Pages

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

MOVIE LOUNGE | 'Inside Out' (2015)


Olá, sou o Ricardo, tenho 23 anos, e chorei a ver o 'Inside Out'. Nem o filme tinha começado e já me tinha emocionado com a curta metragem "Lava" que exibiram. Damn you Pixar! 

Não sou pessoa para gastar dinheiro a ver filmes de animação no cinema, mas fui vê-lo na semana passada e não me arrependo. Se pertencerem ao reduzido grupo de pessoas que ainda não o viu, vamos à sinopse.


A história centra-se no que se passa dentro da cabeça de Riley, uma menina de 11 anos que se mudou para San Francisco com a família. A Alegria, o Medo, a Raiva, a Repulsa e a Tristeza são as cinco emoções que vivem no quartel-general do seu cérebro, onde a Alegria - a capitã - tenta equilibrar os estados de espírito, ao mesmo tempo que tenta fazer com que a vida de Riley nunca deixe de ser feliz. 

A trama intensifica-se quando a Alegria e a Tristeza, as emoções mais importantes, acidentalmente se perdem dentro do cérebro da menina. Com o centro de controlo sem a Alegria a comandar, o poder fica nas mãos do Medo, da Raiva e da Repulsa, e Riley perde completamente a sua identidade. Numa viagem atribulada contra o tempo, as duas emoções opostas vão ter que colocar as suas diferenças de lado e unir esforços para conseguirem regressar ao seu posto de origem.



Não tenciono fazê-lo, mas se revelar demasiado, peço desde já desculpa. Um dos aspectos que mais me fascinou nesta história foi a maneira simples e eficaz com que o público se apercebe que sem a tristeza as nossas emoções não funcionam correctamente. A própria personagem "Alegria" menosprezou e desvalorizou a importância do estado de espírito oposto ao seu durante grande parte do tempo. Felizmente acabou por entender que a Tristeza também é essencial para o desenvolvimento e crescimento da mente.



Além das cinco emoções mencionadas, falta referir uma personagem de extrema importância: Bing Bong, o amigo imaginário de infância de Riley. Entrei oficialmente em terreno pantanoso. O seu papel na história acaba por ser o de um veículo para o sucesso da missão da Alegria e da Tristeza. Ao fim ao cabo, representa o crescimento e transição da criança para a adolescência. 

O elefante que em vez de lágrimas chora doces pode ter conquistado o meu coração mas, curiosamente, a personagem que mais me fez rir foi a Tristeza. Ao contrário da Alegria que só por si se torna irritante, a Tristeza consegue brilhar sozinha. Não vou negar que passado algum tempo já ninguém a podia ouvir, mas a maneira como ela se queixava e as expressões que utilizava eram hilariantes. Lá está a questão do meio termo entre estas duas emoções.


Alguns pais criticaram o facto desta longa metragem ter uma certa carga emocionalmente pesada. Lamento imenso mas quem é que disse que o género animado tem que ser obrigatoriamente vazio? Se preferem uma história sem qualquer conteúdo, aconselho-vos a ver os 'Minions'
Sim, compreendo que este seja um trabalho melhor compreendido por um público mais velho, mas os elementos de comédia não têm limite de idade. Quanto aos momentos mais emocionais, não é nada que uma criança não consiga tolerar.

O conceito de 'Inside Out' ganha pela criatividade e por uma narrativa cuidada que nos deixa a pensar. Aconselho-vos a assistirem aos créditos, não se vão arrepender.

Classificação IMDb: 8.6/10
Classificação Ghostly Walker: 8/10

Já viram o 'Inside Out'? Qual é a vossa opinião sobre o filme?

13 comentários:

  1. eu adorei! acho que o filme está incrivelmente bem conseguido :)

    ResponderEliminar
  2. Olá, Tiago. Obrigado por teres partilhado connosco esse teu momento.
    Acho que chegou a altura de partilhar o meu. A sala estava escura e as únicas cores presentes eram aquelas na tela, um amarelo vibrante e um cor-de-rosa choque; a Alegria e o Bing Bong estavam a tentar sair do Abismo para onde todas as memórias vão e são esquecidas. A Alegria consegue sair de lá, mas o mesmo não se pode dizer do amigo imaginário. Foi então que me senti verdadeiramente ameaçada pelas lágrimas. Podem fazer o que quiserem com a Riley, com a Alegria e com a Tristeza, mas deixem o Bing Bong em paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não queria revelar spoilers, mas senti o mesmo que tu. A dada altura já nem queria saber da Alegria, só mesmo do Bing Bong.

      P.S.: Chamo-me Ricardo :)

      Eliminar
  3. Adorei o filme e não tivesse eu ido vê-lo com um bando de 40 e tal miúdos, não me tinha controlado e chorava feito Maria Madalena. É dos filmes mais bonitos que já vi.
    Já agora, também achei a Alegria um bocado irritante e mázinha para com a Tristeza, se bem que também achei esta última um bocado chata. Lá está, o equilíbrio.
    Sem dúvida que a capitã do meu cérebro é a repulsa, somos tal e qual hahaha.

    ps: comecei a seguir-te no instagram! :)

    http://rapazdobuzio.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Já e amei :)) é tão fofo. Amei o facto de explicar com uma certa simplicidade que todas as emoções são necessárias e como é necessário lidar com as mesmas :)

    ResponderEliminar
  5. Quero TANTO, mas TANTO ver este filme! x

    ResponderEliminar
  6. Ainda não vi, mas se já tinha curiosidade em ver o filme, agora tenho mais! Parece muito interessante e com uma boa mensagem. Isso de os adultos achares que as crianças não percebem as coisas é uma falsa questão, e uma posição bastante arrogante, diga-se. As crianças são crianças, não sabem tudo e ainda estão a aprender sobre o mundo que as rodeia, mas não são estúpidas. E já agora, os adultos também não sabem tudo (se vires um adulto, não lhe digas, ele pode não perceber e fazer birra!).
    Gostei dessa noção de ambiguidade: nem tudo é bom e nem tudo é mau. Precisamos um pouco das duas coisas para "avançar" =) ****

    ResponderEliminar
  7. Tenho ouvido falar muito bem do filme.
    R: Eu não acompanhei a série logo mal estreou, mas já vi todas as temporadas e concordo contigo. Gosto muito da série, mas acho que chegou a um ponto em que não dá para "engonhar" mais e penso que não o vão fazer, mas nunca se sabe em PLL...

    ResponderEliminar
  8. Já vi o filme também, ao início não queria, mas a minha irmã mais nova tanto insistiu que lá teve que ser... O que posso dizer? Ainda bem que assim foi, porque é dos melhores, senão o melhor filme de animação dos últimos 5 anos da Disney! Muito bom mesmo, e não acho que seja assim tão pesado, faz bem às crianças ver algo com mais conteúdo!
    Beijinho
    www.embusca-de-umsentido.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Ainda não vi este filme, mas deixaste-me curiosa. Continuo a adorar filmes de animação, não há nada a fazer! Hey, deixa lá eu tenho 24 anos e continuo a chorar com a Bela e o Monstro. How sad is that? Vou tratar de ver este filme o mais depressa possível. Obrigada por partilhares :)

    ResponderEliminar
  10. Não tive a oportunidade de ver esse filme ainda mas já vi boas críticas em relação. Estou curioso para ver, pois realmente falaram que a história é muito bem produzida e até tem moral. Obrigado por deixar-me mais curioso.

    ANDYZANDO

    ResponderEliminar
  11. Tinha grandes expectativas para este filme pois toda a gente dizia maravilhas. Gostei mas não fiquei nada maravilhada. Overrated, na minha opinião.

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...