Pages

domingo, 21 de fevereiro de 2016

CINEMA | Pocket Reviews #15




Classificação IMDb: 7/10
Classificação Ghostly Walker: 5/10



Um desmoronamento faz com que a única entrada e saída de uma mina seja lacrada, prendendo 33 mineiros a mais de 700 metros a baixo do nível do mar. Sem escapatório e sob temperaturas elevadas, os homens são liderados por Mario Sepúlveda (António Banderas), no racionamento do pouco alimento disponível e sanidade do grupo. Simultaneamente, o Ministro da Energia Laurence Golborne (Rodrigo Santoro) faz o possível para conseguir que os mineiros sejam resgatados, face dificuldades técnicas e o próprio tempo.

Baseado no livro Deep Down Dark de Héctor Tobar, The 33 conta a verdadeira história do grupo de homens que ficou preso numa mina no Chile em 2010. Pouco sabia deste caso sem ser o que vi nos noticiários da altura. Caricatamente, esta produção é muito superficial. Existe uma tentativa enorme de sensibilizar o espectador, mas o produto final é bastante pobre.

Intrigado, foi com enorme decepção que voltei a testemunhar uma versão Hollywoodesca de um tema que não é seu por direito. Embora a performance de Juliette Binoche seja um dos destaques do filme, é no mínimo ofensivo vê-la numa versão "acastanhada", fazendo-se passar por uma vendedora de comida chilena. Não conseguiam encontrar uma actriz latina para o papel? Quanto a António Banderas, só conseguia pensar "ele sempre foi um actor assim tão mau?".


Classificação IMDb: 6.2/10
Classificação Ghostly Walker: 5/10
Alex, Emily e o seu filho RJ, mudaram-se recentemente para Los Angeles. Um encontro casual num parque infantil apresenta-os aos misteriosos Kurt, Charlotte e Max. Um jantar familiar amigável, rapidamente se torna mais interessante com o passar da noite.

O escritor-realizador Patrick Brice conseguiu encontrar o quarteto de actores perfeito para desempenhar personagens tão ansiosos por despertar o nosso lado mais petulante, obsceno. 

Adam Scott (Parks and Recreation), numa versão mais centrada e insegura, é igualmente cómico, enquanto Taylor Schilling (Orange is the New Black), consegue passar de completamente louca para a pessoa mais séria do mundo sem perder a compostura.

The Overnight é uma comédia sexual sobre amor, amizade e as linhas turvas entre os dois  algo abstracto que todos procuramos, uma ligação humana livre de juízos de valor. Apesar da premissa interessante, não me convenceu. Não existe qualquer substância, acabando por roçar no absurdo.


Classificação IMDb: 6.7/10
Classificação Ghostly Walker: 5/10



Infeliz, deprimido e sem motivação, o professor de Filosofia Abe Lucas, mudou-se para uma nova cidade, onde vai integrar o Departamento de Filosofia da Universidade de Braylin, e se envolve com duas mulheres bem distintas: Rita Richards e Jill Pollard. A primeira é uma professora solitária cujo desejo é libertar-se da infelicidade do seu casamento; e a segunda é uma aluna inteligente que se sente atraída pela sabedoria e desespero existencialista de Abe. Ao ouvir a conversa de uma desconhecida sobre uma decisão judicial, algo sem o mínimo impacto para o professor, a vida de Abe Lucas vai alterar-se drasticamente, ganhando um novo propósito.

Sinto-me esgotado só de escrever a sinopse. Começo a questionar a sanidade mental do Woody Allen. Pensar que o Midnight in Paris, que adorei, veio do mesmo homem capaz de criar este desastre. O único ponto positivo são as interpretações convincentes de Joaquin Phoenix, Emma Stone e Parker Posey.

O final de Irrational Man é uma valente chapada na cara do espectador que, até ali, se tinha mantido minimamente investido numa história ligeira e extremamente preguiçosa. Fica a sensação que o cineasta mudou de ideias a meio do filme, esquecendo a caricatura dos círculos intelectuais e indivíduos depressivos, sabotando-se a ele próprio. Uma pena.


Classificação IMDb: 6.3/10
Classificação Ghostly Walker: 6/10
As irmãs Jane e Maura ficam em choque quando os pais lhes comunicam que vão vender a casa da família e que elas precisam arrumar os quartos e buscar as seus pertences o quanto antes. Contrariadas, acabam por se conformar com a decisão. Assim, de forma a encerrar esse capítulo da sua vida, as irmãs resolvem fazer uma festa em honra do passado, e convidar todos os colegas/amigos da juventude. Um encontro aparentemente inocente, transforma-se em algo de proporções inesperadas que os levará de volta para a adolescência. 

Sim, é o típico filme de Domingo à tarde mas é esse o propósito. A premissa não é original ou sequer interessante, mas com um elenco rico em comediantes e ex-integrantes do SNL (Saturday Night Live), os risos estão garantidos, mesmo que em doses escassas.

Com realização de Jason Moore, argumento de Paula Pell e liderado pelo duo dinâmico Amy Poehler e Tina Fey, Sisters é uma tentativa falhada de replicar um género cinematográfico mais que esgotado e com 1h a mais de duração. As actrizes podem ser titãs de skits televisivos, mas na grande tela, não conseguem fazer frente a uma Kristen Wiig.

Já viram algum dos quatro filmes? Qual é o vosso favorito e o que gostaram menos?

9 comentários:

  1. Não tenho visto filmes nenhuns ultimamente, o último parece engraçado! Comecei a ver Ash vs the evil dead por sugestão tua e estou a adorar aquilo , haha :)
    beijinhos
    The Fancy Cats

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico feliz em saber que começaste a ver "Ash vs The Evil Dead" por sugestão minha! De facto é uma série fantástica :)

      Eliminar
  2. Eu só vi o irrational man e, francamente, gostei!! Não é o melhor filme de sempre mas achei-o intenso e amei que no final tivesse aquele twist, odeio filmes óbvios. O último nem curiosidade em ver tenho francamente, mas os primeiros dois sim, as tuas reviews é que me deixaram a pensar se valerá a pena :|

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também detesto filmes óbvios e adoro um bom "twist" mas, neste caso, parece que o Woody ignorou por completo tudo o que tinha contado na primeira metade do filme, e alterou a narrativa sem qualquer lógica ou fio condutor.

      Eliminar
  3. Hum, nenhum me cativa. Experimenta ver o "The Third Person" e depois diz-me o que achas.

    ResponderEliminar
  4. Continuo a ter curiosidade no primeiro filme mesmo depois de ler a tua opinião decepcionada acerca do mesmo.
    O 2º e o 3º não me despertam curiosidade absolutamente nenhuma e o último estou ansiosa para ver. R: Obrigada Ricardo :)

    ResponderEliminar
  5. O filme The Sisters parece ser de arromba mesmo! lol

    ResponderEliminar
  6. Não conhecia os primeiros dois filmes mas até que me parecem terem histórias algo interessantes, mais provavelmente o primeiro do que o segundo. No entanto são filmes que ficariam talvez para uma tarde de fim-de-semana em que não houvesse mais nada para fazer. O terceiro já conhecia mas nunca o vi; aliás, já ando há algum tempo para o fazer. O último filme é capaz de ter a sua piada mas se calhar não acrescenta nada de novo.

    ResponderEliminar
  7. Gostei muito do "33", não gostei nada do "The Overnight" - só o vi pelo cast e foi uma desilusão. O "Irrational Man" ainda não vi mas quero. As "Sisters" não me puxam...

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...