Pages

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

MOVIE LOUNGE | "O Principezinho" (2015)


Nunca li "O Principezinho". Não há maneira de fugir ao assunto, nunca li aquele que é para muitas pessoas considerado o livro da sua infância. Talvez por ter ouvido falar tanto dele, criei uma espécie de aversão inconsciente a este tipo de clichés literários, tal como o famoso "A Lua de Joana", com que era bombardeado todos os anos em apresentações de Língua Portuguesa. Posto isto, a adaptação cinematográfica quebrou quaisquer ideias pré-concebidas e fez de mim um crente.

O filme conta a história de uma menina que vive com a sua mãe, uma mulher obcecada com o futuro da filha, e que definiu antecipadamente uma rotina diária repleta de actividades para que a criança seja aprovada numa escola conceituada. Certo dia, um acidente provocado pelo seu vizinho faz com que a hélice de um avião abra um buraco enorme na casa sua casa. Curiosa em saber como é que aquilo aconteceu, a menina resolve investigar. É então que conhece o vizinho, um antigo aviador que lhe conta a história de como conheceu, em pleno deserto, um principezinho que lhe disse viver num asteróide com a sua rosa. Pela primeira vez, a menina faz um amigo e percebe o verdadeiro significado da amizade.


Tive o privilégio de poder assistir à ante-estreia do filme no Domingo, dia 29 de Novembro, graças à minha namorada que, novamente, conseguiu bilhetes. O primeiro factor que salta à vista nesta produção é o facto de possuir dois tipos de animação distintos. Alternando entre o digital e stop motion, é a combinação perfeita para distinguir os dois tempos da narrativa, as memórias e o presente.


É certo que não estou familiarizado com a obra literária mas, de acordo com a minha expert em contos infantis, a adaptação não segue a história original à risca. Contudo, as referências importantes do livro como a vida adulta  as normas/regras a seguir e ausência de imaginação/criatividade nesta fase — estão lá, por meio da menina que é controlada ao minuto pela mãe.

A relação entre a menina que vive como adulta e o vizinho idoso que vive como criança, é capaz de derreter o coração da pessoa mais fria do mundo. É com o antigo aviador que a menina vai perceber que o mais importante na vida não é trabalhar 24/7 ou cumprir religiosamente horários, mas sim o amor, a amizade e valorizar as memórias que são como que um portal capaz de nos transportar até aos momentos mais felizes da nossa estadia pela Terra. Por muito cliché que isto seja, não podia estar mais certo.


Um pormenor interessante é o facto de nenhuma das personagens ter nome. Posso estar completamente errado, mas a minha interpretação é que serve para mostrar que todos nós podemos ser tanto a menina como o velhote. Ao fim ao cabo são personalidades que nos representam a certa altura da nossa vida. Outra questão interessante é a diferença de cores entre os diferentes espaços. O "mundo" adulto é monótono, em tons de cinza, como se estivesse sempre de chuva, enquanto a casa do aviador é uma explosão de cores e o cenário perfeito para a imaginação de uma criança florescer.

Não podia deixar de referir a banda sonora que está fantástica. Tocante e sensível, está adequada a cada momento do enredo, sem nunca se sobrepor à acção. É incrível como mesmo em músicas mais melancólicas, são completamente diferentes ao que estamos acostumados a ouvir em produções infantis. Se em "Song of the Sea" as influências irlandesas eram óbvias, o mesmo se aplica às francesas neste.

Veredicto final? Fiquei desolado. Dei por mim com o queixinho a tremer e a derramar um rio de lágrimas em três ocasiões diferentes. Saí do cinema como se me tivessem arrancado o coração a sangue frio. Até podia estar a exagerar, mas quando nos apercebemos que está uma sala inteira de adultos a chorar com um filme "para crianças", algo não está certo. "Para crianças"? Isto é aquilo a que chamo de animação para adultos (sem conotações ordinárias, por favor), isso sim. Aconselho-vos vivamente a assistirem ao "O Principezinho", agora disponível nos cinemas nacionais. Simplesmente incrível.

Realizado por Mark Osborne, a longa-metragem baseia-se no clássico mais vendido em francês e o terceiro mais traduzido do mundo, do ilustrador e piloto francês Antoine de Saint-Exupéry, publicado em 1943. Na ante-estreia marcaram presença os actores que deram voz à versão dobrada em português, incluindo a dupla da novela "Poderosas" da SIC, Joana Ribeiro ("a menina") e Rui Mendes ("o aviador"), Francisco Monteiro e Pedro Leitão como "o Principezinho", Paulo ("a raposa"), e infelizmente não vi a Rita Blanco ("a mãe").

Classificação IMDb: 7.8/10
Classificação Ghostly Walker: 9/10


Já viram o filme? Ficaram curiosos?

15 comentários:

  1. Li o livro em várias alturas da minha vida e continua a ser dos meus preferidos e nenhuma delas foi enquanto criança, mas antes como adolescente e depois já em adulta. Adorei ler esta tua critica cinematográfica e mal posso esperar por ver o filme mesmo que ele não siga à risca o livro.

    ResponderEliminar
  2. Já te disse que as tuas reviews são as melhores, não já? É que eu já tinha uma vontade louca de ver este filme e depois de ler isto fiquei com mais, ainda.
    Parece estar tão fofinho e brilhante. Tenho mesmo de ver.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, fico feliz por apreciares as minhas reviews! Sim, o filme está muito bem conseguido e bastante emocional.

      Eliminar
  3. TENHO que ver este filme. Confesso que também nunca li o Principezinho, mas não por falta de curiosidade, e sim porque não o encontro nas bibliotecas que frequento e ainda não tinha apanhado nenhuma edição para comprar que não tivesse o maldito "Plano de Leitura" na capa. Ontem apanhei uma, mas era de bolso - acho que vou acabar por comprar essa! Já li excertos e o texto parece-me maravilhoso...um bom lembrete das coisas importantes da vida!

    Jiji

    ResponderEliminar
  4. Nunca vi, e ler acho que também não (que me lembre) mas tenho que ir ver pois fiquei curiosa :P

    xoxo ❤, Sophie*
    http://www.wordsofsophie.com

    ResponderEliminar
  5. Eu li o livro quando era pequena, mas não me deve ter marcado particularmente, porque lembro-me de imensas das histórias que lia sozinha ou com o meu pai e dessa tenho apenas memórias muito vagas =P Já a "Lua de Joana" detestei. É como os livros do Paulo Coelho: baboseiras escritas para vender. Mas pronto, gostos não se discutem... e sim, fiquei curiosa em relação ao filme (=

    ResponderEliminar
  6. Tal como tu não li o livro e tenho-o aqui. Arranjei-o há uns meses por descargo de consciência mas ainda não peguei nele.

    Fiz uma leitura transversal no teu comentário porque em tudo o que seja cinema, às vezes nem trailers vejo por causa dos spoilers e quero mesmo ver este filme.

    Boa critica!

    ResponderEliminar
  7. Li o livro já este ano e não me arrependi nada!
    Estou mortinha por ver o filme :D

    ResponderEliminar
  8. Também nunca li o livro mas gostava. Fiquei curiosa com esse facto de as personagens não terem nome, acho diferente, como se não fosse preciso catalogá-las seja como for. Fiquei com vontade de ver o filme, ponto! xD

    ResponderEliminar
  9. Li o livro mas andei estava numa altura em que não me conseguia concentrar e para ser sincera já nem me lembro bem da história e acho que ver este filme será óptimo para mim!

    ResponderEliminar
  10. Já li o livro, já assisti o filme antigo, mas inda não consegui assistir esse. Quero muito assistir depois de tudo que você falou, porque parece ser maravilhoso.
    Obrigada por comentar no meu blog!

    http://colorful-mushrooms.blogspot.com.br/

    Beijoos ;*

    ResponderEliminar
  11. Timber nunca li o livro, exactamente pelos motivos que tu! hehe
    Mas, verdade seja dita, fiquei com vontade de ver o filme!
    E, já agora, a ver se o filme também me toca como a ti e aos restantes presentes na sala. Há quem diga que tenho coração de gelo :/ A ver vamos! Hehe

    um beijinho*
    Dreams and Lemonade

    ResponderEliminar
  12. Estou muito curiosa para ver o filme, já ouvi maravilhas.
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. ainda nao o vi mas estou muuuuito curiosa :D

    ResponderEliminar
  14. Também adorámos o filme e já temos uma publicação que deve sair algures nesta semana. Eu (Ela) sempre adorei este livro e eu (Ele) andei a falhar por não conhecer a história... Mas adorámos mesmo muito o filme!!

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...