Pages

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Auto dos Transportes do Inferno x Summer Edition


A barca está de volta. Com dois actos mais abrangentes sobre situações caricatas que vivo diariamente nos transportes públicos, esta edição é dedicada exclusivamente ao Verão. Estação favorita do ano para uns, é um autêntico terror para os que já não podem gozar dos três meses de férias ou não têm carro, claro.

Comparativamente ao Inverno, noto que custa mais entrar/aguentar na rotina com as temperaturas elevadas. As corridas outrora supersónicas para apanhar o metro a tempo, foram substituídas por uma espécie de marcha repleta de murmúrios. Curiosamente, a abundância de passageiros parece ter triplicado. Para uma altura marcada pelas férias dos portugueses, é interessante.


1. Fenómeno sardinha em lata
Aguentar uma viagem apertado é mau, mas no Verão é ainda pior. Derrubando por completo a questão da invasão de espaço, que nestes casos, pura e simplesmente não existe, a quantidade de suor e calor é algo que não desejo a ninguém. Contei-vos uma dessas situações (AQUI) e recentemente passei por outra, mas num dia de 38ºC. Nunca fiquei tão feliz por estar a usar roupa escura, caso contrário seria um forte candidato ao título de mister t-shirt molhada. 

2. Odores corporais amplificados
"Respira pela boca", dizem. Está bem. Suster a respiração durante a passagem momentânea de um camião do lixo é uma coisa, fazê-lo durante uma viagem de meia-hora é simplesmente impossível. Já tentei de tudo. Fingir que adormeci com um livro aberto na cara, apoiar estrategicamente a mão na cara e até respirar o mínimo possível. Não adianta. Contra o cheiro a suvaqueira, só mesmo um bom banho. Bolas, há pessoas que cheiram mesmo, mesmo mal.

3. Fluídos indesejados
Arrisco-me a dizer que ninguém gosta de levar com o suor de desconhecidos. Se não for o caso, good for you! Não existem palavras para descrever o quão nojento é sentir que a pessoa ao nosso lado está, literalmente, a escorrer. Pertenço ao clube de indivíduos que transpira imenso e com bastante facilidade, mas daí a esfregar-me nos outros passageiros, vai uma grande diferença. No Inverno o contacto acidental até pode ser acolhedor, na medida em que nos aquece, mas agora? Atrevam-se.

4. Sujidade sazonal
Areia, areia por todo o lado! Compreendo a necessidade de utilizar transportes públicos para se deslocarem a áreas balneares mas não custa nada passar as patinhas pela toalha. Além da escorregadela ocasional do gang do reumático, até os bancos ficam contaminados. É isso e papéis/manchas de gelado. Podem não ter um lenço de papel à mão, mas tratando-se de um espaço comum, não vos custava nada limparem a vossa sujeira.

5.  Pessoas ainda mais lentas
É mais que sabido que não tenho a mínima paciência para gente lenta. Se antes os associava aos zombies do Walking Dead, agora nem tenho comparação possível. Sou o primeiro a admitir este tempo é um óptimo aliado à preguiça mas, estando na rua, que remédio se não mexer as perninhas. Aqui entre nós, já cheguei a perder propositadamente alguns transportes por não conseguir mais. Como vêem, nem eu estou imune às labaredas do inferno. Ainda assim, a vontade de chegar a casa para poder arrancar a roupa do corpo é toda a motivação que preciso. Pessoas que insistem em manter-se paradas, feito mulas, no meio das escadas rolantes, encostem-se à direita. Fica o apelo.


Já presenciaram situações destas? Gostam dos transportes públicos no Verão?

13 comentários:

  1. O teu blogue continua imensamente criativo!
    Ri alto com este post.
    Contia assim! :)

    ResponderEliminar
  2. Fogo, como te comprendo! Eu lá me vou habituando, (ou não!!!), mas no sábado levei a minha mãe comigo de autocarro à praia e ela ia tendo uma coisinha má. Acho que é mesmo preciso ter muita paciência para suportar todos os ponto que mencionaste, mas acho que o mais feio e insuportável de tudo o que mencionas, é mesmo a falta de civismo que algumas pessoas tem nos transportes publicos, neste caso.

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  3. Já passei por esses pontos todos. Horrível, horrível, horrível! Evito ao máximo andar de transportes públicos de verão ( isso porque ainda tenho os 3 meses de férias), mas de vez em quando tenho que sair e o meu pai trabalha, portanto não me pode levar, e lá vou eu de autocarro, passar por esse sofrimento todo.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  4. Identifiquei-me no post anterior e continuo a identificar-me! O que mais me incomoda: cheiros. Ai com cada cheiro a transpiração ativo mesmo que, assim que se entra no transporte, invade as nossas narinas. PURA AGONIA!

    Marli, do My Own Anatomy ☀

    ResponderEliminar
  5. Que satisfeita que fiquei por já não usar transportes públicos assim que li isto! Tenho que concordar que é um terror, o cheiro e o suor dos outros... Argh! Não se aguenta.
    Isso e as pessoas lentas... A sério, não sei qual é a dificuldade de se encostarem ao cantinho. Nem toda a gente tem o dia todo. Pior é ficarem com cara de mal dispostos quando dizemos um 'com licença'. Não há pachorra!
    xx, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar
  6. Sinto (tanto) a tua angústia. E já ultrapassei completamente a fase em que tolerava as coisas, já nem quero saber se passo por arrogante. Ainda hoje me sentei no barco numa zona que estava literalmente sem gente. Tinha dois bancos de cada lado e cinco bancos à frente - livres. Vem um sujeito e, com ar de que tinha estado a correr, senta-se exactamente ao meu lado (porque não haviam mais 9 bancos por onde optar, era tudo ilusão minha). Mal o tipo se senta eu levanto-me, encosto-me ao canto, coloco a mochila ao meu lado e «adormeço» em segundos. É que não dá, já não tenho pachorra! E a questão do suor enoja-me imenso. Nesta altura do ano devia ser exigida uma distância mínima de segurança entre as pessoas nos transportes. A sério.

    ResponderEliminar
  7. Eu acrescentava agora a moda do pokemon :p vai tudo a jogar no bus... até que se torna mais suportável.

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

    ResponderEliminar
  8. Um dia, vais andar nos transportes públicos de Paris (em hora de ponta, não vale fazer batota). E, quando esse dia chegar, vou rir-me muito com o que vais escrever ;P

    ResponderEliminar
  9. Eu odeio andar de transportes públicos nesta altura! Além de estar um calor infernal, o cheiro é horrível. Prefiro andar sempre a pé.

    ResponderEliminar
  10. Em primeiro lugar gostaria de anunciar que tive mesmo saudades de vir aqui, nunca é uma perda de tempo, em segundo lugar "Se antes os associava aos zombies do Walking Dead, agora nem tenho comparação possível." SO TRUE. Sabes aquelas pessoas que têm Road Rage ? Eu sofro de Street Rage. É grave, está num estado avançado, e embora sovacos a pingar seja muuuuito mau, se essas pessoas andarem devagarinho é o fim.

    P.s. Obrigada pelo teu comentário simpático no meu blogue! (E pelo amor de Deus tenta ir á praia sim?^^ é necessário, e tu mereces.)

    ResponderEliminar
  11. Exacto. Se viajar como uma sardinha enlatada já é desconfortável até dizer chega nos meses mais frescos, nesta altura do ano é impossível. E então no metro, que apesar de ter um tamanho avantajado, a sua organização só facilita é este fenómeno. E o que não faltam são por aí exemplos como o último. Pessoas que param de repente no meio do passeio, no meio de qualquer tipo de escadas, basicamente que param no meio de tudo e mais alguma coisa, e claro transtornam toda a movimentação natural de pessoas. Se bem que não sei o que é pior; isto ou aquelas pessoas que andam aos zigue-zagues. Durante o tempo de aulas é impossível não ter de andar de transportes - há pessoal que deve nadar em dinheiro para levar o carrinho todos os dias para a faculdade, não só é a gasolina como o estacionamento, enfim -, mas nesta altura gosto de tentar evitar os transportes públicos o mais possível, e optar por aquele que parece ir mais vazio.

    ResponderEliminar
  12. Quando leio estes relatos percebo a sorte que tenho com os autocarros da minha zona. Começa logo por terem metade dos passageiros habituais no verão. O pessoal entra, para um autocarro fresquinho pelo ar condicionado, com wi-fi, a maioria das vezes com dois bancos só para si, e tem 1h de relaxamento até chegar a Lisboa. Por sorte o meu trabalho fica a 500m da paragem de autocarro, pelo que não tenho que entrar no metro nem na Carris.

    ResponderEliminar
  13. Ahhhhh Verão e transportes públicos, coisa do inferno mesmo! Felizmente já me livrei dessa - pelo menos para já! O pior é mesmo o cheiro...ai...o cheiro. Blagh!

    Jiji

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...