Pages

domingo, 6 de dezembro de 2015

CINEMA | O que tenho andado a ver #7























Classificação IMDb: 5.9/10
Classificação Ghostly Walker: 6/10
Laney Brooks (Sarah Silverman) age sem pensar nas consequências dos seus actos. Casada e com dois filhos, trocou os medicamentos por drogas, faz sexo com os homens que quer e desaparece quando lhe apetece. Agora, com a destruição da sua família cada vez mais próxima, Laney faz uma última tentativa desesperada de redenção.

I Smile Back não é um filme sobre a luta da protagonista para ficar sóbria, até porque isso ela consegue fazer sem grandes problemas. O que é mais difícil é manter-se sóbria, especialmente quando quando as coisas/pessoas que a estimulam a ter comportamentos de dependência não desaparecem quando ela decide parar a medicação.

Num papel exigente, Sarah Silverman oferece uma interpretação vulnerável e crua. Laney é humana e como tal, faz asneiras. O realismo com que a comediante consegue transmitir a angústia de uma pessoa depressiva à mercê dos seus impulsos, é no mínimo fascinante. 

Apesar da excelente prestação da actriz, a narrativa não é forte o suficiente para destacar esta longa-metragem. Não digo que tenha sido a melhor, mas sem dúvida uma das surpresas do ano


Classificação IMDb: 4.6/10
Classificação Ghostly Walker: 5/10
Sarah (Dianna Agron) é uma jovem perdida e sonhadora, presa numa pequena cidade deserta do Nevada. Aborrecida com a sua vida de trabalhos medíocres e saídas com o namorado (Chris Zylka) e o seu grupo de amigos, é virada do avesso com a chegada de Pepper (Paz de la Huerta), uma forasteira com um passado problemático. Enquanto Sarah se apaixona inexplicavelmente por Pepper, é apresentada a uma vida de sexo, drogas e clubes de strip. Estará a jovem livre da prisão invisível em que vivia?

Confesso que vi este filme da Natalia Leite antes do francês "Blue is the Warmest Color", portanto não estava ciente de algumas semelhanças, agora escandalosas  a caracterização de Emma e Pepper é praticamente idêntica.

Embora não faltem imagens esteticamente agradáveis, o interesse da narrativa deixa muito a desejar. Dito isto, não esperava que a ex-Quinn Fabray do Glee se fosse despir num drama lésbico e independente. Bravo. A sua interpretação foi aceitável, se bem que também não lhe era exigido muito.

O clima sexual e tortuoso entre Sarah e Pepper é de tal maneira envolvente, que o espectador dá por si a torcer para que a rapariga certinha fuja com a traficante de droga. 


Classificação IMDb: 5.9/10
Classificação Ghostly Walker: 6/10
Welcome to Me retrata a vida de Alice Klieg, uma mulher com um Transtorno de Personalidade Borderline (limítrofe) que ganhou a lotaria. Depois de receber a fortuna, deixa de tomar os medicamentos psiquiátricos e compra o seu próprio talk show. Inspirada no seu ídolo, a Oprah, ela transmite os seus próprios "podres" e percalços na vida como uma forma de exibicionismo e uma plataforma para partilhar as suas visões peculiares sobre tudo, desde nutrição à castração de cães. 

Sou suspeito por ser fã assumido da Kristen Wiig, mas este tipo de papéis são perfeitos para ela. Não é propriamente fácil interpretar um doente mental e que provavelmente deveria estar internado para observação, especialmente numa comédia negra. No entanto, Wiig é capaz de criar uma Alice hilariante, triste, cativante, e ao mesmo tempo assustadora.

Este filme não pretende suscitar o riso à conta deste tipo de doença. Pelo que li sobre este distúrbio, trata-se de uma narrativa bastante honesta e realista. A parte cómica surge como consequência das coisas absurdas que ela faz para conseguir viver. Neste ponto, a Kristen foi excepcional ao conseguir balançar o nível de humor e sensibilidade necessária a um problema bem real.


Classificação IMDb: 6.4/10
Classificação Ghostly Walker: 6/10
Josh e Cornelia Srebnick estão a passar por uma espécie de crise de meia-idade. Sem filhos e já na casa dos quarenta, o casal nova-iorquino apercebe-se que falta algo nas suas vidas. É nesse momento que conhecem Jamie e Darby, dois namorados na casa dos 20 anos que, ao contrário deles, vivem de uma forma apaixonada. Fascinado, Josh sente que eles representam tudo o que ele sempre quis ser. Os Srebnick deixam de se encontrar com amigos de longa data e fazer as suas rotinas, para se dedicarem ao dois hipsters.

Vou ser sincero, quando li a sinopse não fiquei propriamente entusiasmado para o produto final. Sem nada para ver, lá arrisquei e assisti a While We're Young. Embora não seja o enredo mais interessante de sempre, a abordagem à diferença geracional entre dois casais com 20 anos entre eles, é engenhosa, honesta e com um tipo de humor que flutua entre a intelectualidade e a sátira.

A Naomi Watts (que adoro) tem uns quantos momentos sólidos na sua interpretação de Cornelia, mas o filme não é capaz de a suportar com a mesma intensidade.

Com realização e argumento de Noah Baumach, a comédia dramática também conta com Ben Stiller, Adam Driver e Amanda Seyfried nos papéis principais.

Já viram algum dos quatro filmes? Qual é o vosso favorito e o que gostaram menos?

9 comentários:

  1. tava a precisar de filmes novos :D obrigada *

    ResponderEliminar
  2. Não conhecia nenhum, mas fiquei super curiosa com o "Welcome to me" :)

    ResponderEliminar
  3. Nenhum... Não vi nenhum! Mas o Welcome to Me despertou-me muito interesse!

    ResponderEliminar
  4. Não conhecia nenhum mas fiquei curiosa com o Welcome to Me e com Smile Back. :D

    ResponderEliminar
  5. Não vi nenhum. Mas o Welcome to Me e o While We're Young deixaram-me mesmo curiosa! Especialmente o primeiro, acho mesmo interessante ver filmes que retratem transtornos psicológicos, mais não seja para comparar com o quão realista é o filme ou não. E quando são de facto realistas, o actor sobe logo uns bons pontos na minha consideração, devem ser dos papéis mais complexos!
    xoxo, Ana

    The Insomniac Owl Blog
    Giveaway - Vale 25€ Kiko

    ResponderEliminar
  6. Ainda não vou falar de nenhum, sou uma tristeza mesmo! Mas fiquei interessado em I Smile Back :)

    ResponderEliminar
  7. Fiquei com vontade de ver o Welcome to me (=

    ResponderEliminar
  8. Eu gostei muito do "I smile back" porque é o meu género de filmes. Adoro interpretações poderosas e aqui a Sarah Silverman está estrondosa.

    O "Bare" ainda não vi.

    Não sei se gostei do "Welcome to Me" porque é um filme que pronto...é a cara da Kristen Wig. Não imagino mais ninguém para este papel. Uma loucura sã!

    Gostei muito do "While We Were Young", muito mesmo!

    Boas escolhas!

    ResponderEliminar
  9. Ainda não vi nenhum destes filmes, mas estava mesmo a precisar de sugestões para os dias de férias que aí vêm!
    Adorei imenso o teu blog! Estou a seguir :)
    Messy Hair, Don’t Care | Blog

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...