Pages

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

MOVIE LOUNGE | "Mune, o Guardião da Lua" (2014)


Num mundo mítico, Mune, um fauno traquina, é escolhido para ser o Guardião da Lua. O seu trabalho consiste em transportá-la ao longo da noite e cuidar do mundo dos sonhos. Enquanto Mune é ingénuo e gentil, Sohone, o Guardião do Sol, é arrogante e impetuoso. Quando o fauno comete um terrível erro, Sohone pensa que sabe melhor e decide ir tentar resolver o problema, deixando o sol desprotegido. Resultado, o sol é roubado por uma criatura que vive nas profundezas do submundo. Com a ajuda da frágil Cire, uma criatura de cera, os dois guardiões vão ter que trabalhar juntos e embarcar numa extraordinária missão para manter o equilíbrio do planeta. 


Um dos pontos altos do filme é sem dúvida a questão astrológica ou melhor, cósmica do enredo. O mundo é muito diferente àquilo que estamos acostumados a ver em longas metragens de animação, é único. A história começa com a "lenda" de como surgiram os primeiros guardiões: inicialmente o mundo era frio, como tal o Guardião do Sol original puxou a estrela mais próxima com um arpão, de modo a aquecer o planeta. Por outro lado, a lua foi cravada de uma "pedra de sonhos" pelo primeiro guardião, de modo a existir uma luz que brilhasse à noite e iluminasse os sonhos. 


Uma vez a cada 350 anos, sol e lua encontram-se lado-a-lado para uma cerimónia de passagem de testemunho dos antigos guardiões para os novos escolhidos. A partir daqui começa a acção propriamente dita do filme, e solidifica-se o contraste de personalidades entre as duas figuras centrais. O sol é alto e corajoso, a lua é calma e doce. O sol é puxado por correntes pesadas e a lua com delicadas cordas de seda. Mune é inocente e Sohone é convencido.


A completar o trio de protagonistas temos uma das minhas personagens favoritas, a Glim ou Cire (na versão portuguesa). Se apanhar sol ela derrete e à noite congela. Devido à sua natureza frágil, o seu pai é demasiado protector e nunca a deixa sair de casa. No entanto, a filha é muito teimosa e com um espírito aventureiro, quer a todo o custo conhecer o mundo. Além do seu vasto conhecimento em cosmologia, vai servir como uma espécie de ferramenta na história para manter unidas os tão díspares Mune e Sohone. Não só eles terão que juntar forças para recuperar o sol, mas também para manter Cire a salvo de derretimento/congelamento durante a sua jornada. Este relacionamento entre o trio cria uma grande oportunidade para ambos os Guardiões crescerem como personagens, só é pena que o mesmo não possa ser dito sobre a rapariga de cera.


Quando vi o trailer pela primeira vez fiquei muito curioso com este filme. Infelizmente, o resultado final ficou muito aquém das minhas expectativas (demasiado) elevadas. Sim, o design do mundo é fantástico, assim como todas as árvores, flores, criaturas, mas sem uma história sólida a acompanhar, cai tudo por terra, literalmente. A dada altura parece que a acção fica estagnada, e o tédio toma as rédeas da situação. Confesso que dei por mim a fechar o olhos a meio da trama, o que só por si não  é um indicativo nada favorável. Não está mau, mas está muito longe de alcançar o seu potencial. 


Uma coisa é certa, os bichinhos que teciam as teias para segurar a lua  recuso-me a chamá-los de aranhas — e que pareciam uma versão actualizada dos furbys, são a coisa mais fofinha de sempre e extremamente cómicos. Quem me dera  que tivessem um spin-off. Também os diabretes serviram para injectar momentos de comédia na história, mas não foram devidamente explorados. Não querendo revelar spoilers, um deles adorava flores e se não se apaixonarem por ele, questiono seriamente a vossa humanidade.


Apesar de preferir ver longas de animação dobradas em português (algo que não se aplica a mais nenhum género cinematográfico) em criança, há alguns anos que só assisto às versões originais. De qualquer modo, não fiquei muito convencido com a escolha de vozes dos protagonistas. Dos três, penso que a Isabel Silva (Cire) fez o pior trabalho. Não tem nada a ver com a personalidade dela, mas notava-se que era a primeira vez que fazia um trabalho do género. Não cativou e tão pouco foi credível. Em contrapartida o Nuno Eiró foi uma revelação. Pelo que sei só tinha tido uma experiência com dobragens no passado, e para televisão, mas conseguiu transmitir na perfeição todos os defeitos e mudanças de humor do Guardião do Sol. Pedro Górgias não é nenhum novato nestas andanças e de uma maneira geral gostei da sua prestação como Mune. Dito isto, as melhores vozes foram dos actores sem nome. Sim, aqueles que só por não aparecerem nas televisões não têm direito ao mesmo nível de tratamento e reconhecimento que as chamadas "vedetas". Vejam o filme, vão perceber.


Não era suposto escrever um "Movie Lounge" esta semana, mas a minha namorada conseguiu dois convites através do trabalho dela, e ontem à noite tive o privilégio de assistir à antestreia deste filme francês. O "evento" ocorreu pelas 19h30 no Dolce Vita e contou com a presença das três vozes principais da versão portuguesa, além de outras personalidades da televisão nacional, como a Cláudia Vieira, Vanessa Oliveira, Marta Cruz e a Raquel Strada. Com realização de Alexandre Heboyan e Benoît Phillippon, "Mune, o Guardião da Lua" estreia em Portugal a 5 de Novembro.

Classificação IMDb: 7.2/10
Classificação Ghostly Walker: 6/10

Já tinham ouvido falar deste filme? Ficaram curiosos?

8 comentários:

  1. Apesar de não ver muitos filmes desse género, parece ser engraçado.

    ResponderEliminar
  2. OMD quando referiste «furbys» lembrei-me logo do facto de ter ainda um que funciona, basicamente fala e mexe os olhos!!! xD mas agora relativamente ao filme, estava a ficar super curiosa até ao momento em que referes que a história ficou aquém das tuas expectativas e que tu acabaste por até fechar os olhos tal era o tédio... Agora não sei se quero ver ou não xD

    ResponderEliminar
  3. Gosto de ler os teus comentários/observações. Não sabia da existência deste filme mas fiquei a saber mais qualquer coisa :)
    with love, KATE ❤

    ResponderEliminar
  4. Nunca tinha ouvido falar, mas fiquei curiosa! A parte do tédio é que me deixo meio que receosa ahah

    xoxo, S

    ResponderEliminar
  5. Apesar de teres dito que te desiludiu, estou na mesma curiosa por ver, só pela questão da lua, gosto muito, além disso, o efeito visual parece fantástico, mas eu pretendo ver em inglês x)

    ResponderEliminar
  6. Pronto, convenceste-me. Vou ver o filme ^^ Parece ser um bom filme =)
    Por acaso, só gosto de ver as versões dubradas ou dobladas dos filmes/animação que via quando era miúda. (Dubladas as que vinham do Brasil, como os primeiros filmes da Disney). Acho que é do hábito e, de certa forma, de ser um modo de voltar à infância. Aí, até os sons e as vozes contam =) Quanto aos filmes/animação que vejo agora, prefiro sempre ver a versão original. Sinto que são mais próximas da verdadeira mensagem que a obra tem para oferecer.
    Quanto à qualidade dos dobradores, em Agosto fui a um evento de "cultura pop" e uma das convidadas era a Cristina Cavalinhos, actriz e dobradora de há muito anos. Ela falou, entre muitas outras coisas, da questão das vedetas. Existem tantos actores e dobradores, que trabalharam e ainda trabalham de forma a tornarem-se cada vez melhores na sua profissão e, só para que o filme tenha mais publicidade ou porque alguém achou que isso seria, de alguma forma, positivo, convidam as ditas vedetas para fazer esses trabalhos, o que, normalmente, resulta num nível de qualidade muito abaixo =/
    ****

    ResponderEliminar
  7. Agora deixaste-me um pouco apreensiva quanto ao filme, porque eu vi o trailer e ando ansiosa para o ver. Só espero que não me desiluda muito!

    http://nuagesdansmoncafe.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...