Pages

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Séries | Welcome to the Family #2















Contra as recomendações de qualquer especialista, as horas que passo em frente ao computador a ver séries continuam a subir. Em Novembro, quando escrevi a primeira publicação desta rubrica, acompanhava 44, e com a chegada do reforço de ano novo, a lista aumentou para 54. Aos 6 projectos recém-nascidos, juntaram-se outros três com dois/três anos de vida, mas que só agora comecei a assistir, e um renascimento. Todas as classificações atribuídas a produções com apenas alguns episódios no ar estarão sujeitas a mudança até ao final oficial da temporada, ou seja, Lucifer, por exemplo, tem um 7/10 mas poderá subir ou descer consoante o "apanhado geral".

Como entretanto já tenho outras duas para acrescentar à colecção (sim, já vai em 56) que ficarão para o próximo volume, o melhor é passarmos à apresentação, aleatória, dos novos membros da família.

#1. The X-Files
NOTA: 9/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: Na série original, dois agentes do FBI trabalhavam no departamento de casos misteriosos, intitulado "X-Files". Fox Mulder (David Duchovny) dedicava-se a desvendar o oculto enquanto Dana Scully (Gillian Anderson) era a médica céptica que deveria colocar as teorias do colega à prova. Treze anos depois, Mulder e Scully estão separados. Ele está desempregado e ela exerce num hospital, operando crianças com mal-formações. Reunida novamente por Tad O'Malley (um popular teórico da conspiração e apresentador de um programa na internet que acredita ter descoberto uma grande conspiração governamental), a dupla fica a saber informações chocantes que vão questionar tudo em que Mulder sempre acreditou sobre a existência de alienígenas e o papel do governo para encobri-los.

OPINIÃO: Uff, escrever uma sinopse de um tv show fora do ar há quase 14 anos é obra! Deduzo que todos conheçam minimamente o enredo, mas não é de mais recordar. Referi algumas vezes em publicações ou tags sobre séries, que os X-Files eram uma das minhas favoritas desde criança. Comecei a vê-la por influência do meu pai e pergunto-me se não será daí que nasceu a minha paixão pelo mundo sobrenatural. 

Os "Ficheiros Secretos" (em português), transformaram-se num clássico de ficção científica numa época em que a internet ainda dava os seus primeiros passos. Estreou em 1993 e as 9 temporadas fizeram tanto sucesso que conquistaram 16 Emmy's e 5 Globos de Ouro. Foram ainda produzidos dois filmes sobre a trama: The X-Files (1998) e The X-Files: I Want To Believe (2008). O regresso com apenas seis episódios agendados tem quebrado recordes de audiência à volta do globo, o que só comprova o impacto que esta produção teve na nossa geração. Até agora tenho estado a gostar da continuação da história, só espero que não seja a última. Quanto a vocês não sei mas, eu acredito!


#2. House of Cards
NOTA: 8/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: Após perder a oportunidade de exercer o cargo de Secretário de Estado, o congressista Frank Underwood (Kevin Spacey) inicia uma campanha sem escrúpulos para derrubar aqueles que o prejudicaram, incluindo o Presidente dos Estados Unidos da América. Apoiado pela sua mulher igualmente maquiavélica, o ambicioso e manipulador político será capaz até de matar para atingir os seus objectivos.

OPINIÃO: Com a quarta temporada para Março, sei que cheguei atrasado à festa, mas mais vale tarde do que nunca. Aclamada pela crítica como uma trama política complexa e muito bem desenvolvida, esta produção da Netflix é realmente fascinante. Por norma detesto este tópico, mas o Kevin Spacey é algo de mágico. A sua entrega ao papel do sociopata vingativo Frank Underwood, é ainda mais chocante por fazer com que o espectador seja o seu maior cúmplice  ele fala directamente para a câmara em alguns momentos. Involuntariamente, acabamos a torcer para que os seus esquemas dêem certo. Uma vez que expõe os bastidores da política norte-americana, ninguém tem moral na história, o que talvez explique o facto de parecer tão real. Não posso deixar de referir a outra peça-chave do tabuleiro, a soberba Robin Wright como a sofisticada, fria e falsa, Claire (a esposa). Com um elenco dramático de luxo e uma fotografia digna de muitos filmes  valendo-lhes um Emmy nas respectivas áreas —, House of Cards é a combinação perfeita de política, crime e drama, com direito a cenas sexuais e momentos de puro choque.

#3. Younger
NOTA: 7/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: Após um divórcio, Liza (Sutton Foster) tornou-se numa mãe solteira aos 40 anos. Ao tentar voltar a entrar no mundo laboral, descobre que é quase impossível recomeçar de baixo com a idade dela. Quando num encontro casual com um jovem de 20 e poucos anos num bar, ele a convence que parece mais nova do que realmente é, Liza mente, e diz ter 26 anos. Com a ajuda de uma makeover, cortesia da melhor amiga, ela ganha uma nova confiança e consegue um emprego de assistente numa Editora. Enquanto tenta tornar os seus sonhos realidade, vai ter que conciliar a sua "dupla identidade" e evitar ser descoberta.

OPINIÃO: Baseado no livro de Pamela Redmond Satran e criada por Darren Star (Sex and the City), Younger teve um sucesso tão grande entre a crítica que antes mesmo da segunda temporada estrear, foi renovada para uma terceira. O enredo parece um pouco descabido, é verdade. Afinal, como é que uma mulher de 40 anos se vai passar por uma de 26? Fácil, um plot simples com uma execução bem trabalhada. Claro que também ajuda que a actriz Sutton Foster, quarentona na vida real, tenha um ar jovial, mas nunca lhe daria menos de 35... Pormenores à parte, é uma comédia romântica com vinte minutos de puro entretenimento. O elenco é jovem, bonito, interessante e anos depois do "Sexo e a Cidade" ou até mesmo Gossip Girl, New York volta a ser a cidade onde os sonhos são possíveis. E sim, a Hilary Duff entra.


#4. Jane The Virgin
NOTA: 7/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: Jane Villanueva (Gina Rodriguez) é uma jovem religiosa que apesar de estar noiva do melhor amigo, um jovem polícia, prometeu à avó manter-se virgem até ao casamento. Durante um exame ginecológico de rotina, a médica troca a sua ficha e insemina-a artificialmente. O doador é um homem casado, um ex-playboy e sobrevivente de cancro, que por ironia do destino, é o proprietário do hotel onde Jane trabalha e o seu amor de adolescente.

OPINIÃO: Vou ser sincero, quando li a sinopse e vi que era do canal CW, pensei que fosse mais uma tentativa desesperada de criar uma história adolescente, mas desta vez, uma espécie de Virgem Maria do século XXI, focando-se no facto de ser uma santa. Sim, a ideia é abordada mas na brincadeira, como elemento cómico. Vencedora de um Globo de Ouro para Melhor Actriz de Comédia, a protagonista, Gina Rodriguez, é capaz de criar uma empatia tremenda com o público, fazendo-nos torcer por ela, e lutar afincadamente pelo rapaz que queremos que ela escolha. Como um deles, o playboy, parece um modelo e tem um corpo trabalhado, escusado será dizer que é o favorito do público feminino, mas para mim é lógico que o polícia Michael é a melhor opção.

Jane The Virgin pode não ter a melhor qualidade do mundo, mas a originalidade ao fazerem troça das novelas mexicanas, ao mesmo tempo que possuem um elenco multi-cultural, a avó que só fala em espanhol e um narrador hilariante, tornam esta série numa das que mais anseio ver todas as semanas. Como uma verdadeira telenovela, tem reviravoltas surpreendentes, quadrados amorosos, vilões, e a cima de tudo, o contraste de momentos cómicos e ternurentos.


#5. Telenovela
NOTA: 6/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: Ana Sofia (Eva Longoria) é a estrela e protagonista de uma novela espanhola de sucesso mas que na verdade... não sabe falar espanhol. Forçada a trabalhar com o ex-marido quando é escolhido como seu interesse romântico na tela, o drama real começa quando as câmaras param de gravar.

OPINIÃO: Ao contrário do que possam pensar, Telenovela não é uma daquelas histórias que nos envolvem de tal maneira que ficamos com a lágrima no canto do olho. Trata-se de uma caricatura às novelas mexicanas e todos os seus clichés  falta de jeito para representar, homens musculados e constantemente semi-despidos, os cabelos enormes cheios de laca e os vestidos demasiado justos e decotados, por exemplo. Tinha tudo para resultar mas falta um ingrediente fulcral: piada. Como é possível uma comédia não soltar uma única gargalhada? Simples, uma narrativa preguiçosa, chata e forçada. O elenco até é bom, mas quando o que têm para trabalhar é uma imitação barata da novela do pai da Jane The Virgin, que por sua vez já é uma sátira, é complicado. É a inception versão telenovela. Gosto da Eva Longoria desde os tempos de Gabrielle Solis nas Desperate Housewives (adorava essa série), mas só continuo a aturar isto porque são 20 minutos que ajudam a passar o tempo.


#6. Ash vs Evil Dead
NOTA: 9/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: 30 anos após os acontecimentos de Evil Dead, Ash tornou-se num solitário que sucumbiu a uma vida monótona, evitando responsabilidades, maturidade e o terror dos mortos. Quando uma praga "Deadite" ameaça destruir a humanidade, Ash é finalmente forçado a encarar os seus demónios  interior e pessoalmente. De serra eléctrica em punho (literalmente), vai ter que aceitar o seu destino de anti-herói e lidar com o passado de uma vez por todas.

OPINIÃO: Hilariante, sarcástica e absolutamente genial. Co-produzida pelo próprio Sam Raimi, o homem responsável pelo clássico Evil Dead de 1981, Ash vs Evil Dead é uma das melhores produções televisivas que vi recentemente. Tenho imensos remorsos de não a ter acompanhado no ano passado, visto que, graças a uma primeira temporada fantástica, entraria com certeza para o meu top 5 de "Best TV Shows of 2015". Terem como protagonista o único sobrevivente do filme, só por si é excelente, mas o facto da narrativa ser genuinamente cómica e sarcástica, e simultaneamente fiel ao terror e gore do original, é a melhor combinação possível. Além do mais, os efeitos especiais são francamente bons. Até o meu irmão que não costuma achar piada a este género, acabou com os 10 episódios de meia-hora em três dias.


#7. Wayward Pines
NOTA: 7/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: Em busca do paradeiro de dois colegas, o Agente Ethan Burke (Matt Dillon), envolve-se num acidente de automóvel. Ao acordar no Hospital de Wayward Pines, descobre que ficou sem os seus documentos e telemóvel. Desconfiado com os habitantes da pequena cidade e as suas verdadeiras intenções, tenta contactar a esposa e filho, mas sem sucesso. Rapidamente o polícia se apercebe que está preso num labirinto de onde dificilmente conseguirá escapar.

OPINIÃO: No Verão passado a blogosfera estava pior que uma cadela no cio em relação a esta série e finalmente posso opinar. Aprecio mistérios e devorei os primeiros episódios, mas a qualidade foi descendo a pique. Li algures que a história tinha sido moldada para durar apenas uma temporada. Como a FOX mudou de ideias e resolveu encomendar uma segunda, tiveram que regravar o final de modo a haver continuidade. Problema: como foi gravada entre 2013/2014 e transmitida em 2015, há muitos actores que já têm outros compromissos, logo, provavelmente não poderão voltar. Consequência: o último episódio estava a correr tão bem, e estragam tudo nos últimos cinco minutos. O ultraje nas redes sociais foi tal, que o apelidaram de "pior final de sempre". 

Nunca morri de amores pelo Matt Dillon mas tenho que admitir que ele carregou a série às costas. Apoiado de interpretações seguras e convincentes da brilhante Melissa Leo (enfermeira Pam), Carla Gugino (agente Kate) e Shannyn Sossamon (a esposa), conseguiram captar a minha atenção em qualquer cena. O único ovo podre é o Ben (Charlie Tahan), que é das figurinhas mais tristes que já fui forçado a ver. Lamento imenso mas tanto a personagem como o jovem actor são tão irritantes que só queria dar-lhes um estalo para ver se acordavam. É que até a voz dele me tira do sério. Não querendo revelar spoilers, quem viu já Wayward Pines vai perceber quando digo que será uma segunda temporada PENOSA.


#8. Shades of Blue
NOTA: 6/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: Harlee Santos (Jennifer Lopez) é uma detective e mãe solteira que pertence a um grupo unido de polícias corruptos. Apanhada pelo FBI num acto ilícito, vê-se obrigada a trabalhar infiltrada para expor os esquemas ilegais em que os colegas andam metidos. Harlee vê-se num dilema, denunciar os amigos que ajudaram a criar a sua filha ou sacrificar-se por eles.

OPINIÃO: Não sou um maluco babado pela J.Lo  apesar de querer direcções para a fonte da juventude  mas quando soube que as audiências do seu novo projecto televisivo tinham disparado, precisava saber o porquê. Infelizmente foi o que temi, é por ser ela. Não há absolutamente nada de inovador. Shades of Blue é apenas mais um no mar de dramas sobre polícias, crime e corrupção. Acompanhada dos veteranos Ray Liotta e Drea De Matteo no elenco  a única razão pela qual ainda não desisti da trama  a Lopez pode não ser a melhor actriz do mundo, mas também não acho que esteja a fazer um mau trabalho. A série não é terrível, é mediana, mas é incrivelmente genérica. Estou há cinco episódios a tentar compreender o porquê de colocarem a brilhante Drea no poster oficial, se ela é tão irrelevante como qualquer um dos outros colegas da esquadra. Pode ser uma jogada de marketing inteligente mas para mim tem outro nome, publicidade enganosa. 


#9. Lucifer
NOTA: 7/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: O Diabo chegou a Los Angeles. Entediado e infeliz como Rei do Inferno, Lucifer Morningstar (Tom Ellis), abandonou o trono e mudou-se para a cidade dos anjos, onde é proprietário do clube nocturno Lux. Quando uma popstar é brutalmente assassinada à entrada do seu estabelecimento, algo desperta nele. Compaixão? Pena? Encarregue do caso, a detective Chloe Dancer (Lauren German) mostra-se imune aos talentos do Diabo para descobrir os segredos mais íntimos das pessoas. Intrigado com a sua pureza, Lucifer começa a auxiliá-la em investigações, enquanto se questiona se a sua alma ainda tem salvação.

OPINIÃO: Apesar de adorar o universo sobrenatural, tenho as minhas dúvidas. O Tom Ellis é uma excelente aposta, mas não sei até que ponto é o suficiente para suportar a série. A história é uma adaptação do universo DC Comics que, até agora, parece seguir o mesmo rumo que Constantine, só esperemos é que não tenha o mesmo fim (foi cancelada após 13 episódios). Não estava familiarizado com o trabalho da Lauren German mas achei piada que eles próprios fizessem troça do cliché da menina bonita que parece estar um pouco deslocada. Ainda está no início mas até agora têm-me entretido. Resta saber se continua assim.


#10. Second Chance
NOTA: 6/10 | TRAILER: AQUI

SINOPSE: A trama segue a vida de Jimmy Pritchard (Rob Kazinsky), um ex-xerife de 75 anos, moralmente corrupto e mais tarde forçado a aposentar-se. Depois de ser morto num aparente assalto na casa do filho, Pritchard é trazido de volta à vida no corpo de um homem mais jovem e forte, por dois génios tecnológicos e milionários, os irmãos gémeos Mary e Otto Goodwin. Apesar de ter uma segunda chance para viver, terá que escolher entre as suas antigas tentações e um novo propósito.

OPINIÃO: A alteração do título inicial, Frankenstein, para Second Chance foi a melhor decisão que a FOX podia ter tomado. Não bastava ser um clássico tão saturado pela indústria de entretenimento que, se mantivessem o nome original, seria um autêntico revirar de olhos. Pegando na figura do "monstro" que todos conhecemos, resolveram adoptar uma abordagem mais contemporânea, num misto de policial, drama e ficção científica. Sinceramente? Não consigo prever um futuro mais longo que uma ou duas temporadas. O Rob Kazinsky é um actor competente, mas está completamente abandonado no meio de um elenco sem brilho ou emoção. Começo a ver um padrão nestas novas séries, "será o protagonista capaz de levar a trama às costas"? Pareço um disco riscado, mas é a mais pura verdade. Com apenas quatro episódios no ar, ainda há esperança de conseguir inverter a situação.


Além de Wayward Pines acompanham outra das 9 séries? Ficaram curiosos com alguma?

23 comentários:

  1. E achava eu que acompanhar 10 séries já era muita coisa. Não acompanho nenhuma das que referiste, mas estou com alguma curiosidade acerca dos Ficheiros Secretos. A ver vamos se me dá para começar a ver ou não.

    ResponderEliminar
  2. Não ando a acompanhar nenhuma das series que mencionaste, mas a minha irmã vê Jane the Virgin e adora! E consequentemente anda-me a fazer a cabeça para eu começar a ver também eheh
    Gosto muito destes teus posts de recomendações porque acabo sempre a descobrir novas series, novas musicas e novos filmes :p (Novos ou pelo menos que eu não tenha visto)

    Beijinhoos****
    Cantinho da Suu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, ainda bem que gostas das minhas sugestões :)

      Eliminar
  3. Desta listinha vejo Jane the Virgin e Shades of Blue. Adoro Jane the Virgin e sinceramente devo ser a única ou das poucas pessoas que é tipo a Jane na escolha do parceiro, sempre a mudar, ahahaha muito indecisa. Quanto a Shades of Blue, sinceramente não estou a achar a série nada de especial, mas vai-se vendo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente não ficaste completamente rendida aos atributos físicos do Rafael e ainda ponderas o Michael! Frustrante é a maioria não concordar...

      Eliminar
  4. De todas as que falaste, só fiquei curiosa com a Wayward Pines, House of Cards e The X Files. Quando umas das minhas acabar, começo a ver uma destas :) Mas a Wayward Pines e The X Files parecem mesmo assustadoras x)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava convencido que todas as pessoas conheciam pelo menos os "Ficheiros Secretos" mas parece que estava enganado. É uma série excelente se gostares do género sci-fi/drama. O medo é subjectivo, mas não considero que esteja presente nesta :)

      Eliminar
  5. oi, oi.

    eu tô assustado com a quantidade de seriados. gente, é muita coisa! eu ando vendo pouco seriado pq queria descansar um pouco, mas já tô voltando pra minha fase de "louco por seriado", já que TWD tá voltando. :)

    eu to acompanhando tbm Younger e devo concordar com a personagem não aparenta menos de 30 anos, mas, de qualquer forma, acho a história bem fofinha pra ver. fico sempre torcendo pra dá tudo certo pra quarentona. :D

    abç!
    Não me venha com desculpas

    ResponderEliminar
  6. Ah, já começaste a ver o House of Cards :) Eles são soberbos sem dúvida. O X-Files também estou a acompanhar, claro! No meu caso foi por influência da minha mãe, que adorava a série e deu-me a conhecer quando ainda era miúda. De resto não conheço mais nenhuma série. É impossível acompanhar-te nisto, 54 é obra! Mas relativamente à Lucifer, é curioso o que escreveste porque o Tom Ellis protagonizou também a série Rush, que nunca passou da primeira temporada - ou seja, efectivamente não parece ter sido suficiente para suportar a série.

    ResponderEliminar
  7. Não conhecia nenhuma dessas séries, mas fiquei extremamente interessada na "The X-Files" e na "Wayward Pines". Só tenho pena de não ter tempo, nem para acompanhar as minhas preferidas, que entretanto já têm imensos episódios novos que eu ainda não vi.

    ResponderEliminar
  8. Adoro séries tenho de ir ver essa da Jane The Virgin, fiquei curiosa. As outras já tinha ouvido falar ^^
    http://neverforgottenmercury.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  9. Parece muito mal admitir que não sigo nenhuma série?! Ahahah! :D
    Beijinhos grandes e muitas felicidades! <3
    http://chamammepequenita.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. X Files e House of Cards são parte da minha lista e recomendo também :D

    ResponderEliminar
  11. Gostei bastante de Wayward por acaso, excepto do fim! Ahah. De resto vejo Younger que até me surpreendeu, é bastante engraçada. Fiquei extremamente interessada em ver Ash vs Evil Dead, parece o meu tipo de série! Tenho que dar uma espreitadela.
    The Fancy Cats

    ResponderEliminar
  12. Eu confesso que achei graça à Lucifer e fiquei interessada na House of Cards, já ouvi dizer que essa é muito boa :)

    ResponderEliminar
  13. De todas, só vi Wayward Pines. Deixei os últimos dois episódios da temporada por ver, mas a minha mãe e a minha irmã decidiram presentear-me com uns spoilers. Pelo que elas disseram, foi uma tremenda estupidez a forma como acabou a primeira temporada. Eu li o primeiro livro depois de ver alguns episódios, acho que vale mais a pena. Beijinho,
    neptunesecrets.blogspot.pt // facebook

    ResponderEliminar
  14. Destas só conheço a House of Cards. E tenho curiosidade em ver a Wayward Pines.

    ResponderEliminar
  15. Ora bem... em primeiro lugar fico feliz que tenhas incluído House of Cards logo no início porque isso sim é uma grande série!
    Quanto à série Lucifer, não sei se notaste o mesmo que eu mas não há assim uma série fixe ou especial, com esse tema: anjos e demónios.
    Mesmo a Constantine como ficou tão aquém dos comics, acabou por desiludir bastante...

    Já agora, não sei se chegaste a ver Sons of Anarchy? Eu não me canso de aconselhar esta série porque acho que está brutalíssima!

    ResponderEliminar
  16. Isso é que é ver série.. :D
    Da tua lista há algumas que eu quero muito começar a ver como House of Cards, Younger, Wayward Pines..
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  17. Bem... E eu a pensar que via imensas séries.
    Conheço as duas primeiras séries, embora nunca tenha visto nenhum episódio delas. Desta lista, são provavelmente as séries que gostaria de ver num futuro, talvez não tão próximo quanto quereria. Das restantes, só conheço apenas a "Jane the Virgin", que é simplesmente uma série que eu adoro. É daquelas séries que não se dá nada pelo nome e pela sinopse inicial, mas na realidade está muito bem construída e é, acima de tudo, hilariante.

    ResponderEliminar
  18. House of Cards é aquela que eu tenho MESMO de ver *.*

    Cátia »« Blog Meraki

    ResponderEliminar
  19. De todas a única que vejo é a fantástica House of Cards, adoro séries que envolvam política e seus bastidores. Tenho muita curiosidade em ver algumas da tua lista, como Second Chance, Lucifer, Wayward Pines ou Ash vs Evil Dead. Esta última acho que vou adorar, porque é de terror e adoro essa temática :)

    Linha Reta | Facebook | Instagram | Pinterest

    ResponderEliminar
  20. "Shades of Blue" só conseguiu "prender-me" no último episódio. Se isso não tivesse acontecido, acho que já não via o próximo.

    "Lucifer" só comecei a ver por causa da Lauren German. Muitas saudades da Shay de "Chicago Fire". Adoro a actriz (e, sim, também porque ela é liiiiinda). Gostei muito do primeiro episódio, mas depois comecei a ficar desiludida. No entanto, espero que coloquem a pequerrucha, filha da Chloe, em destaque, porque ela é um amor.

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...