Pages

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

ADELE 25 | Album Review


Quatro anos após 21, que lhe valeu um Grammy de Melhor Álbum e a entrada no Guiness Wold Records devido a todos recordes que quebrou, Adele está de volta com 25, o terceiro disco. Confirmando todas as projecções, a cantora começa esta nova era da melhor maneira. De acordo com a Billboard, em apenas três dias, 25 já ultrapassou a marca de 2,4 milhões de cópias vendidas em território americano, bateu o maior recorde de vendas de primeira semana, detido até agora pela boysband norte-americana N*Sync, com o disco No Strings Attached, há 15 anos. 

Lançado na passada sexta-feira, dia 20 de Novembro, o trabalho de 14 canções inéditas é descrito pela artista britânica como um "make up album" (álbum de reconciliação consigo mesma). Embora Adele continue a lamentar dissabores românticos, a diferença é que desta vez já não está no papel de vítima, da pobre rapariga de coração partido que implora por uma segunda oportunidade  tema central nos anteriores 19 e 21


Em 2011, ainda a recompor-se de uma separação, Adele suplicava para que o ex-namorado (na altura já com outra), não a esquecesse, na tocante "Someone Like You". Agora, em "Send My Love (To Your New Lover), não só a cantora lamenta o fracasso da relação por ele não conseguir acompanhar o ritmo dela, como lhe deseja que trate melhor a companheira actual.

Passada a fase inicial de excitação e tendo ouvido o álbum cinco vezes de seguida, não posso negar que musicalmente, não houve grande inovação. O foco principal continua a ser a habilidade vocal da cantora, que para minha felicidade, nos presenteia com tanto agudos como graves sublimes. Adele segue a mesma fórmula de sucesso das faixas mais conhecidas do disco anterior: poderosas baladas a piano, como o fantástico primeiro single, "Hello", o segundo e meu favorito "When We Were Young" (embora prefira a versão ao vivo), ou a ode à maternidade, "Remedy". 

Além da sonoridade a que já estamos habituados, é refrescante ouvir alguma experimentação com outros géneros musicais. Há uma guitarra aqui e ali como na animada "Send My Love" e na triste "Million Years Ago"; uma pitada de country/folk com "Sweetest Devotion", e um pé no território POP com uma "I Miss You" (outra das minhas favoritas) que nos remete para algo digno dos Florence and the Machine.

Quanto a vocês não sei, mas estou a gostar desta Adele 2.0.

O campo musical é muito subjectivo. Ao voltar com a mesma essência dos álbuns anteriores, há quem se queixe de falta de variedade e de ser repetitivo, no entanto, queriam outra "Rolling in the Deep" ou "Set Fire to the Rain" (ouçam a "Water Under the Bridge, é equivalente). Por outro lado, se a cantora tivesse voltado com um som completamente diferente, queixavam-se da mudança, que se tinha vendido, e que aquela não era a Adele que conheciam. Não se pode agradar a Gregos e a Troianos.

Sendo um trabalho de transição, começamos a ver uma Adele diferente, mais segura de si e pronta para seguir em frente. Não é por acaso que este será o último disco a receber uma idade como título. O crescimento é gradual, não precisa ser de 180º.

Whitney, Mariah, e agora Adele.

FAVORITE SONGS
✓ Hello
✓ When We Were Young
✓ I Miss You
✓ Water Under the Bridge
✓ Send My Love (To Your Lover)


Qual é a vossa opinião sobre o novo álbum da Adele? Quais são as vossas músicas favoritas?

12 comentários:

  1. Gostei muito da review, concordo com tudinho! A Adele é aquele tipo de artista que não precisa de inovar, talvez por ter um estilo muito próprio (que se encaixa na perfeição na sua poderosa voz). Não traz nada de novo, mas traz de uma maneira diferente. A Adele é única na indústria musical e isso é inegável. "Send My Love" e "I Miss You" são as minhas favoritas, mas cada vez que vou ouvir o álbum (tenho ouvido uma vez por dia, se não mais) encontro detalhes que me fazem gostar ainda mais das restantes músicas. Não há uma que não goste realmente :)

    ResponderEliminar
  2. Acho que este álbum é mais do mesmo, e eu já não gostava do anterior. Adoro as músicas poderosas que ela tem (vou ouvir a tua sugestão) mas músicas que lamentem e falem sobre relações anteriores não são a minha praia. Não me tocam. Adoro a voz dela (ninguém pode negar que ela tem um vozeirão!) e tenho pena que se prenda a estes lamentos, porque ela é poderosa. Não gosto do tema, não gosto das letras, simplesmente não me tocam de forma alguma. Não percebi a choradeira toda com a Hello, por exemplo.
    Eu acho que é normal os artistas mudarem, e até acho que é bom. Mas isto sou eu, claro.
    Mas hey, melhor review que já vi do álbum dela. Tocas em todos os pontos importante, parabéns! :D

    ResponderEliminar
  3. TENHO que ouvir este álbum rapidamente! Normalmente não acompanho muito as novidades, e nem tenho um amor especial pela pessoa-Adele, mas a voz dela...mon dieu. Não consigo ouvir a Hello sem sentir um arrepio na espinha! :)

    Jiji

    ResponderEliminar
  4. Comprei o meu álbum em pré-reserva e, tal como tu, na sexta-feira recebi-o e comecei a ouvi-lo de imediato.

    Sim, "Hello" é um estrondo mas apaixonei-me pela "I Miss You", pela "Water Under the Bridge" e pela "Love in the Dark". Talvez por se relacionarem comigo ou com episódios na minha vida mas são músicas que não me canso de ouvir. (Mais uma vez, tal como tu, ouvi o álbum cinco vezes seguidas - foi inevitável!) :D

    Sim, existe alguma mudança mas esta tem que ser gradual. Adele é Adele e se víssemos uma versão comercial da mesma, não iríamos gostar pois não estamos habituados a que Adele seja comercial. Muito sinceramente, espero que ela não mude por completo, pois será algo que irá "desiludir" os fãs. Aconteceu o mesmo com os Lifehouse, em que eram uma banda com músicas excelentes nos primeiros álbuns, até começarem a ser altamente comerciais e terem, na minha mais modesta opinião, perdido a piada.

    Continuação de um bom trabalho no blogue. Sou um dos teus seguidores e gosto de saber a tua opinião sobre as coisas que escreves ;)

    Abraço,

    www.opinguimsemasas.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Gostei da tua review no albúm...apesar de só ter ouvido os dois singles que ela lançou (Hello e When we were young) fiquei com a sensação que as músicas iam muito no registo do que tudo que ela já lançou...o que por um lado não é mau. A voz dela é inconfundível e continuo a ser grande fã! Estou muito curiosa para ouvir o albúm inteiro...:) adorava um dia vê-la ao vivo!
    Segui o blog!
    Bjs

    http://nuancesbyritadias.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Ainda não ouvi este álbum! (shame on me, I know)
    Estou apaixonada pelo single Hello e não deixo de dizer que, as minhas músicas favoritas da Adele são, de facto, "poderosas baladas a piano" xD
    Dizes,na tua review, que à uma mistura de outros géneros musicais e acho isso excelente! A verdade é que anseio ouvi-la num outro registo. Ela tem o essencial: a voz!

    ResponderEliminar
  7. Eu nunca gostei muito da Adele... por isso não sou a melhor pessoa para comentar

    ResponderEliminar
  8. Ainda não conheço o álbum, só mesmo a Hello... mas até gosto. Sempre no mesmo registo.. mas Adele é Adele.

    ResponderEliminar
  9. Ainda não ouvimos o novo álbum da cantora, só a música "Hello". Apesar de não escutarmos muito as músicas dela, não podemos negar que sua voz é belíssima!!

    beijos

    http://www.onlyinspirations.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  10. Ela é uma cantora incrível, e cresceu muito nos ultimos anos, ouvi Hello e achei linda demais !

    http://guitarrebel.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  11. Eu tenho o album há uma semana mas como o quer ouvir com muita atenção e sem interrupções, ainda não consegui.

    ResponderEliminar
  12. A Adele nunca me chamou muito a atenção. Tem uma voz poderosa, não nego, mas acaba por me aborrecer porque o género de músicas é sempre o mesmo, tudo quase no mesmo ritmo. No entanto, este álbum chamou-me a atenção mas só para determinadas músicas.

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...