Pages

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

A solidão é uma merda.


Já cantava a Britney Spears, my loneliness is killing me.

Como qualquer pessoa, também tenho os meus dias. Não sou sempre o tipo que se ri das próprias piadas e acha que a ironia é desculpa para ser um valente sacana. Como uma corrente de ar que nos surpreende e despenteia, há alturas em sou atingido por uma solidão implacável que me deixa complemente desolado.

Com um grupo de amigos que nem chega para encher uma mão e a namorada fora do país, conseguir momentos de interacção física fora do ambiente laboral é extremamente raro. As pessoas têm os seus problemas, ocupações, e nem sempre é fácil incluir amizades na equação. Eu próprio sou culpado deste crime. Não é por acaso que aquele anúncio da Super Bock tocou tanta gente.

Ainda que não aconteça com frequência, há alturas em que dou por mim a pensar no quão sozinho estou. Abrindo qualquer rede social, sou bombardeado com fotografias de grupos de amigos a divertirem-se, seja num café, bar ou num simples passeio por Lisboa. Frequentam com regularidade as casas uns dos outros e fazem planos várias vezes por semana. Nunca tive isso. Não por escolha mas porque simplesmente não aconteceu.

Conforme vamos ficando mais velhos, torna-se cada vez mais complicado estabelecer ligações genuínas. Certamente que existem excepções, mas se fizerem um exercício de introspecção, vão aperceber-se que a maioria das vossas amizades foram criadas durante os tempos de escola, não depois. Independentemente deste factor, é extremamente importante termos com quem falar e partilhar situações além da nossa mãe, por exemplo. Sorry mom!

Há seis anos que a pessoa com quem mais falo é a minha namorada. Como já éramos amigos e somos basicamente a fotocópia um do outro, já temos um doutoramento em como lidar um com o outro. Devido a esta ligação tão forte, desde que ela foi viver para fora que penso no que seria de mim se um dia a relação chegar ao fim. Literalmente ficava all by myself. Não sei onde raio é que iria fazer novas amizades, muito menos na mesma dimensão. Para alguém como eu que, quando está à vontade, adora falar pelos cotovelos, é desconcertante.

Ninguém nos prepara para o verdadeiro sentido da palavra "solidão". Estar no meio de uma multidão e mesmo assim sentirem-se sozinhos é provavelmente das piores coisas por que já passei. É extremamente bizarro e parece que ficamos congelados, vazios. A única vontade que temos é de nos enfiar de baixo dos lençóis e esquecer o mundo lá fora. Deprimente? Certamente, mas é a mais pura verdade. Pelo menos para mim.

14 comentários:

  1. Acho que todos temos momentos assim... eu, pelo menos, sei que tenho. Mas eu até gosto de estar sozinha (90% das vezes). Mas quanto a fazer amizades, muitos dos meus melhores amigos nunca estudaram comigo e tenho acumulado amizades por todos os locais onde já trabalhei. O ginásio também é um bom sítio para fazer amigos! Se realmente não estás assim por opção, podes sempre optar por mudar isso (= inscreve-te numa aula de música ou culinária, vais fazer algo diferente e vais conhecer pessoas!

    ResponderEliminar
  2. Revi-me tanto no que escreveste! Há dias que também me sinto assim, e de facto os poucos amigos que tenho são do secundário e estive perto de os perder.

    Cátia ∫ Meraki

    ResponderEliminar
  3. A solidão é mesmo uma merda. Às vezes só me apetece fechar no quarto e ir para a cama. Tenho muitos amigos mas Às vezes sinto-me completamente sozinha!

    Beijinhos
    That Girl

    ResponderEliminar
  4. Acho que nos acontece a todos, essa sensação de solidão. O mais irónico é que nunca fomos tantos no mundo... e no entanto... a solidão é o que nos acompanha mais. Acho que foi também por isso que comecei o meu blog. Para não estar tão sozinha a caminho do Biquíni Dourado...

    Um beijinho dourado,
    http://obiquinidourado.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Sem dúvida que na altura da escola fazemos amigos em velocidade flash. Tendo os mesmos horários é natural que cremos laços mais fortes.

    Porém discordo contigo de que quando somos adultos já é mais complicado fazer amigos. Tudo depende de ti, mesmo! Vivo em Lisboa há um ano e embora tenha alguns amigos da faculdade no Algarve e outros da infância, fiz imensos novos amigos e até já tenho duas amigas que são das melhores pessoas que já conheci.

    O meu conselho é frequentares actividades e eventos que te interessem. Vais conhecer uma. Malta e com o tempo crias laços fortes co. Algumas pessoas. Sabes como é que sou amiga da Isabel? Inscrevi me no banco do tempo do Lumiar e fazia babysitting uma vez por mês. Descobrimos que temos imenso em comum e falamos com regularidade actualmente. Também tenho amigos que fiz enquanto fiz voluntariado no Refood de alvalade.

    Se quiseres podemos ir.lanchar a um sítio giro ou podemos fazer algo juntos, que dizes? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso já tinha pensado nessa questão das actividades precisamente por concordar que é uma óptima maneira de estabelecer ligações. Oh não é necessário, mas agradeço o convite Marta :)

      Eliminar
  6. Estou neste momento a um sábado à noite, a beber chocolate quente em casa em frente ao computador porque o meu homem está a trabalhar. Eu acho que são as circunstâncias da vida e por vezes isto agrava-se muito mais quando entramos na vida adulta e mantemos relações sérias. É um tema muito sensível, mas acho que é importante aprenderes a desfrutar do teu tempo.

    ResponderEliminar
  7. Compreendo mas no meu caso eu gosto de estar sozinha de vez em quando...

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

    ResponderEliminar
  8. Esta é, infelizmente, a realidade de muita gente! Muitos são velhos mas nem sempre. Há pessoas com dificuldade na interação com os outros, independentemente da idade. Se com o tempo a dificuldade em fazer amizades aumenta? Acho que o problema está na inversão de valores cada vez mais assente na sociedade atual, e na fraqueza da compaixão!

    ResponderEliminar
  9. Infelizmente, é a realidade de muitos. Uns dias são mais difíceis que outros mas espero que seja uma apenas uma fase :)

    ResponderEliminar
  10. Já refleti muito sobre este assunto. De facto, tenho sorte de ter o meu namorado relativamente perto e do meu grupo de amigos do secundário ainda se manter bastante unido. Mas hoje em dia também tenho muita dificuldade em criar laços, principalmente porque quase toda a gente que vou conhecendo é o total oposto da minha pessoa em todos os aspetos.
    Dou-me bem com as pessoas, mas daí a criar aquele laço de amizade vai uma diferença gigantesca!
    Por isso entendo perfeitamente o que dizes. Não que me sinta propriamente sozinha, mas por ver a facilidade com que isso poderia acontecer.

    Btw, já sentia falta de visitar o teu blog. Sempre na mouche :p
    xx, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar
  11. A solidão é um conceito delicado porque, na minha opinião, não tem nada que ver com estar sozinho. Eu passo o meu tempo livre sozinha porque o tempo passado com os colegas de trabalho é mais do que suficiente para preencher a minha necessidade de contacto humano. Sei perfeitamente que quem vê de fora associa a minha maneira de ser a solidão e, consequentemente, a tristeza, mas sou realmente feliz assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente, por esse motivo é que referi o exemplo cliché de "sentir-se sozinho no meio da multidão" :)

      Eliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...