Pages

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

TGW Presents: Top 50 Albums of 2O15


Chegámos ao fim! Se têm prestado atenção, sabem que partilhei o "TOP 10 UNDERRATED SINGLES", "TOP 10 EP's", "TOP 10 MUSIC VIDEOS", "TOP 10 TV SHOWS", "TOP 10 ANIMATED MOVIES" e o "TOP 20 MOVIES". Para terminar em grande e me despedir de vez de 2015, porque não um TOP 50 com os melhores álbuns que ouvi no ano passado? No que me fui meter, é o que vos digo!

Como devem calcular não passo de um mero crítico amador, como tantos de vocês, portanto não levem a peito algumas das minhas opções. Normalmente gosto de fazer esta lista porque é fácil identificar quais os discos que consigo ouvir do início ao fim sem me cansar e aqueles que passado umas três faixas já estou farto. Dito isto, quero frisar que isso não significa que, por exemplo, um álbum que se encontre em #40 seja necessariamente pior ou menos tolerável que outro em #20.

Tenho plena consciência que colocar uma Ellie Goulding ou Fifth Harmony a cima da Florence + The Machine é uma afronta, mas tudo se resumo a qual disco eu gostei mais de ouvir. Cada pessoa tem os seus gostos pessoais, portanto é normal que discordem de algumas classificações ou omissões.

Se o vosso favorito não se encontrar na lista, é possível que não o tenha ouvido. Para ouvirem as minhas músicas favoritas de cada álbum, basta clicarem nos títulos em "MUST LISTEN".

Sem mais demoras, let the games begin!

50. Fleur East - "Love, Sax and Flashbacks"
49. Momford & Sons - "Wilder Mind"
48. Jess Glyne - "I Cry When I Laugh"
47. Adam Lambert - "The Original High"
46. Coldplay - "A Head Full of Dreams"
45. MS MR - "How Does It Feel"
44. Katherine Mcphee - "Hysteria"
43. Halsey - "Badlands"
42. Demi Lovato - "Confident"
41. Ciara - "Jackie"

40. Miley Cyrus - "Miley Cyrus and Her Dead Pets"
39. Kate Boy - "One"
38. Alessia Cara - "Know-It-All"
37. Ivy Levan - "No Good"
36. Drake - "If You're Reading This You're Too Late"
35. Hurts - "Surrender"
34. Benjamin Clementine - "At Least For Now"
33. Kelly Clarkson - "Piece By Piece"
32. Hilary Duff - "Breathe In. Breathe Out."
31. Soak - "Before We Forgot How To Dream"

30. Chvrches - "Every Open Door"
29. Little Mix - "Get Weird"
28. Josef Salvat - "Night Swim"
27. Kacey Musgraves - "Pageant Material"
26. Justin Bieber - "Purpose"
25. Disclosure - "Caracal"
24. The Weeknd - "Beauty Behind The Madness"
23. Florence + The Machine - "How Big, How Beautiful, How Blue"
22. Fifth Harmony - "Reflection"
21. Ellie Goulding - "Delirium"

20. Neon Indian - "Vega Intl. Night School"
19. FKA Twigs - "M3LL155X"
18. Melanie Marinez - "Cry Baby"
17. Madonna - "Rebel Heart"
16. Say Lou Lou - "Lucid Dreaming"
15. Marina & the Diamonds - "Froot"
14. Tame Impala - "Currents"
13. Years & Years - "Communion"
12. Selena Gomez - "Revival"
11. Brandon Flowers - "The Desired Effect"


.10.. Miguel  Wildheart
MUST LISTENCOFFEE | NWA | WAVES | FLESH | LEAVES | FACE THE SUN

Seguindo o mesmo tipo de composições marcadas por um intenso desejo sexual, loucura e agressividade, presente nos anteriores All I Want Is You (2010) e Kaleidescope Dream (2012), Wildheart é musicalmente mais refinado. Um disco coeso, marcado por um R&B hipersexual mas com uma alma e substância igualmente presentes. Ainda que seja o trabalho mais extenso lançado por Miguel  com quase 50 minutos de duração —, o cantor está mais confiante do que nunca e o facto de, apesar da constante evolução, se manter fiel ao seu estilo, faz com que seja uma presença importante na indústria musical.


..9.. Lana Del Rey  Honeymoon

Não é segredo para ninguém que a Lana Del Rey ocupa uma posição confortável no meu infinito top de cantoras favoritas. Depois de um segundo disco decepcionante, a cantora norte-americana resolveu presentear-nos com aquele que poderia ser o filho de Born To Die Ultraviolence. Elogiado pela crítica, em Honeymoon a cantora sustenta uma espécie de narrativa dramática que se estende da primeira à última faixa. Trata-se de uma selecção de vivências musicais, poemas de amor (que na voz da Lana mais parecem de luto), que retratam o sofrimento vivido pelos apaixonados.

Para minha felicidade, a grandiosa e sombria sonoridade orquestral mantém-se um dos pontos fortes da produção, envolvendo-nos, novamente, num sentimentalismo ao típico cinema Noir dos anos 1940/50, reforçando a veia cinematográfica do álbum. A anos luz do universo POP actual, a Lana continua fiel ao que estilo musical que a tornou famosa. Bravo.


..8.. Troye Sivan  Blue Neighbourhood
MUST LISTENBITE | BLUE (ft. Alex Hope) HEAVEN (ft. Betty Who) | YOUTH | TAKE ME DOWN | LOST BOY

Seguindo o sucesso do EP Wild, do qual falei (AQUI), o jovem youtuber lançou o primeiro álbum de estúdio, Blue Neighbourhood. Acompanhado de sintetizadores suaves e baterias electrónicas dignas de uma produção à la Lorde ou Taylor Swift  os "Hey!" ecoantes nas faixas "Wild" e "Fools" remetem-nos de imediato para uma "Bad Blood" — já recebeu elogios de nomes como Sam Smith e até Adele.

Nascido na África do Sul e criado na Austrália, o jovem de 19 anos afirma que as letras são autobiográficas, inspiradas nos subúrbios de Perth, cidade onde cresceu, e que considera o seu Blue Neighbourhood. Com uma sonoridade ao estilo de Broods, James Blake e Jessie Ware, a única crítica possível de se fazer é o facto de sofrer da mesma doença da Adele: todas as músicas são sobre desgostos de amor, mas tal como no caso da britânica, resulta de maneira sublime.


..7.. Sufjan Stevens — Carrie & Lowell

Sufjan Stevens é o derradeiro contador de histórias. No activo desde 1999, poucas foram as vezes que o cantor de Michigan partilhou o seu universo íntimo com tamanha clareza e sensibilidade, como em Carrie & Lowell. O sétimo trabalho de inéditas é mais que um regresso aos planos acústicos que o lançaram, é um verdadeiro confessionário sobre a sua conturbada estrutura familiar.

Desde a imagem desgastada da capa do álbum  o casal real Carrie e Lowell, a mãe e o padrasto  passando pelos versos e passagens comoventes, tudo peças do mesmo puzzle que contam a história da mãe esquizofrénica, depressiva e alcoólatra  que deixou o filho e ex-marido em meados dos anos 70, voltando a revê-los anos mais tarde quando casou com Lowell, e que morreu em 2012 vítima de cancro. Uma viagem emocionante apoiada do habitual violão e um controlo fora do comum de sentimentos, capaz de converter detalhes tão particulares em peças relacionáveis a qualquer ouvinte.


..6.. Dumblonde  Dumblonde

Assim que ouvi o EP homónimo com cinco faixas, no Verão passado, tive a certeza que esta dupla estava no caminho certo. Duas das ex-integrantes de um dos meus grupos de eleição de todos os tempos, as Danity Kane – a primeira girlband na história da Billboard a estrear os dois primeiros álbuns em nº1 – uniram forças e deram origem às Dumblonde. Contrariamente ao que possam pensar, o nome da colaboração pretende acabar com estereótipos que as cantoras experenciaram desde que entraram na indústria musical. 

O resultado é um álbum coeso que nos transporta para um período futurista dos anos 80. Criando, produzindo e editando todos os visuais dos vídeos, o duo não está para brincadeiras. Tenho noção que nem todos vão apreciar a sonoridade POP dance e que é quase um ultraje estarem posicionadas a cima de certos artistas, mas digo-vos que não há uma única canção que desgoste neste trabalho.


..5.. Adele  25
MUST LISTEN: HELLO | WHEN WE WERE YOUNG | I MISS YOU | WATER UNDER THE BRIDGE | SEND MY LOVE (TO YOUR LOVER)

Com uma lista interminável de recordes desde que foi lançado em Novembro do ano passado, 25 é descrito pela cantora como um "álbum de reconciliação consigo mesma". Embora Adele continue a lamentar dissabores românticos, desta vez não se encontra no papel da vítima que implora uma segunda oportunidade  tema central em 19 e 21  está mais segura de si e pronta para seguir em frente. Seguindo a fórmula de sucesso do trabalho anterior, poderosas baladas a piano  como o fantástico "Hello" que se mantém há 10 semanas no 1º lugar da Billboard Hot 100 — o segundo single "When We Were Young" ou a ode à maternidade, "Remedy".

Além da sonoridade a que já estamos habituados, é refrescante ouvir alguma experimentação com outros géneros musicais. Há uma guitarra aqui e ali como na animada "Send My Love" e na triste "Million Years Ago"; uma pitada de country/folk com "Sweetest Devotion", e um pé no território POP com uma "I Miss You" que nos remete para algo digno dos Florence and the Machine.


..4.. Jamie XX — In Colour
MUST LISTENSLLEEP SOUND | OBVS | GOSH | I KNOW THERE'S GONNA BE (GOOD TIMES) | LOUD PLACES feat. Romy

Brilhante, fantástico e sensacional. Começando pelo ritmo crescente que abre In Colour na faixa "Gosh", seguindo pelo jogo de ritmos que vão do dubstep ("Hold Tight") ao hip-hop ("I Know There's Gonna Be Good Times"), passando pela familiar sonoridade à la XX em "Loud Places", e terminando com a simplicidade de "Girl", Jamie XX fortaleceu a sua posição de génio musical.

Ainda que perto do material criado com The XX, é nítida a intenção do artista em produzir um som singular, original até. Deixando os tons cinzentos do grupo britânico, Jamie deixou a cor entrar na sua vida e eu não podia estar mais satisfeito.


..3.. Grimes  Art Angels
MUST LISTENFLESH WITHOUT BLOOD | REALITI | VENUS FLY (ft. Janelle Monáe) | ARTANGELS | BUTTERFLY | KILL V. MAIM

Três anos depois do aclamado Visions, a canadiana Claire Boucher, mais conhecida como Grimes, voltou com o quarto álbum de estúdio, o aguardado Art Angels. Após o mau desempenho do single "Goem 2014— canção originalmente escrita para a Rihanna e que pessoalmente adoro  e acusações de que a cantora se tinha "vendido", ela deitou todo o material fora e começou a reescrever um novo projecto do zero. Às vezes há males que vêm por bem. O génio musical canadiano experimentou com diferentes sonoridades e o resultado foram 14 faixas estranhas e mágicas. 

Se fiquei obcecado com a "Oblivion", o que dizer sobre a "Flesh Without Blood", uma das faixas mais interessantes que alguma vez lançou. Posso dizer-vos que só numa noite ouvi-a mais de 40 vezes e não, não estou a exagerar. Art Angels prova que o mundo POP e o alternativo podem conviver na perfeição, quando bem construídos através de uma produção coerente.


..2.. Carly Rae Jepsen  E•MO•TION

Apesar de ter ganho o jackpot com a "Call Me Maybe", não se pode dizer o mesmo sobre o, injustamente ignorado, álbum Kiss. Três anos depois, a Carly foi atingida pela febre dos 80's, e o resultado é o melhor disco POP do ano. Aclamado pela crítica como um registo coeso, melodias e composições brilhantemente trabalhadas, e experimentação com outros géneros musicais,  é uma vergonha que E•MO•TION não tenha sido um sucesso comercial e ignorado pelos Grammy's. Desde a dreamy "All That" (a minha favorita) produzida pelo Dev Hynes, à viciante "Run Away With Me" e a estranhamente fantástica "Warm Blood", não restam dúvidas que E•MO•TION é O álbum da Carly.


..1.. Susanne Sundfør  Ten Love Songs

Quando Susanne Sundfør começou a trabalhar no sexto álbum, pretendia montar uma colecção focada em violência. Inevitavelmente, o tema dominante acabou por ser o amor, e assim nasceu Ten Love Songs. Destruindo a concepção de POP como conhecemos, a cantora norueguesa brinca com a electrónica, synthpop, new age, e a melhor parte, elementos de música clássica. Uma complexa colecção de dez canções, simultaneamente alegre e desesperada, tanto directa como extremamente detalhada.

Os arranjos musicais são fora de série, especialmente quando além da nítida e celestial voz da Susanne, são apoiados de coros vibrantes e órgãos de igreja que me paralisam em êxtase. Para os poucos que fizeram o sacrifício de ver o vídeo, referi no "TOP 10 UNDERRATED SINGLESque queria morrer ao som da "Accelerate", canção que ocupou a terceira posição, e mantenho a mesma opinião. Se ainda não ouviram Ten Love Songs não percam mais tempo, é uma viagem sonora da qual não quero voltar.


Conheciam os álbuns todos? Qual ou quais foram os vossos favoritos de 2015?

14 comentários:

  1. Adele e Lana ♥ Os meus preferidos deste ano!

    ResponderEliminar
  2. Não estão dentro do meu estilo de música, mas louvo o trabalho que tens tido com estes tops, porque isto não implica apenas várias horas de puro entretenimento, mas uma pesquisa e trabalho sérios. Parabéns, mesmo :)

    http://aondenaoestou.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tentei incluir vários estilos musicais do Rap ao Pop e do indie ao electrónico, mas falha sempre algum haha. Muito obrigado pelo teu comentário! Fico feliz por saber que alguém dá valor às horas e horas de trabalho que tive ao realizar estas listas :)

      Eliminar
  3. Oi, oi!

    Ainda bem que tu tá ciente de que é uma treta colocar alguns artistas mais famosos embaixo de outros não tão famosos assim. TIPO: Demi Lovato lá em baixo. =/ Eu amei "Confident", achei totalmente diferente de tudo o que a Demi vinha fazendo. O da Miley fiquei ruizinho, parecendo que foi gravado com um celular. Hahaha.

    Mas é aquela história: gosto é gosto e a gente não pode discutir. :D

    Não me venha com desculpas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi nada disse que eu disse.

      No texto dei o exemplo de "colocar uma Ellie Goulding ou Fifth Harmony a cima da Florence + The Machine é uma afronta". Referia-me, obviamente, à qualidade geral dos artistas, não tem nada a ver com fama. Desde quando é que "ser famoso" é critério para eleger um bom álbum? É o mesmo que dizer que a música "Jam" da Kim Kardashian é melhor que a "Confident" da Demi porque uma é mais famosa que a outra.

      Eliminar
  4. So tenho a comentar : omg! Que grande lista! :o
    Acho que desses 50 nem um ouvi no ano que passou... Talvez apenas umas musicas de cada. (risos)

    http://deixa-me-contar-te.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Uhhh estão aqui muitos dos meus preferidos! Hehe
    Mas tenho de acreditar que JB e Lana oiço sempre em modo "repeat" sem me cansar :X
    Só descobri JB há cerca de 1 mês, talvez um pouco mais, mas confesso que me deixou rendida! Todos mudamos com o tempo, e ele não foi excepção :)

    um beijinho*
    Dreams and Lemonade

    ResponderEliminar
  6. Muitos dos que mencionaste são os meus preferidos também. É claro que muitos deles não ouvi, que essa lista é gigante eheh
    Mas vejo que tens um excelente gosto musical e gosto disso ^^

    Beijinhoos****
    Cantinho da Suu

    ResponderEliminar
  7. Estou espantada com a diversidade do teu top Ricardo. O Wildheart está maravilhoso, e pessoalmente considero que o novo álbum da Adele é só mais do mesmo. Estou a adorar estes tops, especialmente para conhecer novos artistas! Btw, e só por gosto pessoal, esse álbum do Drake está muito em baixoooo! x)


    THE PINK ELEPHANT SHOE | FACEBOOK | INSTAGRAM |

    ResponderEliminar
  8. Sem dúvida que os meus favoritos daí são o do Jamie XX que é perfeito, The Weeknd e Florence. Mas sinceramente há aí muita coisa que não ouvi e que devia! Ahah.
    Ainda sobre o champô seco, realmente nem toda a gente se adapta! Eu como tenho a raiz algo oleosa, e para evitar lavar o cabelo todos os dias fico bastante satisfeita, mas é verdade que deixa algum resíduo, mas geralmente quanto mais afastado for aplicado, melhor, e depois é espalhar bem. Também irá depender de pessoa para pessoa e cabelo para cabelo! Mas de certo que existirão melhores marcas no mercado e pode ser que encontres algum a que te adaptes, e que ofereça o resultado que procuras :)
    beijinhos
    The Fancy Cats

    ResponderEliminar
  9. Concordo com o da Lana, adoro a Lana. Não há como enganar, apaixonei-me irreversivelmente por ela! :)
    O resto não é muito o meu estilo, mas admiro o trabalho que tiveste! Há uns tempos fiz um top 5 para uma colaboração com um blog e confesso que foi bem difícil.
    Somos de estilos diferentes, mas antes disso somos amantes de música e é tão mas tão difícil escolher só alguns no meio de tudo o que se gosta! Suponho que concordes :p
    beijinhos, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar
  10. Adoro música, adoro as novidades musicais, mas mantenho-me sempre tão fiel aos meus cantores preferidos que na hora de por álbuns a reproduzir ponho sempre os mesmos. Devia começar a ouvir outros géneros e outros artistas, mas é algo complicado!

    ResponderEliminar
  11. Demi Lovato, Adele, Selena Gomez e Carly Rae Jepsen ganharam meu coração em 2015 <3 Esse ano descobri muuuita música nova e principalmente o meu amor por música indie/folk, graças ao Spotify! Mas acho que o de Carly foi o que mais me surpreendeu, pois não gostava tanto dela e não paro de ouvir! Adorei os álbuns e lhe entendo quando você fala de colocar alguns artistas acima de outros. Não significa que um é melhor que o outro e sim que você gostou mais do álbum de um do que do outro!

    http://apaixonadaporfinaisfelizes.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  12. Me orgulho em dizer que sou fã da Lana <3 Desde o primeiro álbum, ela manteve a linha sadness girl, que adoro tanto! Diferente de muitas cantores, não se tornou algo comercial. Adorei suas críticas!
    Beijos!
    http://porbrunareinert.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...