Pages

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Terror Natalício | Crianças Mimadas


Não digo que seja o fã número 1 do Natal, mas estou no top 3 de certeza. Desde criança é a minha época favorita do ano e assim se mantém até hoje. Contrariamente ao que possam estar a pensar, nada tem a ver com a troca de prendas, se bem que não digo que não a um presente, ora! 

Para sorte dos meus pais nunca fui um daqueles putos mimados que batia o pé nas lojas de brinquedos e fazia birra porque queria este ou aquele boneco. O problema é que numa altura em que muito se prega sobre solidariedade, ainda há pais que não sabem incutir esses valores nos seus filhos, transformando-os em bestas mimadas.

Muitas pessoas dizem que os centros comerciais são zonas a evitar a partir da segunda semana de Dezembro por causa da confusão. Sim, faz-me uma tremenda impressão ver as multidões, outrora saídas do Walking Dead, a ganharem vida, enquanto se atropelam umas às outras deixando um rasto de destruição nas lojas de roupa, MAS nada se compara ao terror dos pigmeus de palmo e meio. Quem me conhece acabou de ficar perplexo com esta afirmação, visto que adoro crianças e um dos meus sonhos é ser pai, contudo, há limites.

Nunca me vou esquecer de estar a percorrer o corredor de brinquedos do Continente e me deparar com um miúdo com uns 7 ou 8 anos agarrado a uma caixa qualquer como se a sua vida dependesse disso. Quando a mãe foi ter com ele, disse-lhe que não podia levar aquilo e que já lhe tinha comprado as prendas de Natal. O que se seguiu foi toda uma cena digna de uma novela mexicana. A caixa voou pelo ar, assim como outros exemplares, o gremlin gritava, esperneava e chorava desalmadamente. A senhora tentou acalmá-lo de mil e uma maneiras e nada, acabando por dar-lhe uma palmada no rabo e levá-lo da li puxado pela mão. Eu não devia ter mais que uns 12 anos e fiquei boquiaberto com aquele arraial.

Na altura, a minha mãe olhou para mim e só me disse "ai de um filho meu que me fizesse uma coisa destas", e aquilo deixou-me a pensar. Fui bem-educado e desde cedo me ensinaram que além de ser impensável armar um escândalo em público:
  1. Não se diz "eu quero" mas sim "gostava de ter";
  2. Se não tiver uma prenda é porque não me puderam dar, fica para outra altura;
  3. Existem meninos que não têm casa quanto mais brinquedos.
Respeitando este pensamento, nunca "exigi" nada aos meus pais, nada. Claro que fazia as minhas listinhas de coisas que gostava de ter, mas nunca lhes cobrei nada. Quer dizer, ainda tenho entalado o facto de nunca ter tido um gameboy em criança e o meu irmão mais novo ter recebido uma Playstation Portátil mas okaaay. 

Tudo isto para dizer que, se aquela senhora estivesse mais preocupada em transmitir estes pontos ao filho em vez de ir comprar prendas, provavelmente não teria passado vergonha em público. Certamente podem existir excepções, mas por norma estas atitudes mimadas existem porque os pais fomentam esse tipo de comportamento. Podem dizer "ah é feitio" mas não me parece lógico defender que um bebé nasça com uma vontade inata de ter uma Repsol Wind Superbike 6V (sim, isto existe).

A minha mãe sempre me disse "não cuspas para o ar que te cai em cima"  um bocadinho nojento mas é no sentido de "tanto reclamas que ainda te vai acontecer"  mas imploro a tudo o que é mais sagrado que consiga criar uma criança compreensiva e que não me calhe na rifa uma amostra de elfo de natal demoníaco.


Faziam birras por causa de brinquedos quando eram mais novos? É feitio ou culpa dos pais?

22 comentários:

  1. Este texto demonstra tudo o que sinto relativamente aos miúdos mimados! Se a memória não me trai, lembro-me que só pedi em público uma coisa à minha mãe (uma coisita qualquer da Barbie, eu adorava o raio da boneca), ela não me deu e isso serviu-me de lição. Bastou dizer um não e a conversa ficou ali. A partir daí, só fazia listinhas em casa e dava um exemplar ao meu pai e outro à minha mãe :p
    Também não sei que me pode calhar na rifa, mas espero saber educá-los ao jeito que a minha mãe me educou a mim e à minha irmã!
    xoxo, Ana

    The Insomniac Owl Blog
    Giveaway - Vale 25€ Kiko

    ResponderEliminar
  2. Honey, tu já tens um elfo de Natal demoníaco... Literalmente eu peço tudo e mais alguma coisa, não fico com mau feitio se não a receber, mas não vou deixar de pedir. A minha teoria é: se não pedir, ninguém vai saber o que quero.
    Para quê deixar amigos e família a pensar o que me oferecer e correr o risco de receber um tupperware (como já me aconteceu) quando posso dizer "queria imenso x" e ter algo que gosto?
    Em relação às birras, nunca as fiz. Eu era mais a criança que colocava TODOS os brinquedos do corredor a dar música como forma de protesto. Para quê gastar a voz quando tenho ferramentas à mão?

    ResponderEliminar
  3. Ohhhh páaáááá tens TANTA razão! Eu sempre fui uma miúda pacatinha, confesso que tinha uma relação amorosa com as Barbies muito forte e a única vez que me lembro de ter ficado mesmo triste por me dizerem que não me podiam dar alguma coisa foi quando pedi uma casa da Barbie - e depois no Natal afinal lá estava ela à minha espera, melhor Natal de sempre ahah! Mas nunca fiz birra. Pedia coisas, mas se me diziam que não, calava-me e pronto...os meus pais sempre me mimaram muito, mas também me educaram para saber que um não é um não e pronto...e acho que se fizesse birra, levava logo um tabefe - e muito bem assente! Confesso que se há coisa que me dá vontade de virar uma fera é ver crianças aos berros e os pais ou a fazer de conta que não tem mal nenhum, ou feitos baratas tontas a "pedir" ao pequeno demónio que se cale!

    Mas estou como tu, que a sorte me bafeje e não me saia uma assim na rifa :p

    Jiji

    ResponderEliminar
  4. Adorei o termo " terror natalicio" kkkkkkkkkk

    eu sempre fui uma criança timida e reservada não era de fazer birra não hahahahah


    Giu tah linda essa loja na av paulista!
    a inauguração da forever 21 aqui foi um tumulto!! muitaaa gente aff! kkkk

    tem sorteio lá no blog! vem ver!
    beijos :)

    www.blogsunshinee.com

    ResponderEliminar
  5. Nunca fui de fazer birra e se tem uma coisa que odeio é criança mimada. Isso talvez prejudique futuramente já que a criança pode ser tornar muito dependente dos pais e tudo que quer, eles compram.

    ANDYZANDO

    ResponderEliminar
  6. HAhahahaha, sim, eu era muito birrento pra ganhar um brinquedo quando era pequeno, hoje eu odeio crianças assim, meu primo de 4 anos é uma delas, e eu nao suporto tanta birra!


    Beijos!
    Visite o Blog do Math

    ResponderEliminar
  7. Como eu percebo isto! A trabalhar num shopping, portanto agora pensa... Nem sequer posso ouvir um berro que seja deles que me apetece mandar com um telemovel para cima deles (visto trabalhar no worten mobile) mas enfim....
    Esse putos mimados não deviam era de ter nada, quando forem adultinhos depois gostava de os ver.

    Beijo,
    www.wordsofsophie.com

    ResponderEliminar
  8. Ah, não podia concordar mais. Não posso com putos mimados que até no chão se deitam a espernear para os pais lhes darem aquilo que eles querem. E não só na época natalícia! É uma realidade que eu não entendo visto que também nunca exigir nada aos meus pais (apesar de, tal como tu, também me ter ficado entalado o facto de eu ter pedido uma nintendo DS que tanto queria e a minha irmã receber uma Wii...). Alguns pais deveriam ler isto, por isso vou partilhar na minha página de facebook a tua fantástica publicação! Beijinho,
    neptunesecrets.blogspot.pt // facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela partilha! Fico feliz por saber que gostaste da publicação :)

      Eliminar
  9. Nunca fiz birras em público era muito tranquila mas é basicamente como descreveste as crianças de hoje estão muito mimadas e por vezes há aqueles pais que fazem de conta que a situação nem e como eles ou por vezes cedem e acabam por levar o brinquedo.

    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Nunca fiz birra. Pedia, é certo, mas quando me diziam "este mês não dá" ou "noutra altura" eu compreendi e calava-me. Quanto ao gameboy não me posso queixar que não foi preciso pedir nada para os meus padrinhos me ofereceram um. Aliás, dois! Tive um a preto e branco como fantástico Super Mário e depois sim, recebi um a cores. Mas os irmãos mais novos são sempre os mais sortudos, acredita!

    ResponderEliminar
  11. Eu nunca fazia birras pois sei que eu é que me ia sentir envergonhada com todos a olhar para mim! Nunca apreciei ser o centro das atenções lol os miúdos devem compreender que os pais fazem o melhor para lhes poderem oferecer o que querem, se não podem, não há que fazer birrinhas!

    ResponderEliminar
  12. Hey! Acho que nunca assisti a uma cena de "criança mimada, cuidado!". xD
    Esta época é, de facto, turbulenta, sobretudo para as crianças, são bastantes, as "tentações". Se, os respectivos educadores, não tomarem as rédeas, é bem possível que as suas crianças se transformem em "pequenos Hulks". É claro que "de pequenino é que se torce o pepino" mas são crianças, fazem birras. Acho que é preciso, é ser cauteloso com o "mimo em grande dose".
    PrimaDosCaracois

    ResponderEliminar
  13. Tens imensa razao sem duvida!! Nao fui uma criança mimada, e adorei o titulo do post :D

    Abraço (:
    NEW POST! Through Streets Unbeaten

    ResponderEliminar
  14. Concordo tanto. Não posso dizer que não fui uma pessoa afortunada no que respeita a coisas materiais, porque fui, mas além disso na minha casa sempre houve um meio termo. Não há Natal que me lembre, que não haja recolha de roupas, e antigamente de brinquedos, para doar. Assim como sempre foi traição, com o dinheiro que me davam durante um ano, eu própria comprar um ou dois brinquedos novos para doar a uma instituição, que visitava todas as vésperas de Natal. Ainda hoje é assim.
    Lá em casa sempre me ensinaram que, tendo muito ou pouco, temos de ser gratos. E que festejar o Natal sem partilhar aquilo que temos não serve de nada. Hoje, sobrinhos e primos continuam a tradição.
    É preciso educar crianças para darem valor a sentimentos, não a objectos.

    ResponderEliminar
  15. Eu acho que é 10% feitio, 90% falta de educação. Não sou mãe, mas tenho 4 irmãos mais novos e sei relativamente bem do que falo. Se bem que acho que ainda há esperança... no meu último ano de faculdade, trabalhei num departamento de criança duma grande cadeia de roupa e já se viam crianças preocupadas com o preço das coisas e se podiam levar aquilo que queriam ou era muito caro... também cheguei a ver algumas birras mas, felizmente, não foram muitas!

    ResponderEliminar
  16. Essas crianças também me incomodam bastante, mas as vezes tenho a sensação que quando era pequena essas coisas eram difíceis de acontecer e que hoje a maioria das crianças são mimadas e fazem escândalos. Estou sempre vendo isso porque minha tia tem uma loja de brinquedos, e as crianças realmente fazem um escândalo para conseguir o que querem e os pais acabam dando.
    Obrigada por comentar no meu blog!

    http://colorful-mushrooms.blogspot.com.br/

    Beijoos ;*

    ResponderEliminar
  17. Como te percebo! Eu acho que tem tudo a ver como são educados pelos pais. Tenho só uma vaga ideia de fazer um birra em público mas acho que não tinha nada a ver com presentes haha. Não sei mesmo o que foi mas nunca fui miúda mimada para fazer essas fitas por prendas. Thank god xD
    beijinhos
    The Fancy Cats

    ResponderEliminar
  18. Eu sei muito bem o que isso é. Tenho uma sobrinha cá em casa de 2 anos que faz tantas!! :)

    www.pensamentoseepalavras.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  19. Não sei se na altura era eu que não notava mas parece-me mesmo que as crianças estão cada vez mais mimadas. Eu fui educada para não me importar com o "conteúdo" em sim das prendas, mas com a intenção, e penso que é muito melhor assim. Graças a isso fico contente com tudo o que recebo! :)
    Obrigada por passares no meu blog! São comentários como os teus que me fazem querer continuar!

    3200 degrees photography blog ♥

    ResponderEliminar
  20. Hum eu não sei se hoje em dia é politicamente incorrecto dizer isto, mas, para mim, é muito culpa dos pais :/
    Peço desculpa se ofendo alguém, mas é o que eu penso.
    A minha mãe conta (porque eu era pequena e não me lembro) que eu só fiz birra 1 vez. Foi a primeira e a última. Conta, então, que eu nesse dia numa loja qualquer teimei que queria um brinquedo e que desatei a chorar como se não houvesse amanhã. Visto que eu estava feita histérica e não parava, levei um (muito merecido) estalo logo ali.
    Sim, ficou toda a gente a olhar como se eu fosse vítima de maus tratos e como se a minha mãe fosse a pior mãe e mulher do mundo. Mas, pelos vistos, foi remédio santo.
    Nunca mais fiz birras em locais públicos. Eu aprendi a lição e não estou nada traumatizada com isso :) Sei que eu teria feito o mesmo e também sei que o farei se um dia tal me acontecer quando for mãe :)
    Até eu me sinto mal ao ver miúdos aos berros. E até hoje, só 1 vez é que vi um casal a dar um estalo no filho, numa situação deste género. Não é depois de crescido que se vai ensinar um filho.
    Vá, não me vou alongar mais, senão estava aqui a tarde toda (como sempre)...
    E pronto, é isto.

    um beijinho*
    Dreams and Lemonade

    ResponderEliminar
  21. Este mundo está perdido e a culpa é dos pais. Sou monitora de um ATL durante as férias, e nas do Natal especialmente se vê a desgraça, ao ponto de as educadoras criarem um dia só para levar a PSP (senão não conseguimos fazer atividades com eles com os miúdos agarrados àquela porcaria o dia todo), e depois no Natal fazem rodinhas a contar as prendas que os pais lhes compraram para compensar o tempo que não podem/querem passar com eles.
    "Não se diz "eu quero" mas sim "gostava de ter" Aplausos por favor, parece que é senso comum mas os papás esqueceram-se de lhes de ensinar isso. E eu sei porque tenho um irmão mais novo, fomos educados pelos mesmo pais e ele é aquilo a que chamas de Gremlin.
    Deus abençoe o corredor dos brinquedos do Continente que bem precisa.

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...