Pages

segunda-feira, 14 de março de 2016

Amor à primeira vista: mito ou realidade?

Amor à primeira vista. Um processo mítico no qual os olhares de duas pessoas se cruzam e são automaticamente atingidos pela flecha do cupido. Durante vários anos acreditei piamente neste fenómeno mas, com o passar do tempo, estou cada vez mais convencido do contrário. 

Com estudos tanto a favor como contra esta teoria, resta-me optar pela explicação mais lógica: a química. Cientificamente falando, as hormonas são um verdadeiro cavalo negro nas relações entre seres humanos. Através do odor, imagem e voz, pode desencadear-se uma resposta química imediata que corresponda à paixão - a fase anterior ao derradeiro Santo Graal, o amor.

Por muito que a minha veia romântica torça o nariz, não há como fugir aos factos, o "amor à primeira vista" não é possível, mas a paixão sim. Geralmente, o que acontece com a maioria das pessoas é uma atracção inicial, puramente sexual. Lamento imenso mas, quando olhamos para alguém pela primeira vez, reparamos no seu aspecto físico e não no seu coração bondoso. Ponto.

O desejo, a paixão e o amor estão todos conectados com as hormonas sexuais e neurotransmissores que influenciam o nosso cérebro e nos fazem passar por várias etapas do relacionamento amoroso. Não se trata de uma história à conto de fadas como os clássicos da Disney ou produções Hollywoodescas insistem em transmitir.

Na primeira fase, existe uma atracção e desejo sexual extremamente forte e a pessoa deixa-se levar pela emoção. Da atracção para a paixão é um pulo. Entramos num estado de transe em que ficamos completamente fascinados com o nosso parceiro, embriagados em luxúria e convictos de que aquele é o tal

Borboletas na barriga, mãos suadas e o pensamento preenchido pelo outro. É o chamado "período de lua-de-mel" que pode durar até dois anos, dizem os especialistas. Este é um dos motivos pelos quais muitos casamentos terminam abruptamente. Certos casais precipitam-se e casam-se logo no início da relação. Passada a fase encantada dos unicórnios e arco-íris, só os verdadeiramente sólidos continuam de pé.

Como tudo na vida, existem excepções à regra mas, não passa de pura coincidência. Só porque em alguns desses casos da troca de olhares/atracção nasce uma paixão que, posteriormente, evolui para algo romântico, não significa que tenha sido fruto de "amor à primeira vista".


Acreditam no amor à primeira vista? Já passaram por isso?

21 comentários:

  1. Concordo plenamente com aquilo que escreveste!
    Amor implica conhecimento e cumplicidade. Inicialmente, aquilo que sentimos é atracção que pode ou não levar a paixão.
    Nunca senti algo que me levasse a pensar que seria amor à primeira vista (ou até mesmo paixão), nem conheço ninguém que diga que isso já lhe aconteceu. Penso que só mesmo em filmes é que isso acontece ;)

    ResponderEliminar
  2. Eu nunca tinha acreditado em amor à primeira vista, até que vi no final de uma aula, um rapaz por quem o meu coração rebentou (hoje, é meu namorado e já o é há mais de 1 ano).
    Olha que eu pensava que tinha sido amor, mas depois de ler o texto, se calhar já não é bem assim :P
    Engraçado como podemos mudar a perspectiva da coisa, não é? Gostei muito! E acho que se calhar acabas por ter razão! Se nunca falámos com a pessoa, como podemos amá-la? Acho que isto dava um assunto com pano para mangas. Gostei sim senhor :)

    um beijinho*
    Dreams and Lemonade

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente. Quando o viste no final da aula, o que te encheu as medidas foi o seu aspecto físico, postura, voz, etc. Como disseste, e bem, se nunca tinham falado, como poderias amá-lo? A atracção é um fenómeno extremamente poderoso.

      Eliminar
  3. Acho o mesmo. O amor não é algo que seja tão rápido, é sentimento que vem com o tempo, que amadurece. A paixão é rápida, a química pode ser instantânea. Mas claro que tudo isto pode tornar-se amor :)

    ResponderEliminar
  4. Acho que não existe isso de amor à primeira vista, como tu dizes. Pode sim haver aquela química arrebatadora, mas o amor em si não nasce num olha fugaz, mas sim com o tempo.

    ResponderEliminar
  5. Concordo plenamente contigo. Paixão e atracção sexual? Sim, claro que sim! Amor? Ahah pois 'tá bem, 'tá :p

    Jiji

    ResponderEliminar
  6. hmmm... acho que acredito numa ligação, podes sentir uma "química" com uma pessoa logo de imediato mas não amor, acho que isso se constrói *

    ResponderEliminar
  7. Eu não acredito e também sou da opinião que possa haver excepções à regra. Eu, como nunca passei por algo semelhante, não acredito.

    Beijinhoos****
    Cantinho da Suu

    ResponderEliminar
  8. Concordo completamente. Quando li o título do post, antes de clicar para ler, foi exactamente isto que me ocorreu: não existe. O amor é uma coisa que só se conquista passado muito tempo. Como costumo dizer, aguentem três anos e só depois disso venham falar comigo sobre relações. Namoro há séculos com a mesma pessoa e recordo-me de todas as fases - da obsessão inicial, das complicações e de quando finalmente tudo ficou equilibrado. É uma coisa que demora. Mas compensa :)

    Aonde (não) estou

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como te compreendo! Também estou numa relação há alguns anos e passei por estas mesmas fases. Muitas vezes dizia o mesmo a amigos meus, "aguentem dois, três anos e depois falamos" haha.

      Eliminar
  9. "o que acontece com a maioria das pessoas é uma atracção inicial, puramente sexual. Lamento imenso mas, quando olhamos para alguém pela primeira vez, reparamos no seu aspecto físico e não no seu coração bondoso" - Ando a tentar explicar a minha visão deste modo há IMENSO tempo, mas a resposta "falamos quando sentires" continua a ser frequente.
    Tal como disseste, acredito que haja uma atração/paixão, mas amor não. Não é por olhar para uma pessoa que vou saber se vou gostar do que gosta ou até mesmo da personalidade. O que vou saber é se lhe "acho graça" ou não.

    ResponderEliminar
  10. Discordo em algumas partes, mas concordo no essencial. Quando me sinto atraída inicialmente por alguém não é (ou vai muito mais longe que) uma atração puramente sexual. É verdade que nunca me senti atraída por alguém apenas pelo seu aspeto físico, por isso não serei o melhor exemplo neste caso, mas quando conheço alguém com quem já falei algum tempo e sobre quem já tenho uma ideia formada sinto-me atraída para essa pessoa pelo conjunto, e mesmo a atração física não é logo uma coisa sexual - é a atração para a segurança que aquela pessoa projeta em mim, e às vezes uma projeção minha do que já sei sobre aquela pessoa (por exemplo, se acho que aquela é uma pessoa calma e serena, vou tentar descobrir isso na sua maneira de estar e, se encontrar, dá-se uma atração). A parte da atração sexual descontrolada vem, para mim, um bocadinho mais para a frente, e é sempre baseada na personalidade e maneira de estar da pessoa.

    Mas sim, o amor à primeira vista não existe (tenho pena!). E olha que até fico grata por viver numa época em que as pessoas têm tempo para se conhecerem devidamente. Na minha última relação estávamos tão apaixonados que, tenho a certeza, teria havido casamento passado poucos meses, se a época fosse outra... e passado um ano estaríamos presos numa relação infeliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A atracção que refiro no texto é sobre o momento em que olhamos pela primeira vez para alguém. Sem se conhecerem ou terem qualquer ideia formada acerca da pessoa em questão, o único motivo pelo qual ela lhe chama à atenção, é pelo aspecto físico ou alguma característica saliente. O exemplo que referes é completamente diferente, já é numa fase em que existe algum contacto e conhecimento sobre a sua personalidade, gostos pessoais, etc. Aí sim, concordo completamente que a componente física perca drasticamente a importância :)

      Eliminar
  11. Eu acredito numa química à primeira vista! , já me aconteceu algo do género, essa rapariga tem o sorriso mais lindo do mundo.. não quero falar nisso,im gonna cry :'(
    haha.. homens não choram, pelo menos não em publico xD , mas sim existe uma química que depois se pode transformar numa paixão ou num amor, é como tudo na vida, só com o tempo é que descobre se, era de facto "amor à 1ª vista" ,porque se correr mal ou nem chegar a acontecer nada foi só uma coisa fugaz, espero ter-me explicado bem :) cumprimentos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo que mais tarde surja uma relação, é impossível nascer amor de uma simples troca de olhares. Podemos achar piada a alguém mas, amor é um sentimento que só aparece graças a um conjunto de outros factores como a confiança e companheirismo, por exemplo :)

      Eliminar
  12. Concordo em pleno! Acho esta temática muito interessante, pela importância que tem saber discernir a paixão do amor. Atirar-se de cabeça no geral nunca corre bem.
    xx, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar
  13. Realmente, por vezes, confundimos o amor com a paixão, sendo que acredito na "paixão à primeira vista", mas tal como disseste o "amor à primeira vista" é difícil, porque só podemos amar verdadeiramente e eternamente se conhecermos a pessoa.

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Olha, eu nunca vivi mas acredito que ele anda por aí. É o que eu costumo chamar "relações furacão". Ficas tão hipnotizado que parece que deixas de ser tu próprio... é bom, mas também tem o seu lado chato.

    Já da fase "lua-de-mel" muito me contas, julgava que durava só 6 meses, um ano no máximo :P depois a paixão desvanece um pouco e começa o trabalho, a dedicação, etc. E é aí que a coisa descamba, na maior parte dos casos, claro!

    ResponderEliminar
  15. Atracção, paixão, o que for, à primeira vista sim, é possível. Amor não. Porque o amor é outra coisa. Na minha visão das coisas, amar alguém ao fim de cinco minutos não é possível. Era muito bom se assim fosse, talvez o mundo fosse um lugar mais bonito (ou então não) mas é o que temos!

    ResponderEliminar
  16. Eu não sei se alguma vez acreditei neste conceito, apesar de ele ser bastante apelativo, mas desde há uns bons anos para cá que acho que o conceito roça um bocado no ridículo. Exactamente... se quiserem dizer, nisto dos relacionamentos, que há alguma coisa que acontece logo à primeira vista, então que vão pela atracção física que isso sim já dá.

    Adorei o teu terceiro parágrafo. Eu também sou dessa opinião. Nunca percebi muito bem qual é a fobia de algumas pessoas em assumirem semelhante detalhe. Parte do paixão/amor que se sente por alguém tem por base o aspecto físico dessa pessoa, e isto não faz de nós más pessoas ou algo do género.

    ResponderEliminar
  17. É um conceito bonito para os filmes, mas a nossa real opinião é que o amor se constrói. Não se constrói em torno do nada. Claro que tem que haver a atracção química, mas ele constrói-se com o convívio um com o outro. A partir daí uns casais acabam por construir uma amizade que muitas vezes é confundida com amor.
    Nós esperamos não cair nesse engodo. O nosso objectivo é fazer como aqueles avós exemplo que poderiam muito bem ter uma história como o Up - Altamente!

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...