Pages

sábado, 26 de dezembro de 2015

Christmas 2O15























Não me canso de dizê-lo mas este ano passou a correr. Num piscar de olhos, o Natal porque tanto ansiava chegou e já se foi embora. Passado na casa dos meus tios, só não foi perfeito por um motivo: faltaram os doces tradicionais! Como é que é possível que depois de escrever uma publicação (AQUI) sobre as minhas iguarias preferidas desta época e de anunciar aos sete ventos o meu entusiasmo por encher a mula, me façam uma coisa destas?! Preciso de um momento de silêncio pelos sonhos, rabanadas e azevias que não comi. Fiquei tão triste. Foi a última vez que espalhei magia natalícia pela blogosfera.

Por motivos de saúde e um pouco de preguiça, a minha mãe ficou encarregue de comprar bolos. O problema é que não tinham nada a ver com o Natal (excepto o tronco). Traído pela própria mãe, uma autêntica tragédia grega. Ainda assim, não me posso queixar, comi muito. Por entre tortas, bolo rei, bolos de coco, tarte de amêndoas, bolo de brigadeiro e pão-de-ló (não recheado mas quase lá), acabei por ganhar os 28 quilos que antecipei na semana passada.

Sinto-me como uma grávida. Tenho uma barriguinha predominante e acolhedora, e um desejo insaciável de comer sonhos e azevias.













































Se há uma coisa com que podemos contar sempre que passamos o Natal na casa dos meus tios é com a atenção ao pormenor, desde a disposição da mesa à comida. Com direito a cartões identificativos que se renovam anualmente, acho imensa piada ao trabalho que a minha tia se dá de enfeitar os pratos como se estivéssemos em algum restaurante gourmet. A comida é bastante simples mas ganha um sabor completamente diferente ao saber que foi preparada com tanto amor. 

Política e futebol são os temas que dominam as conversas à mesa, o que resulta sempre num torneio de gritos digno de Wimbledon. Com muita pena minha, não me interesso por nenhum dos dois, acabando por observar calado enquanto a terceira guerra mundial se desenrola perante os meus olhos. É divertido, não vou negar. 

Algo que considero fascinante, é a necessidade de se contarem sempre as mesmas histórias. Pela quinquagésima vez, voltei a ouvir as mesmas peripécias de quando a minha família esteve emigrada em Moçambique e na África do Sul. Embora se possa tornar um pouco maçador, é impossível ficar indiferente quando os relatos são acompanhados de olhos brilhantes e sorrisos esculpidos de saudade. Pergunto-me se alguma vez saberei o que isso é.
























Abrir os presentes ao soar das doze badaladas, ficar a conversar até às duas da manhã e não conseguir dormir até às sete, porque o meu tio ressona como se estivesse na matança do porco, é algo que se tornou numa espécie de sub-tradição familiar. As manhãs de dia 25 são sempre complicadas para mim e para o meu irmão. Quase que arrastados, lá surgimos à superfície e somos recebidos pela mesma imagem de sempre, as mulheres na cozinha (não é sexista, eu e o meu primo ajudamos mas elas preferem assim) a adiantarem o almoço, enquanto os mais jovens estão no meio do caminho a distraí-las, e os mais velhos na sala a ver as notícias.

Não somos pessoas de correr para o sofá, onde nunca cabem todos, e ficar a ver as "estreias" na televisão  até porque normalmente já vi tudo —, mas somos brindados com um slideshow altamente editado pelo meu primo. Dos inúmeros locais por onde eles já viajaram (tios, prima e primo), o destino escolhido foi a Suiça. Embora tenha adormecido a meio, confesso, não pude deixar de reparar nas paisagens e arquitectura lindíssimas do país. Quem diria que alguma vez ponderasse visitá-lo.

O Natal passou a correr, é verdade, mas foi bastante divertido. Embora as prendas este ano tenham sido um pouco confusas de tão descabidas que foram, estou grato por se terem lembrado de mim, e de poder contar com a companhia das pessoas mais importantes na minha vida. Comi muito, conversei e ri até chorar. Agora é só esperar pelo próximo.



Como correu o vosso Natal? Que conversas dominaram as refeições? Prendas favoritas?

12 comentários:

  1. O meu Natal também correu muito bem, mas na minha mesa tinha os tão desejados doces tradicionais feitos pela minha avó que para mim é a melhor cozinheira e não troco a comida feita por ela por nada deste mundo.
    Passei o meu Natal em minha casa com os meus pais, tios e o pestinha do meu priminho. Vimos os famosos filmes de Natal, jantamos e abrimos os presentes antes da meia noite pois o pequeno não aguenta até tarde acordado. Posso dizer que foi um Natal fantástico :)

    ResponderEliminar
  2. Fico muito feliz por o teu Natal ter corrido tão bem! :)
    Como dizes, o ano passou a correr e o dia que ansiamos tanto, passo num instantinho...
    Beijinhos grandes e muitas felicidades! <3
    chamammepequenita.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Nem acredito que já passou mais um Natal, sem dúvida a correr!!! Espero que tenhas tido um ótimo dia,
    Grande beijinho,
    Madalena

    www.maadalenaaa.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Oi, oi!

    Dei tantas risadas lendo teu post, porque aqui não foi muito diferente. Passei o Natal na casa da minha avó. Com a família (quase) toda reunida, a gente não pode esperar muita coisa a não ser gritaria e muitos risos, né?

    Eu simplesmente amo esse espírito natalino. Todo mundo fica tão legal, né? Até mesmo aquelas tias que perguntam sobre os namoradinhos. Hahahaha.

    Feliz Natal atrasado e feliz ano novo, guri.

    ResponderEliminar
  5. Realmente o ano passou rápido e parece cada vez mais rápido. Na minha ceia também teve bolo, não entendo essa cabeça das mães, kkkk.

    As ilustrações ficaram lindas <3

    http://comum-dois.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Mas que relato tão divertido ahaha.
    O meu Natal foi bastante simples. Pais, eu e irmão mais a gata.

    ResponderEliminar
  7. Mais um excelente post :) O meu Natal também foi em família, mas tivemos na mesa os doces e comidas típicas madeirenses hehe
    Continuação de Feliz Natal :)

    http://sensations-blog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Achei um máximo isso de terem cartões personalizados e tudo.:p Entre confusões, gargalhas, discussões e histórias típicas, tudo tem um brilho diferente por ser Natal.:)

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. O meu foi mais do mesmo: recheado em comida, família - gritos, brincadeiras e risos - e a troca de prendas. Se bem que este ano troquei, no dia de Natal, as prendas com o meu namorado o que fez deste Natal bem mais especial! Enfim, estou cada vez mais fã desta época e não era suposto :) Enfim este ano foi perfeito.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  10. É verdade, o Natal passou num piscar de olhos. Sinto-me cada vez mais velha, porque essa sensação tem piorado ao longos dos anos.
    E sim, na minha casa política e futebol reinam as discussões de Natal! Dá para rir no meio de tudo aquilo :p
    xoxo, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ResponderEliminar
  11. Por cá não se tem a tradição de se verem filmes ou rever fotografias até à meia-noite, mas sim de jogar às cartas apostando rebuçados. Um autêntico filme comédia e terror à mistura!
    Só para meter inveja, comi uma rabanadas mesmo muito boas! ahahahah (Não te zangues, ainda subsistem algumas, é só pedir!)

    Cidadã do mundo desconhecido
    http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  12. Eu sei que pode ser um pouquinho lamechas, mas acho os teus natais fantásticos. Os meus são o oposto e não gosto nada. Não posso dizer que haja conversa que domine a noite, porque nem há conversa. Quando há, não corre nada bem. Quanto às prendas, praticamente só existiram as que o Moço me deu, e que eu adoro sempre. Adorei todas, mas em especial a lancheira do R2D2, o "armazém" de gomas e o livro que comprei para mim ^^
    ****

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...