Pages

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Serial Lip Syncher























Se há altura em que questiono seriamente as minhas atitudes, é quando começo a interpretar músicas em público. Posso não estar a cantá-las fisicamente mas na minha cabeça dou espectáculos do mais alto nível e com tudo a que tenho direito. Pois é, sou um serial lip syncher.

O fenómeno popularizado pela Miss American Dream, como quem diz Britney Spears, ou se forem patriotas, qualquer cantorzeco português, é mais velho que as minhas dores de costas (pré-histórico). Com mais adeptos que muitos clubes de futebol, arrisco-me a dizer que a probabilidade de já terem feito o belo de um playback involuntário é bastante elevada.

Desde miúdo que as viagens de carro são o meu oasis. Aos 12 anos, equipado com o discman  geração millenial: são uns objectos semi-redondos onde se ouviam cd's (sim, os discos ainda existem)  bastava dar uma canção triste e lá estava eu, a olhar para a janela com toda uma carga emocional estampada na minha cara. Ah, o drama. Tristeza.

O avançar da idade podia ter resolvido a questão mas sinceramente acho que só piorou. Nunca mais me vou esquecer de estar a caminhar pelo metro da Baixa quando de repente a música "BLKKK SKKKN HEAD" do Kanye West começa a ecoar nos meus ouvidos. A batida deixou-me com uma adrenalina tão grande que me senti o dono do pedaço. O mundo era a minha ostra. Qual Naomi ou Beckford, aquela passerelle era minha.

Em Janeiro de 2011, quando a Adele lançou oficialmente a "Someone Like You", passei algumas vergonhas. Em pleno Inverno, mau tempo e com a chuva a cair, as viagens de comboio à janela eram o cenário ideal: deprimente e solitário. A quantidade de vezes que fiz caretas ou até fiquei com a lágrima no canto do olho ao sussurrar as letras da maldita canção, é simplesmente humilhante.

No meio disto tudo, o que me intriga é o facto de nem me aperceber do que estou a fazer até meio/terminar a acção ou quando recebo um olhar mais atento. Desconheço por completo a origem deste pequeno fenómeno mas é mais forte do que eu. Se estiver in the moment, esqueço-me por completo dos outros à minha volta e vivo as melodias, letras e afins como se tivessem sido criadas por mim. Até cenários, pirotecnia, guarda-roupa, tudo é pensado ao pormenor.

Ainda hoje tenho o hábito de andar ao som da batida. Não faço ideia de como é que a minha maneira de andar é afectada e, consequentemente, como é que os outros me vêem, mas sinceramente acho que prefiro nem pensar nisso. A verdade é que me dá um gozo enorme fazê-lo.


São tão melodramáticos como eu? Costumam fazer playback ou imaginar cenários musicais?

14 comentários:

  1. Como eu te entendo! Já me aconteceu ir para a paragem de autocarro de fones nos ouvidos e ir literalmente a dar passos de dança ao som de "Cake by the ocean" :) A minha sorte foi que uma conhecida minha, que vinha mais atrás de mim, me mandou uma sms a informar-me da figurinha parva que estava a fazer na rua... mas o que importa é que sejamos felizes com isso! ahahah

    http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. SAME! (Adorei a tua descrição do discman, btw! :p)

    E ouvir aquelas power songs da Beyoncé no meio da rua? #dominando completamente xD e depois acontece-me o mesmo que a ti. A música acaba e eu apercebo-me que "desincho". E aí penso "dafuq did I just did?!" E acontece-me o mesmo com canções dramáticas...sad.

    Jiji

    ResponderEliminar
  3. "A probabilidade de já terem feito o belo de um playback involuntário é bastante elevada." Queres dizer, todos os dias? Porque sempre que estou de fones, não há momento em que eu não protagonize um vídeo; como disseste, sinto-me a dona do pedaço.
    Infelizmente, já me apanharam a fazer estas figuras e nesse momento só me apetecia desaparecer...

    ResponderEliminar
  4. Eu crio o concerto inteiro! Roupas diferentes para cada música, coreografias, efeitos de luz, ...

    ResponderEliminar
  5. Acho estas tuas publicações um máximo, principalmente pelo facto de me identificar tão bem com eles! XD
    Sou como tu: seja qual for a música que toque, gosto de incorporar uma personagem e interpretar cada palavra! Como é um hábito que criei por causa do hip hop, também tenho a "mania" de em cada música criar uma coreografia, mesmo que me esqueça dos passos segundos depois. É inevitável!
    Deveríamos criar o musical do "Clube dos Dramáticos Esquecidos" xp

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
  6. Eu ri imenso enquanto lia este texto porque estava a recordar momentos... meus. Opá, tal e qual xD E isto assusta-me. Saber que não sou o único com estes problemas mentais torna esta experiência mais mais traumatizante xD

    ResponderEliminar
  7. O meu problema nem é o lip sync mas sim cantar mesmo! Quando me lembro dalguma música, ou está a dar alguma música que goste, não me consigo controlar de forma alguma e desato a cantar que nem uma louca. O pior é que o faço no carro, em casa, e o pior de tudo, em lojas ou espaços públicos. Já recebi muitos olhares desconfiados, achando que eu sou maluca!

    ResponderEliminar
  8. Não posso excluir-me deste "grupo" xD Não costumo dar shows silenciosos em público mas tenho os meus "momentos" em casa, durante as limpezas. Confesso, gostaria de ver mais pessoas a exercitarem os maxilares, durante uma viagem de autocarro, sem produzir qlq som!
    Escusado será dizer que fazer playback e dar uma de diva é divertido!

    ResponderEliminar
  9. Eu tenho sempre uma alguma música na minha cabeça estou sempre a cantar para mim e imagino imensas vezes um momento com a música perfeita! Mas onde eu canto mais é mesmo no carro e já apanhei algumas vergonhas ahah :)
    with love, KATE ❤

    ResponderEliminar
  10. Eu só crio cenários para músicas de guilty pleasure que tenho cantadas por divas da pop. A "Bound to you" da Christina Aguilera vai mudando de cenário e roupa, mas canto-a sempre extremamente bem; as da Beyoncé têm direito a bailarinas no background :D

    ResponderEliminar
  11. Que alívio! Pensei que era só eu a sofrer deste 'mal'. A verdade é que quando dá uma música que gosto, não consigo evitar e o meu alter-ego rock star vem ao de cima! :p
    xx, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar
  12. Bem eu não costumo criar cenários tão elaborados na minha mente, ou provavelmente nem crio cenários, mas também tenho o hábito de cantar mentalmente as músicas à medida que as vou ouvindo. Não faço ideia se a minha expressão facial muda de algum modo, mas às vezes faço mesmo lip synch como a Britney Spears. Devo parecer que vou a falar sozinha na rua, de certeza. Ohhh viagens de carro são do melhor para fazer isto. E eu quando era mais nova até me dava para fazer autênticos relatos de futebol durante as viagens, mas mais numa versão de ir relatando a viagem em si. E nem sei de onde é que vieram estas pancas.

    R.: eu por acaso gostei bastante do Nemo (no geral), mas não há sombra de dúvida que o melhor do filme é mesmo a Dory. E boa parte de ter gostado tanto do primeiro filme foi devido à dobragem da Rita Blanco. Para mim foi uma escolha excelente; e este é mesmo o único filme de animação que faço questão de ouvir a versão dobrada.

    ResponderEliminar
  13. Eu faço imenso isso, se bem que quando estou em transportes publicos tento conter-me. Mas em viagens de carro é cabeça encostada à janela com músicas calmas ou altos concertos com o meu irmão para os meus pais xD

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...