simplicidade existe e por vezes é mais bonita que o excesso. Se estão a contar uma história real e que possa ser relacionável com qualquer pessoa, estão à espera de quê? Da mesma forma que se utilizam determinadas luzes e cores em cenas específicas, tem um sentido, uma razão de ser, não é porque lhes pareceu bonito. Muitos arrasaram a prestação da Natalie Portman em "Jackie", especialmente o sotaque, acusando-a de ser uma caricatura. Se tivessem pesquisado, iam encontrar este vídeo, que mostra o quão fiel foi o retrato da actriz. Estas coisas irritam-me profundamente, a sério.

Um dos meus maiores medos é transparecer uma imagem de convencido ou elitista  algo que não sou, de todo , mas antes isso que de ignorante. Não sendo da área musical, televisiva ou cinematográfica, não possuo as bases necessárias para uma abordagem mais técnica de muitas das minhas "críticas", mas é aí que o trabalho de casa entra. A ideia de começar a escrever sobre um tema do qual não domino e nem sei o suficiente, é assustador. Não sei como é que existem pessoas capazes de o fazerem sem qualquer problema e ainda se vangloriam por isso. Não só revela um amadorismo extremo como uma falta de noção gigante.

Enfim, esta é uma discussão (saudável) que já tive com alguns colegas de trabalho. Felizmente, todos nós concordamos com a necessidade de estar bem informado antes de abrir a boca. Pena que o mesmo não se aplique na internet.


Têm problemas em aceitar opiniões contrárias às vossas? 

7 comentários:

  1. Eu tinha muita dificuldade em aceitar opiniões contrárias ainda mais quando o assunto era totalmente a meu favor mas hoje aprendi que nao vale a pena as discussões.

    Beijinhos 💜
    Blog Resenhas da Pâm

    ResponderEliminar
  2. Sim, acho que o problema das pessoa hoje em dia é dar uma opinião sem sequer pensar bem no assunto, baseado em coisas superficiais e no "só porque os outros dizem". Mesmo que tenham razão acabam por perder a credibilidade quando não apresentam argumentos.

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Não poderia estar mais de acordo. Quando defendemos uma posição, é preciso fundamentá-la devidamente, assim como respeitar aqueles que assumem posições opostas.

    http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Há que haver malucos para tudo, por isso tudo bem se o ponto de vista for fundamentado.

    Mas temos também quem tenha aquela fixa ideia de ter "certeza absoluta" sobre a assertividade da sua opinião. E mesmo que errada, e que se tente argumentar... Nada feito. K.O. por cansaço.

    Cheers,
    #Unapologetic

    ResponderEliminar
  5. Eu tenho muita dificuldade em aceitar opiniões diferente da minha principalmente quando são opiniões absurdas como o exemplo que tu deste da mulher que estava com a saia vestida que estava "a pedi-las". Há opiniões que acho uma estupidez e essas não consigo mesmo aceitar! Irritam-me profundamente!

    Beijinhos
    That Girl

    ResponderEliminar
  6. Concordo plenamente! E não tenho mais nada a acrescentar, pois diria exatamente a um amigo o que acabei de ler aqui!
    Muitos parabéns, Ricardo! Sempre com textos fenomenais!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...