Pages

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

9/11


Tenho tentado ignorar os chamados "assuntos do dia", mas está a revelar-se uma tarefa ingrata. Numa altura em que só se ouve falar sobre a Europa/Refugiados, Taxistas/Uber, e até da filha do Mourinho que por vestir um decote ousado, aparentemente hipnotizante, se parece ter tornado automaticamente numa deusa grega (não é, e não compreendo), vamos falar do 11 de Setembro de 2001.

Todos os anos somos bombardeados (péssima escolha de palavras), com as mesmas imagens do terror sofrido em Nova York. Sim, é um assunto mais que debatido, mas não se preocupem que não vou escrever uma longa reportagem sobre o dia em que o mundo parou e assistiu, perplexo, às imagens de um dos momentos mais negros da história da humanidade. Quer acreditem ter sido um atentado terrorista ou um golpe do governo americano, a verdade é que num piscar de olhos, já se passaram 14 anos desde o fatídico 9/11. Digam o que disserem, o mundo nunca mais foi o mesmo

Embora não passasse de uma criancinha de 9 anos, tenho a vívida memória da tarde em que tomei conhecimento do sucedido. Devia passar pouco das 18 horas quando a minha mãe me foi buscar ao meu antigo ATL, em Santo Amaro, Lisboa. À saída contou-me que "aviões foram contra as torres gémeas e muitas pessoas morreram". Lembro-me perfeitamente de ter olhado pelas inúmeras árvores na rua, para o céu azul e limpo, e pensar que éramos os próximos. Não menti quando disse que era dramático. 

Brincadeiras à parte, fiquei genuinamente assustado com a possibilidade de acontecer algo semelhante em Portugal. Aliás, sempre que existem novos ataques terroristas, é a primeira coisa em que penso. Por alguma razão, costumo ter um feeling de que o alvo será a ponte sobre o Tejo

Aos nove anos não havia muito que pudesse fazer sem ser ficar colado à televisão. Vi imagens a que nenhuma criança devia ser exposta, mas devemos ter noção do que se passa no mundo. Não posso sequer escrever que "imagino" o que aquelas pessoas sofreram, porque simplesmente não é possível. O desespero que leva alguém atirar-se de alturas superiores a 30 andares é algo que espero nunca compreender.


Como nem tudo é um terror, a natureza ainda nos consegue surpreender pela positiva. A um dia de celebrar mais um aniversário do "11 de Setembro", surgiu um arco-íris (de alguns ângulos, duplo) no local exacto onde ficavam as torres gémeas, em Nova York. Claro está que não passou de uma feliz coincidência, mas não deixa de ser um fenómeno curioso.

Lembram-se onde estavam quando ouviram as notícias do atentado de 2001?

12 comentários:

  1. Eu tinha 15! Eu ouvi a noticia na radio! Até pus mais alto, porque não tinha acreditado em tal coisa.. Vinha do trabalho da minha irmã.. as duas, parvas a ouvir a radio!
    Mas depois quando cheguei a casa, liguei televisão, Internet e ver tudo!
    Já passaram 14 anos? OMG ..
    http://alebanac.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. O mundo nunca mais foi o mesmo, mas é pena não ter mudado para melhor. O homem teima em não aprender com os erros nem com a história. :/

    ResponderEliminar
  3. Não sabia dessa do arco íris. Não me lembro de nada mesmo, nem de ouvir falar, também devia ser mesmo pequenina, tinha 4 anos praí. Mas é uma história que não gosto mesmo de relembrar, so de saber o sofrimento que tanta gente passou.

    The eyes of a Mermaid

    ResponderEliminar
  4. Neste dia eu estava em casa e lembro-me perfeitamente de estarmos a jantar e o jornal começa com esta notícia e ficámos todos chocados a olhar para a televisão. Confesso que chorei. Foi e é um dia que me marca bastante pelas imagens, pela destruição, pelo sofrimento. Algo que, tal como achas que algo parecido poderá acontecer à ponte sobre o Tejo, eu tenho a ideia de que vai acontecer num prédio aqui da minha cidade ao que chamamos "prédio alto". É, de facto, alto (apesar de nada comparado com as Torres Gémeas) mas é também o local onde está sempre muita gente, pois é um centro de saúde.

    ResponderEliminar
  5. Nesse dia, com 11 anos, estava na casa da minha avó (eu vivia com ela) e que, nesse momento, ela tinha saído da cozinha, que era onde passávamos a maior parte do tempo, ora a ver televisão, ora a cozinhar (no caso dela) ou a brincar/fazer os trabalhos de casa (no meu caso), fazer não sei o quê. Estava a dar uma daquelas novelas mexicanas dobradas em português do Brasil na RTP1. De repente, a imagem muda, e por momentos não me apercebi que a novela tinha parado. Depois pensei: já acabou, deve ser um filme e, assim do nada, só vejo um avião a enfaixar-se na primeira torre e catrapimbas cá para baixo. Pensei: que filme estranho. Só depois percebi que era uma coisa a sério. Pouco depois, veio o segundo avião.
    Lembro-me que fiquei confusa, sabia que não era ficção, que aquilo estava mesmo a acontecer à frente dos meus olhos, mas ao mesmo tempo, era demasiado surreal. Só muito tempo depois (anos) é que consegui assimilar/processar a situação.
    ****

    ResponderEliminar
  6. Desde 2001 que o mundo nunca mais foi o mesmo. Estava a chegar a casa, depois de uma manhã no supermercado, e lembro-me de ver na televisão as primeiras imagens. Estava longe de imaginar como o mundo iria mudar e o que aquele atentado ( na altura nem sabia que o que isso significava) implicaria.

    ResponderEliminar
  7. Em relação aos refugiados muito sinceramente acho que vamos todos arrependermos-nos amargamente de os ter-mos deixado entrar. Era óbvio que não vinha só "gente boa" para a Europa.
    A situação do Umber foi brutal, toda a gente ficou a conhecer algo que desconhecia, algo mais em conta e mais "fino".
    Já a filha do Mourinho de nua fazia show (na minha opinião), não entendo porque tanta gente a falar quando a miúda (de cara) nem é nada de outro mundo, só porque tem um par de mamas é a maior. LOOOL

    Tirando as desgraças.

    Realmente a natureza é incrível é verdade que nem sempre e favorável ao ser humano mas quando nos surpreende, surpreende em grande. Parece que a queda foi ontem...


    Beijinho gigante <3

    Se poderes passa pelas minhas redes sociais e comenta amava saber a tua opinião!
    Facebook | Blog | Instagram | Canal no YouTube

    ResponderEliminar
  8. Nós lembramo-nos exactamente o que estavamos a fazer. De facto é uma altura em que todas as perspectivas do mundo são chacinadas e substituídas pelo medo do que possa vir aí...
    É uma data onde todos somos NY.

    - Ela e Ele, do blogue de casal.

    ResponderEliminar
  9. Por acaso lembro-me.. Estava em casa e por acaso acabei por assistir quase em directo.. Na altura lembro-me que não percebi bem o que tinha acontecido, mas é algo que nunca irei esquecer..

    ResponderEliminar
  10. Tinha 4 anos por isso não me lembro bem ahah estou a seguir :)

    ResponderEliminar
  11. Eu não me lembro porque tinha apenas 1 anito de idade. Mas ainda hoje se ouve falar deste terrível acontecimento e ainda hoje não compreendo o "porquê"...

    ResponderEliminar
  12. Lembro-me como se fosse ontem.....São dias que não se esquecem, infelizmente.
    Beijinhos**

    http://friendshipandstyle.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...