Pages

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Séries | Welcome to the Family


Com a chance de me tornar num disco riscado, não é novidade nenhuma que tenho um certo vício, se assim o quiserem chamar, com séries televisivas. Na última vez que falei sobre este tema, na publicação "Gone too soon: Séries Canceladas", acompanhava 35, e com a chegada do novo reforço de Outono, a lista aumentou para 44. Aos oito projectos recém-nascidos, juntaram-se outros dois com três anos de vida, mas que só agora comecei a assistir.

Antes que surja mais alguma, o melhor é passarmos à apresentação, aleatória, dos novos membros da família.


#1. Mr. Robot
Trailer: AQUI
Minha classificação: 9/10
Sinopse: Elliot (Rami Malek) é um brilhante programador com problemas de socialização, ansiedade social e depressão. Durante o dia, o jovem trabalha como engenheiro informático numa empresa de ciber-segurança. À noite, é um hacker/"justiceiro", conectando-se com as pessoas que o rodeiam e conhecendo todos os pormenores das suas vidas, hackeando-lhes as contas de redes sociais e email. Elliot é recrutado para se juntar a uma equipa de hackers activistas chamada "fsociety" para derrubar o monopólio mundial da Evil Corp, empresa que ele é pago para proteger. A partir daqui, a trama desenvolve-se à volta da luta interna do programador sobre destruir ou não a empresa para a qual trabalha e como lidar com os seus problemas psicológicos.

Opinião: Não se deixem enganar pela sinopse. Elliot não é um super-herói "justiceiro" que anda a combater o crime num fato de látex. É anti-social, anda de metro e tem uma vida miserável. Inicialmente pensei que fosse ser mais uma história de um nerd super-dotado, mas não. Ao contrário da grande maioria das pessoas, não achei a revelação final uma surpresa, muito pelo contrário. Chamem-lhe sexto sentido, mas tenho esta característica irritante de adivinhar os desfechos das tramas, ah! Dito isto, há algum tempo que uma série não me deixava tão empolgado pela frescura do tema e a forma como é abordado. Além da parte técnica, com planos de imagem absolutamente geniais, é uma narrativa extremamente actual, afinal todos nós já ouvimos falar dos Anonymous e do universo dos hackers.


#2. The Fall
Trailer: AQUI
Minha classificação: 8/10
Sinopse: A detective britânica Stella Gibson (Gilian Anderson) atende ao pedido do departamento de Belfast (Irlanda) para investigar um crime que acaba por se revelar ligado a uma série de mortes cometidas por um serial killer. O assassino é Paul Spector (Jamie Dornan), um pai de família que à noite esgana jovens morenas.

Opinião: Só para esclarecer, a identidade do criminoso é revelada logo no trailer, portando não revelei nenhum spoiler. A localização escolhida para a acção quase podia ser uma personagem. Uma Irlanda do Norte pobre, fria e violenta, com polícia corrupta, desequipada e preguiçosa. Um dos pontos positivos da série é o facto de se dividir em duas narrativas igualmente interessantes. Temos o plano inicial do trabalho da detective e todo o processo investigativo, e do outro acompanhamos a vida dupla do assassino. Só pelo facto da "Agente Scully" (referência aos Ficheiros Secretos) entrar, é razão mais que suficiente para recomendar esta produção  o sotaque "britânico" dela está perdoado. Depois da desgraça que foi o Fifty Shades of Grey, fico feliz pelo Jamie poder mostrar o que vale na representação. Apesar de já existir há dois anos, só comecei a ver "The Fall" há umas duas semanas atrás e fiquei viciado. Com duas temporadas e apenas 11 episódios no total, vê-se num instante.


#3. Transparent
Trailer: AQUI
Minha classificação: 8/10
Sinopse: Uma família judia com sérios problemas de comunicação tem a vida virada do avesso quando o pai revela ser transsexual. Maura (Jeffrey Tambor), tenta manter os três filhos já adultos, Ali (Gaby Hoffman), Sarah (Amy Landecker) e Josh (Jay Duplass), unidos e fazer com que eles aceitem quem ela sempre foi, independentemente de ter demorado para assumir a sua verdadeira identidade de género.

Opinião: Apesar de ter ganho dois Globos de Ouro na categoria de comédia ("Melhor Actor" e "Melhor Série"), esta série é uma dramady, um misto de drama com ocasionais cenas cómicas. Nem precisei chegar ao décimo e último episódio da primeira temporada para entender o porquê de ser aclamada pela crítica. Aqui sexo e amor não são tabús, as personagens envolvem-se umas com as outras de forma intensa e com sentido. É de aplaudir a irreverência ao abordar temas como a diferença entre travestis e transexuais, ou sexualidade, sempre de forma aberta e sem inibições. Além do roteiro brilhante, o elenco é a galinha dos ovos de ouro desta produção. Tanto as personagens principais como secundárias conseguem agarrar a nossa atenção para um universo que ainda é estranho para muitas pessoas.


#4. Inside Amy Schumer
Trailer: AQUI
Minha classificação: 7/10

Opinião: Não se tratando de uma série dita "comum", ou seja, sem uma narrativa contínua, não existe sinopse. "Inside Amy Schumer" altera entre sketches, stand-up, e entrevistas a pessoas na rua e de interesse, geralmente na sequência de um determinado tema. Não fazia ideia quem era a Amy, mas desde que fui atingido pelo cometa Schumer, entrou para a minha lista de comediantes favoritas. Conhecida pelo humor negro, sarcástico, baseado em sexo e feminismo, farto-me de rir com alguns segmentos deste projecto. Um dos mais populares é o "The Foodroom" (VER AQUI), uma paródia da série The Newsroom, em que a personagem da actriz diz ao ex-namorado que "a vida de uma mulher não vale nada se não estiver a fazer um bom homem ainda melhor". Dependendo do vosso tipo de humor, nem todos poderão achar piada a "Inside". De qualquer forma, conta com a Amy como protagonista e uma série de actores convidados como Tina Fey (SNL, 30 Rock), Patricia Arquette (Medium, Boyhood) e Josh Charles (The Good Wife).



#5. Limitless
Trailer: AQUI
Minha classificação: 8/10
Sinopse: A adaptação televisiva do filme homónimo de 2011, conta a história de Brian Finch (Jake McDorman), a ovelha negra da família que não consegue avançar com a sua vida. Sem namorada e emprego, o jovem adulto descobre uma droga que lhe permite aceder a 100% de aproveitamento intelectual. Intrigados com a sua imunidade aos efeitos secundários, o FBI coloca-o como consultor para dar uso às suas habilidades e os ajudar a resolver crimes, ao lado da Agente Especial Rebecca Harris (Jennifer Carpenter).

Opinião: Nunca me passou pela cabeça que um filme daqueles daria uma série de tv, mas não é que resulta? Se na longa-metragem o Bradley Cooper não me cativou como actor principal (a sua personagem também aparece pontualmente nesta série), o protagonista do Limitless televisivo é de longe o ponto alto da produção. Criativo, infantil, sarcástico, cómico e até charmoso, das duas uma, ou vão querer ser ele ou estar com ele. Não aprecio a facilidade com que os argumentistas conseguem encontrar escapatórias para qualquer percalço com que o enredo se depare, mas a qualidade visual, compensa. Policial com alguns momentos cómicos à mistura, já não consigo passar sem as aventuras e disparates do Brian Finch.


#6. Fear The Walking Dead
Trailer: AQUI
Minha classificação: 8/10
Sinopse: No mesmo universo de Walking Dead, Fear explora o início do apocalipse zombie na perspectiva de uma família conturbada. Um misterioso surto ameaça a vida estável que a orientadora escolar Madison Clark (Kim Dickens) e o professor de inglês Travis Manawa (Cliff Curtis) criaram. A juntar-se à pressão diária resultante da união de duas famílias, junta-se a desintegração da sociedade tal como a conhecemos.

Opinião: Não fiquei muito convencido com a notícia de que fariam um spin-off do Walking Dead. Como fã da série desde o início, parte de mim estava curiosa, claro, mas o medo de um fracasso por ganância de audiências era tremendo. Felizmente foi surpreendido pela positiva e ao contrário de algumas críticas que li, adoro Fear The Walking Dead. Depois de anos a ver as personagens constantemente na floresta, já sentia falta de um pouco de civilização. Acho extremamente interessante o facto da acção nesta segunda série acontecer enquanto o Rick Grimes estava em coma. Desta vez a acção não parece tão apressada, tomando o seu tempo para o espectador compreender de que forma o vírus se espalhou. O elenco pode não ter muitas caras conhecidas, mas oferece performances convincentes e a cima da média.


#7. Scream Queens
Trailer: AQUI
Minha classificação: 7/10
Sinopse: A Universidadede Wallace é abalada por uma série de assassinatos. Kappa House, a fraternidade mais procurada por novas estudantes, é comandada pela mimada e bitchy Chanel Oberlin (Emma Robberts). Quando a anti-Kappa Dean Munsch (Jamie Lee Curtis), decreta que a irmandade deve aceitar todo o tipo de estudantes, não se restringindo à elite de berço de ouro, o inferno instala-se. Um assassino (ou mais) mascarado de diabo começa a causar estragos, matando uma vítima por episódio.

Opinião: No início é difícil perceber se os argumentistas estão mesmo a falar a sério ou a gozar connosco. Contudo, nenhuma das hipóteses está correcta. Rapidamente fica explícito que o objectivo desta história é gozar com ela própria. Infelizmente nem todas as pessoas sabem o que significa uma sátira e choveram críticas a Scream Queens. Tirando as gritarias constantes que, além de estridentes, cansam com o passar do tempo, gosto do resultado final. Claro que não é a melhor série do mundo e os papéis são do mais ridículo possível, mas that's the point! Nunca me vou esquecer do desfecho da Ariana Grande, que mesmo sendo péssima actriz, conseguiu ter o melhor momento da temporada. Se se assustarem muito facilmente e não gostarem de sangue, tenham em mente que esta componente está bem presente.


#8. Heroes Reborn
Trailer: AQUI
Minha classificação: 7/10
Sinopse: Há um ano atrás, um ataque terrorista em Odessa, Texas, dizimou a cidade. As pessoas com habilidades especiais foram consideradas culpadas e obrigadas a esconderem-se ou a fugirem de pessoas mal intencionadas.

Opinião: Pensei que não sairia do papel, mas felizmente resolveram dar uma segunda oportunidade a Heroes. Sucedendo a série original que contou com apenas quatro temporadas e um final abrupto em 2010, a acção em Reborn não é contínua, ocorrendo alguns anos mais tarde. Na altura ainda não tinha o hábito de ver séries pela internet, portanto, apesar de adorar Heroes, eventualmente deixei de o fazer por incompatibilidade de horários com a FOX nacional. Ao acompanhar semanalmente este seguimento, cada vez mais tenho vontade de recapitular a trama toda desde o início. Para quem conhecia a versão de 2006, a temática mantém-se, e algumas personagens são as mesmas.


#9. Blindspot
Trailer: AQUI
Minha classificação: 7/10
Sinopse: Uma bela e misteriosa mulher (Jamie Alexander, Thor) sem memórias sobre o seu passado, é encontrada nua dentro de uma mala em pleno Times Square, New York. O seu corpo está coberto de tatuagens acabadas de fazer, incluindo o nome de Kurt Weller (Sullivan Stapleton, Strike Back), um agente do FBI, nas suas costas. O FBI envolve-se no caso, lançando uma complexa conspiração, enquanto utilizam as tatuagens como mapa para desvendar verdadeira identidade da mulher.

Opinião: Assim que vi o trailer fui transportado de imediato para os filmes Memento e The Bourne Identity. Sou um forte apreciador de mistérios, especialmente porque adoro ser surpreendido, e até agora não estou desiludido. Além de um elenco sólido, mas nada do outro mundo, há algumas tecnicalidades que deixam um pouco a desejar, como o facto de permitirem que uma civil amnésica participe em missões do FBI. Pois. Vou fingir que perdi o senso comum e que faz sentido. Graças às boas audiências, encomendaram 23 episódios, e "Blindspot" já foi renovado para uma segunda temporada.


#10. Quantico
Trailer: AQUI
Minha classificação: 7/10
Sinopse: Dividida entre o presente e o futuro, a acção gira em torno de um grupo de recrutas que inicia o treino na base do FBI, em Quantico, Virgínia. Apesar de constantemente testados e colocados à prova, o impossível acontece, um dele é suspeito de organizar o maior ataque a New York desde 11 de Setembro.

Opinião: Ainda que não muito convencido, o primeiro episódio foi intrigante o suficiente para me fazer voltar. Sim, a história tem momentos tão absurdos e piegas que parece que estamos a ver um romance em vez de um policial, mas lá está, preciso saber quem é o culpado do atentado. Se nas outras séries que referi, os elencos eram o ponto forte, aqui acontece o contrário. Com caras pouco ou nada conhecidas, nem a protagonista tem credibilidade suficiente para exprimir a emoção necessária ao papel. Irrita-me imenso que os recrutas pareçam todos modelos. Não duvido que existam agentes bonitos/as, mas TODOS com ar de quem sai dali e vai desfilar a seguir? Poupem-me.


Além de Scream Queens (já sei o que a casa gasta haha), acompanham outra das 9 séries? 
Ficaram curiosos com alguma?

16 comentários:

  1. Não acredito que segues tantas séries, meu deus! x) Não consigo seguir tantas, perdia-me a meio. Acompanho Mr. Robot e adoro. Tornou-se uma das séries preferidas. A esta escrita de forma brilhante, os planos são fantásticos e a frieza como tudo se desenrola é extremamente cativante. Por acaso não estava a adivinhar aquele final, fiquei chocada durante algum tempo x)

    Já comecei a ver Scream Queens, mas não colei de imediato. Quero continuar a ver porque gostei da série, mas ao mesmo tempo é tão ridícula que chega a ser boa - lá está, por ter esse objectivo. Custava-me a crer que a Emma Roberts entrasse numa série tão estúpida, se não houvesse outro objectivo.
    Heroes quero mesmo ver, mas ainda não o fiz. E em relação às outras não conheço, mas fiquei muito curiosa com The Fall. (Ando a ver X-Files e ver a Scully tantos anos depois é estranho. Parece tão diferente!)

    R: É mesmo isso. O mundo está podre. Não me admira nada que venham para aqui, uma das coisas que o terrorismo provoca é a destabilização, porque é não viriam para Portugal? Se é para assustar todos os países servem. "Sim, porque como isto anda, qualquer dia não existe mais ninguém para matar." Concordo plenamente!

    ResponderEliminar
  2. Para além de "Scream Queens", acompanho "Quantico" e já terminei "Mr. Robot". Na verdade, terminei esta última série em três dias. Tão, mas tão boa! Eu também já estava à espera da reviravolta final, mas adorei os últimos episódios. A série teve um ritmo fantástico e a história foi super bem construida. Quanto a "Quantico", eu acho que não se podia pedir mais de uma série da ABC que ainda por cima é emitida aos domingos. Parece-me claro que quiseram resgatar os fãs de "Revenge" e, para isso, ofereceram-lhes uma trama novelesca que por acaso até tem uma boa história. Vi cinco episódios e para já estou satisfeito. Sobre "Scream Queens" é como eu digo: aquilo é tão mau que chega a ser bom. Adoro a vertente trash da série e eu nem costumo ser destas coisas :)

    ResponderEliminar
  3. Fiquei curiosa com "The Fall". Acho que vou arriscar (=

    ResponderEliminar
  4. Não acompanho "Scream Queens" nem tenho intenções de o fazer (pelo menos assim tão cedo). Para além de ser o tipo de série que não me chama a atenção, tenho o radar virado para outros lados. Já terminei "Mr. Robot" (rezando para que a segunda temporada seja tão boa como a primeira). E as sugestões que deste mais as tuas opiniões deixaram-me curiosa. Já tenho mais para ver nas férias de natal eheheh

    avidadelyne.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Acompanhas tantas séries... Fiquei um pouco escandalizada com esse número. E eu que não tenho tempo de meter os episódios da minha série em dia, tempo uma certa inveja de ti.

    ResponderEliminar
  6. A única que aqui está que eu vejo é realmente Scream Queens. Dificilmente não me escapa um riso ou até um "omd que estupidez!". Mas o que é certo é que a série faz-nos ficar realmente presos a todos os personagens.

    De todas as que escreveste aqui acho que vou ver a The Fall, parece-me interessante. E gosto desse género. Já viste The Following?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "The Fall" está fantástica, nem que seja pelo desempenho da Gillian Anderson, espero que gostes! Sim, comecei a ver "The Following" mal estreou e embora adorasse a série, não me surpreendeu que fosse cancelada com apenas três temporadas.

      Eliminar
  7. Fiquei curiosa com algumas! Explica-me onde é que vais buscar tanto tempo para ver esses séries todas! Eu andei focada em apenas duas: Once Upon a Tim e Revenge e só para ver estas duas via-me à rasca.

    ResponderEliminar
  8. As saudades que me deste agora de ter tempo e energia para fazer maratonas de séries noite fora... AI! Mas falando do que interessa, daí só conheço Quantico (que adoro) e Heroes, que vi alguns episódios mas gostava de ver a série completa por ordem. Fiquei curiosa com The Fall, Limitless, Scream Queens e Trasnparent. Acho que também era capaz de dar uma oportunidade a Mr. Robot :) agora tempo para isso é qe já é mais complicado!!! xD

    p.s.: não desistas, quando menos esperares uma porta se vai abrir e terás um emprego. Força, sei bem como custa, é um misto e ansiedade, pessimismo, frustração e sentimento de inutilidade, mas persiste e conseguirás!

    ResponderEliminar
  9. Ontem acabei de ver Mr.Robot e se houvesse a segunda temporada, já estava colada! Está muito boa! Há outras séries que sigo mas não estão na tua lista!

    ResponderEliminar
  10. Vou deixar de vir ao teu blogue. É sempre um perigo, especialmente com a minha falta de tempo e sugestões tão boas =)

    ResponderEliminar
  11. Vejo algumas dessas, mas Tranparent deixou-me curiosa!

    ResponderEliminar
  12. Muito obrigada pelas tuas reviews... por acaso estava assim no meio de séries e não tinha nada de novo para ver.

    ResponderEliminar
  13. Vi "The Fall" e achei muito bom. Gostei imenso das 2 seasons. Vai haver uma 3ª mas por mim ficava como está.

    "Transparent" é das melhores coisas que vi. Adoro, adoro, adoro!

    "Scream Queens" desisti porque com tanta coisa para ver, tenho de escolher as melhores.

    Boas escolhas!

    ResponderEliminar
  14. Nós nunca fomos muito de séries, mas ultimamente andamos mais virados para elas. Mas jamais conseguiríamos seguir tantas!!! Agora andamos a começar a ver o 7 Feet Under (Sete Palmos de Terra) conheces?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conheço mas confesso que nunca vi. Ainda assim tenho-a numa lista!

      Eliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...