Pages

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Predadores Sexuais nas Redes Sociais
























Para quem não está familiarizado, Coby Persin tem 21 anos e faz vídeos para o youtube. Além de partidas, o jovem norte-americano que afirma ser parecido com o Zac Efron (coitadinho), também realiza experiências sociais. A mais recente foi sobre os perigos das redes sociais e os predadores sexuais.

O Coby criou um perfil falso no facebook fazendo-se passar por um rapaz de 15 anos, e com a permissão dos pais, adicionou três raparigas com idades entre os 12-14. Após quatro dias a trocar mensagens, combinam encontrar-se. O que elas não sabiam é que os respectivos pais estariam escondidos para surpreendê-las em flagrante.

Das três, apenas uma acordou encontrar-se com o "Jason" num parque infantil e durante o dia. As restantes nem ponderaram as suas acções e deram as suas moradas ao rapaz "falso" para se poderem ver à noite. Como se isto não fosse grave o suficiente, uma delas chegou mesmo a entrar na carrinha do "irmão mais velho" (era o Coby) do suposto rapaz.


Sei que este tipo de experiências não é novidade nenhuma e que coisas destas acontecem todos os dias e muitas vezes mesmo em baixo dos nossos narizes. Ainda assim fiquei chocado com o que vi. Tendo em conta o que ouvimos diariamente nas notícias sobre assaltos, violações e mortes, como é que ainda há pessoas assim? Esperava este tipo de ingenuidade de alguém de uma faixa etária elevada, mas de jovens/crianças? É algo que me ultrapassa.

Numa era de Tinder, Grindr e afins, as pessoas colocam de lado a sua segurança em troca de momentos de prazer. Claro que essas apps são para maiores de 18, mas mesmo assim. Como nunca utilizei nada do género, não posso falar do que não sei. Contudo, nunca há garantias de que a pessoa com quem estão a falar não é um perfil falso, com dados e fotografias roubados. Não é há toa que existe um programa na MTV chamado Catfish (um "catfish" é uma pessoa que finge ser outra na internet).

Queria evitar fazer juízos de valor, mas é praticamente impossível. Tudo bem, compreendo a excitação que às vezes nos invade e bloqueia o nosso raciocínio, mas há limites! Por muito que estivesse interessado em conhecer alguém, sei que nunca e sob hipótese alguma damos a nossa morada a estranhos. Não só isso como, entrar para o carro de um desconhecido a meio da noite? Meu Deus!

Por norma culpam sempre os pais pelas atitudes dos filhos, mas desta vez não sei se é o caso. Todos os progenitores que apareceram no vídeo garantiram com toda a certeza que as suas meninas não iriam entrar na toca do lobo. Estavam todos errados. Portanto a culpa é de quem? Será que os pais não discutem regularmente este tópico por darem como garantido que as filhas já o conhecem ou elas não querem saber e #yolo?

Apesar da grande maioria dos visitantes deste blogue ser maior de idade, nunca é demais deixar o alerta. Quer sejam filhos, irmãos, amigos, ou até mesmo vocês, por favor, não façam o que a Mikayla, a Julianna e a Jenna fizeram. 

16 comentários:

  1. Estou completamente chocada. Eu sei perfeitamente que existem casos destes, mas nunca li propriamente um caso concreto como um teste e fico chocada com o que estas miúdas fazem. Como podem dar a morada da própria casa? Até para fazer compras online onde os nossos dados são privados e protegidos eu evito sempre dar a minha morada, quanto mais...

    ResponderEliminar
  2. É assustador como os adolescentes acham que essas coisas "más" só acontecem aos outros. Num mundo cada vez mais interligado há que ter sempre o dobro (ou triplo) de cuidados!!! x

    ResponderEliminar
  3. Já tinha visto e é realmente chocante!

    ResponderEliminar
  4. As novas tecnologias têm mt de bom e de mau, mesmo com tantas notícias sobre isto os miúdos não percebem que o perigo é real...

    ResponderEliminar
  5. Tive conhecimento deste vídeo através do facebook e, depois de visualizar, fiquei sem saber o que pensar. Tal como referes, parece quase inconcebível que crianças/ jovens que vivem num mundo onde há cada vez mais informação sobre predadores sexuais online, arrisquem encontrar-se com alguém que nunca viram, sem qualquer rectarguarda e, pior ainda, durante a noite. Eu lembro-me de ter a idade delas e ter sempre o maior cuidado quanto a falar com estranhos na Internet. Nunca, em momento algum, me passou pela cabeça marcar um encontro com alguém com quem apenas falava através de mensagens de texto. Mas, a verdade, é que nem todos os jovens pensam da mesma forma. É, realmente, um assunto a ter em conta e espero sinceramente que os pais olhem para este vídeo como um alerta. Como a Mikayla, a Julianna e a Jenna, há muitas outras(os) jovens por aí que podem não ter a sorte de tudo se tratar apenas de uma "brincadeira".

    ResponderEliminar
  6. Vi este vídeo a semana passada e fiquei chocada. Este estudo foi feito na América mas cá em Portugal passa-se exactamente o mesmo. Mais do que chocada fiquei assustada porque tenho uma prima a entrar nesta idade e que já anseia demasiada liberdade. Acima de tudo fiquei feliz por ter crescido numa era em que não havia internet e em que era mais seguro ser adolescente. Hoje em dia é tudo demasiado fácil. Está tudo demasiado exposto. E os perigos espreitam de todos os cantos. Muitos dos pais nem imaginam.

    ResponderEliminar
  7. Olá,
    Vi o vídeo e fiquei triste com a falta de prudência dessas garotas, tragédias poderiam acontecer e esse susto foi mais que merecido, é incrível como elas chegam a ser inocentes, que coisa horrível. E olha a roupa que a última guria usou =o. Nossa .
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Oi Ricardo!
    Tudo bom?
    Show seu site, gostei muito!
    Postagens como essa, ainda que já tenhamos lido em vários lugares, é sempre bem-vinda e necessária. O prazer carnal parece estar na frente de todas as outras razões hoje em dia. As pessoas madosas estão aí, mas há muita gente que - não considero pessoas ingênuas - que tem todos os suportes para ler sobre tudo, veem sobre tudo e ainda assim não se importam com o cuidado.

    Abraço.
    - Diego, Blog Vida & Letras
    http://blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. God, isto é tão perigoso. Não entendo!! Deve ser um pânico para os pais. Coitados!!

    ResponderEliminar
  10. Depois de ver este tipo de coisas, nada me admira. A maioria dos pais acha uma coisa completamente diferente dos filhos, e isso assusta-me um bocado um dia que venha a ser mãe. Tal como referiste, o erro será dos pais ou elas simplesmente não querem saber?
    Beijinho
    www.embusca-de-umsentido.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Nossa eu vi esse vídeo nas redes sociais e fiquei chocada. As garotas realmente acreditam nesses aproveitadores! É uma coisa muito perigosa!!!

    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderEliminar
  12. Sempre é bom alertar aos responsáveis pelas crianças pois a pedofilia está em alta nesse mundo de redes sociais, só que alguns pais acabam por ser perdendo também e esquecem dos filhos. É um perigo e tanto e adorei esse teste de conscientização, espero que os pais assistam e fiquem mais atentos.

    ANDYZANDO

    ResponderEliminar
  13. Oi Ricardo! Nossa que post interessante, amo pessoas com a mesma opinião que eu. Sou totalmente contra o Tinder, você ''conhece'' um cara que coloca aquilo que ele quer na rede social, e a pessoa se encontra com uma pessoa assim. O mundo hoje está mais que perigoso, não se pode confiar em ninguém, principalmente nesse sentido. Amei a ideia do vídeo! Realmente hoje em dia tem que se tomar muito cuidado com quem se relaciona.
    Adorei o tema do post :)

    Keep Calm Girls
    Insta do blog

    ResponderEliminar
  14. Ainda acho mais piada aos pais, os da terceira miúda, que diziam cheios de convicção que não acreditavam que a filha fosse capaz de fazer o que fez... Estão à espera do quê? Se formos a ver todas aquelas crianças tinham telemóveis topo de gama, maiores e melhores que até o meu! E como é que com a idade que têm já lhes foi dada autorização para ter um perfil seja em que rede social for? Porra eu com a idade delas lia livros, desenhava, escrevia... Computador era só um em casa e nem tinha net!!

    ResponderEliminar
  15. É incrivelmente assustador. Eu não fui adolescente durante a era das redes sociais (já havia Hi5, mas não tinha, e muitos colegas meus também não) e ainda bem! Hoje em dia tudo flui pelas redes sociais, e com 14 anos é difícil os miúdos perceberem que se estão a expor demasiado. Mesmo com tanta informação, há muitos pais que dão demasiada liberdade para os miúdos, e depois é-lhes extremamente difícil filtrar. Felizmente nem todos têm a cabeça fora do lugar, mas é próprio da idade ser assim e, sem limites, não dá para controlar.
    ***

    ResponderEliminar
  16. E tenho quase 16 anos (querendo com isto dizer que o ambiente em que cresceram - a era das redes sociais e coisas do género - é semelhante ao em que vivo) e nunca na minha vida iria encontrar-me com um estranho que conhecesse através da internet, NUNCA.

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...