Pages

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Pocket Reviews | O que tenho andado a ver #18



Classificação IMDb: 6.6/10
Classificação Ghostly Walker: 5/10



Revoltada ao descobrir que foi rotulada como DUFF (Designated Ugly Fat Friend) ou em bom português, a típica amiga feia e gorda, Bianca pede ao vizinho que a ajude a mudar de visual e a ser mais sociável, e em troca ela certifica-se que ele passa de ano. 

Cliché é a palavra de ordem. A rapariga simplória que é gozada pela menina mimada, que por sua vez namora com o rapaz giro por quem ela secretamente tem sentimentos. Pelo meio há uma tentativa de makeover e voilá, apresento-vos The Duff.

À partida, o conceito era interessante, mas a execução deixa muito a desejar. O elenco é absolutamente desastroso. Além de não ser minimamente credível, não existia qualquer tipo de química entre a Bianca e as suas duas melhores amigas. A Bella Thorne como "vilã" foi uma anedota  umas aulas de representação precisam-se urgentemente. Tendo em conta o argumento tortuoso com que tinham que trabalhar, o "casal" de protagonistas foi razoável.

Com algumas piadas certeiras pelo meio, a melhor parte desta desgraça foram os professores ridiculamente. Calculo que apenas uma criança vá achar piada a esta trampa.


Classificação IMDb: 7.2/10
Classificação Ghostly Walker: 6/10
Após ser levada para um colégio interno com apenas 10 anos de idade, Myrtle "Tilly" Dunnage regressa à terra natal, na Austrália, para tomar conta da sua mãe que está doente. Recorrendo à sua experiência na alta costura Parisiense, Tilly transforma as mulheres da cidade em autênticas vedetas rurais, e simultaneamente, descobre pormenores interessantes sobre a sua infância que a levam a preparar um plano de vingança contra todos os habitantes de Dungatar.

Passou-se um mês desde que vi o The Dressmaker e ainda não consegui formular uma apreciação final sobre o mesmo. De uma maneira geral, o veredicto é positivo. Não nego que o desenrolar poderia ter sido mais criativo e empolgante, mas a partir do momento em que Tally consegue, finalmente, ser feliz, a obra passa de um drama romântico pouco entusiasmante para um inesperado filme de vingança com pitadas de humor negro geniais.

Ao contrário da esmagadora maioria de produções cinematográficas, o final eleva o resto do filme. Ainda assim, e nem com as interpretações impecáveis de Kate Winslet, Judy Davis e Hugo Weaving, conseguiram compensar por uma primeira parte um tanto ao quanto entediante e com algumas falhas chocantes na caracterização.


Classificação IMDb: 4.7/10
Classificação Ghostly Walker: 2/10



Numa tentativa de se reaproximar de Summer, a problemática filha adolescente, Maggie decide fazer uma viagem a Itália, local onde vinte anos antes passou os melhores meses da sua vida. No processo, reencontra Luca, um italiano por quem estivera loucamente apaixonada há duas décadas atrás, mas Maggie terá que lidar com as constantes tentativas de fuga de Summer, que está decidida a voltar para New York.

Existem alturas da nossa vida em que questionamos as nossas acções. Ver este filme foi uma delas. Pensar que em tempos a Sarah Jessica Parker era uma actriz relevante e agora tem que recorrer a papéis ocos e sem qualquer conteúdo como este.

Ainda não consegui compreender o porquê desta história absolutamente irrelevante e de um amadorismo chocante, ter sido produzida. O núcleo de actores é minimamente competente, mas os papéis são muito, muito maus e sem qualquer espaço para crescimento. Passei o tempo inteiro como uma criança numa viagem de carro, "já está quase a acabar?".

All Roads Lead To Rome é uma "comédia" romântica que de cómico não tem nada. O elenco conta ainda com Raoul Bova, Rosie Day, Paz Vega e Claudia Cardinale.


Classificação IMDb: 6.6/10
Classificação Ghostly Walker: 4/10
Quando ainda era muito jovem, o chef Adam Jones conheceu a fama, fortuna e reconhecimento internacional que lhe valeram duas estrelas Michelin. A promissora carreira gastronómica cai por terra devido a vaidade e consumo de drogas. Agora, Adam decide colocar a sua vida nos eixos e começar do zero em Londres, Inglaterra, na esperança de abrir um restaurante que arrebate os clientes e o faça merecer uma terceira estrela. Para que o sonho se torne realidade, vai precisar de uma equipa que esteja tão motivada como ele e que consiga corresponder às suas expectativas.

Destruído pela crítica, estava à espera de pior. Embora não seja a produção mais interessante ou original de todos os tempos, não é o lixo que descreveram. Com um protagonista arrogante a partilhar o humor de cão do mediático chef Gordon Ramsay, escusado será dizer que a personalidade explosiva e auto-destrutiva de Adam Jones foi um dos factores positivos da obra.

A prestação de Bradley Cooper foi segura e convincente, mas não o suficiente para elevar uma narrativa tão aborrecida. Ao fim ao cabo trata-se de uma jornada culinária e existencial que, sem o protagonista, não tem qualquer tipo de interesse.


Já viram algum dos quatro filmes? Qual é o vosso favorito e o que gostaram menos?

9 comentários:

  1. Vi apenas o último e gostei, talvez por envolver culinária, vertente que admiro, achei interessante, mas admito que se não fosse por essa razão o filme não passava de mais um.

    ResponderEliminar
  2. Vi o Dressmaker e o Burnt. Gostei do primeiro, do segundo nem por isso... Confesso que não fiquei com muita vontade de ver os outros dois de que falas aqui =P

    ResponderEliminar
  3. Eu não desgostei muito de "The Duff". Dá para passar o tempo e para mim há comédias românticas bem piores. Mas o filme realmente não deixa de ser cliché, como geralmente são estes filmes.

    Apesar de nunca ter visto os outros filmes já tinha ouvido falar deles. Provavelmente o único que me traz mais curiosidade é o "The Dressmaker". Em relação ao "Burnt", por acaso as críticas que tenho ouvido são boas. E admito que ter descoberto, agora, que o Daniel Brühl também participa neste filme, é capaz de me fazê-lo ver mais cedo do que o suposto.

    ResponderEliminar
  4. Dos que falaste ainda só vi The Duff e The Dressmaker.. O primeiro não gostei muito porque para mim foi mais do mesmo e se tivessem adaptado mais do livro teria ficado muito melhor. Quanto ao segundo eu gostei apesar do filme estranho que é.. e concordo contigo o final é o melhor que o filme tem.. :D
    Tenho alguma curiosidade com o The Burnt e acho que o vou ver brevemente.. a ver o que vou achar..

    ResponderEliminar
  5. Não vi nenhum desses, mas o Dressmaker já me tinha despertado a atenção. Vou ter de espreitar esse :)

    ResponderEliminar
  6. Gostei bastante de Burnt e da prestação de Bradley Cooper, um dos meus atores de eleição :)
    Bom fim-de-semana :)

    http://gestoolharesorriso.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  7. De todos só vi o Burnt e gostei muito :) Vi-o no cinema e é um filme agradável de se ver, com uma boa interpretação do Bradley Cooper. Mas confesso que o maior atractivo do filme é o seu tema, eu adoro tudo o que envolve culinária e os bastidores da alta cozinha é algo que fascina-me :)

    Linha Reta | Facebook | Instagram | Pinterest

    ResponderEliminar
  8. I have seen the first and last movie... i will probable give the same rate as you have.

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...