Pages

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Má sorte ⤫ Sh*t Happens


Há pessoas que nasceram com o bum bum virado para lua e depois há outras que mais parecem ter sido ferradas com a marca da besta no meio da testa. Se ainda não adivinharam, encaixo-me no segundo grupo. Sempre ouvi dizer que existe sempre alguém pior que nós, o que é obviamente verdade, mas isso não invalida uma série de situações bem desnecessárias. 

No ensino básico não era apenas o palhaço entre o meu grupo de amigos, também era um autêntico íman de cocó de pombos. Pois é, sempre que um sobrevoava sobre as nossas cabeças, não resistiam a descarregar os seus dejectos em cima de mim. Não aconteceu uma, duas ou três vezes, era uma prática comum. Cálculo que a sociedade secreta de pombos se tenha unido contra mim mas até hoje não compreendo que mal lhes fiz. Até numa visita de estudo em Lisboa, ou seja, num distrito completamente diferente àquela onde na altura estudava, cagaram-me em cima. 

Anos mais tarde, num belo dia de praia, estava deitado na toalha, com a minha namorada, quando de repente passa uma nuvem (pensávamos nós), seguida de um bombardeamento branco. Sim, adivinharam, foi um bando de gaivotas que esvaziou os intestinos em cima de nós. Nem vos consigo descrever o quão nojento e igualmente cómico foi. Cara, cabelo, peito, toalhas, t-shirts, chinelos, TUDO cagado! Após cinco segundos em choque, limitámo-nos a olhar um para o outro e sem trocar uma única palavra, fomos a correr para a água. Coitada, ela só foi atacada porque estava comigo. De uma praia cheia de pessoas, why us?

Mas não é só de merda que a minha sorte é feita, perdoem o meu francês. Há uns dois ou três anos atrás, quando estava a estagiar, consegui o feito de na mesma semana, estragar o meu telemóvel, portátil e MAC do trabalho. Quer dizer, não fiz nada! O problema é que qualquer aparelho tecnológico em que eu mexesse, perdia a vida. Extremamente sinistro.

Não querendo voltar a falar do mesmo, mas já falando, nunca esquecerei o episódio Madrid. Para quem não se recorda ou não chegou a ler, de um autocarro cheio de gente e respectivas bagagens, a minha foi a única a ser roubada. Se isto não é má sorte, digam-me o que é, por favor.

Estes são apenas alguns episódios menos felizes. Acreditem que existem mais. Desde o típico cair do pão com a manteiga para baixo, a pisar cocó de cão  achavam mesmo que estava imune à porcaria dos cães? , acertarem-me com bolas de basquetebol/volley na cara, sentar-me em cima de pastilha elástica e ficar encharcado quando carros passam em cima de poças de água. Por acreditar no karma é que digo que devo ter sido um grande filho da mãe em outra vida, só pode. Uma coisa é ter um bad day como o Daniel Powter cantava em 2005, outra coisa é ter vários.


Acreditam na má sorte? Já passaram por episódios menos felizes?

9 comentários:

  1. Cruzes credo, rapaz! Felizmente não tenho essa tua "sorte" danada ahah! A mim é mais ser bafejada com emergências de todo o tipo nas piores alturas possíveis. Isso acontece. Felizmente, acho que me fico por aí :p

    Jiji

    ResponderEliminar
  2. Fogo! Isso é que é mesmo azar! A minha nunca me aconteceu levar com o cocó das aves, nem uma única vez.
    Perdoa-me por isto, mas eu agora ri bastante com o teu episódio da praia xD.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  3. Há dias em que sou uma sortuda e outros em que nem tanto. Mas realmente, ao ver o teu post acho que tens mesmo má sorte ahah
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Situações destas aos pontapés nunca me aconteceram, embora episodicamente sim (eu fujo de tudo o que é varanda onde possam estar pombos só para evitar situações dessas, que estes são alguns dos lugares mais propícios a bombardeamentos de feses) - nem sei como é que uma vez escapei ilesa a um bombardeamento de gaivotas.

    Superstições ninguém me convence a ter, mas tenho uma certa tendência para acreditar no karma e, desculpem-me, há várias pessoas que o merecem nesta vida. A imagem está simplesmente fantástica para ilustrar o tom deste post.

    ResponderEliminar
  5. Isso é mesmo má sorte para uma só pessoa! Nunca apanhei com fezes de pássaros (e eu odeio pombos! podiam querer vingar-se xD), nem nunca me roubaram nada, e o meu pc e telemóvel estão bem de saúde, espero eu.

    ResponderEliminar
  6. Eu até +/- aos 10/11 anos passava a vida tropeçar e a cair (agora fico-me pelo tropeçar), o que fez com que acumulasse algumas histórias, e era um autêntico íman a cocós de cão (acertava em todos!), pastilhas elásticas e a brinquedos de natal defeituosos.
    Com os anos a má sorte acabou por desaparecer e/ou comecei a ser muito mais cuidadosa e atenta, o que infelizmente no teu caso de cocós de pássaro é difícil resolver assim xD

    ResponderEliminar
  7. Uma vez, o cocó de um pombo aterrou diretamente no meu ouvido. Sim, lá dentro - estava deitada de lado à sombra de uma árvore. Fez um barulho tão grande que pensei que tinha levado um tiro, juro. Por isso não te queixes da tua má sorte :P

    ResponderEliminar
  8. Oh meu Deus! E pensava eu que ter levado com cocó de pombo uma vez seria o suficiente para me queixar! xp
    Ou tens mesmo muita má sorte, ou és vítima de vudo. Já tentaste ir à bruxa ver disso? xp

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
  9. Não estava à espera de ler tanta desgraça junta! És mesmo azarado :o xD
    Acho que o único episodio que mais me marcou, aconteceu este ano. Estava a entrar na igreja, após uma procissão e puff, um pássaro decidiu abrir o seu "mais que tudo", mesmo na minha mão xD Agora, digo que fui abençoada. E digo-o, também, às pessoas que levam com "borradas" em cima xD
    Ricardo, considera-te abençoado!

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...