Pages

quarta-feira, 29 de julho de 2015

O Cavalheirismo Morreu


Não há volta a dar, o cavalheirismo está morto e enterrado. Cada vez mais tenho a certeza que pertenço a uma espécie em vias de extinção. Uma classe praticamente inexistente de alguns loucos que ainda sabem como tratar uma mulher. Sim, "cavalheiro" não se resume ao acto de ser cordial apenas com o sexo feminino, mas é sobre isso que vamos falar.

Fui educado pela minha mãe a tratar bem todas as pessoas, e a ter uma atenção especial com as mulheres. Não, não é uma atitude machista como já li por aí. Talvez devido à emancipação feminina e a igualdade dos sexos, muitos homens acharam por bem deitar as suas maneiras por terra. Agora estou a ser simpático, até parece que o homem comum se importa com tais questões. É pura falta de educação. Simples.

Felizmente nenhuma rapariga me pode apontar o dedo e dizer que não sou um verdadeiro cavalheiro. Não fiquem a pensar que me estou a valorizar, nada disso. Acreditem que consigo ser uma grande cabra quando quero. No entanto, e agora que estive o mês inteiro a trabalhar num espaço público com um café mesmo em frente, não imaginam as barbaridades que uma pessoa é obrigada a presenciar.

Já o referi algumas vezes mas partilho o meu local de trabalho com duas colegas. Sei perfeitamente que são capazes de fazer as mesmas tarefas que eu, no entanto, partiu de minha iniciativa carregar e arrumar a grande maioria das mesas, cadeiras e afins na hora de fecho. Ninguém me pediu, mas sabendo que consigo suportar mais peso, qual é o problema em ajudar?

Chamem-me antiquado, mas sou adepto de todo um conjunto de gestos que envolvem coisas básicas como segurar uma porta e ceder a passagem a uma mulher. Não é nada do outro mundo, certo? É que às vezes parece que é um comportamento alienígena. Nem preciso ir mais longe, se já assistiram a cinco minutos que seja de um 'reality show' da Venda do Pinheiro sabem perfeitamente do que estou a falar.

Seja com a minha namorada, mãe, amigas, estou sempre pronto para carregar sacos. Mais especificamente na minha relação, ao andar no passeio sou eu quem vai do lado da estrada, e em escadas rolantes subo atrás dela. Elogio-a várias vezes a cerca da sua aparência, com ou sem maquilhagem, e às suas outifts. Em caso de frio, abdico do meu conforto para lhe dar o meu casaco e tenho sempre um pacote de lenços à disposição. Quando possível até a porta do carro abro, e só não pago por todas as refeições e idas ao cinema porque a crise económica assim o impede.

Quanto a vocês não sei, mas para mim são os pequenos gestos que contam. Não sou assim para me armar em galanteador ou coisa que se pareça. Gosto de tratar bem as mulheres, porque a cima de tudo as respeito imenso. O problema é que a esmagadora maioria dos homens só se lembra destas coisas quando se trata das mães, avós e irmãs deles - e olhem que às vezes nem assim. Por sua vez há muitas mulheres que compactuam com o comportamento à la "macho latino" ou na versão actualizada, o garanhão que está mais preocupado com o próprio cabelo do que com o bem-estar da namorada. Sou extremamente observador, portanto acreditem que sei do que estou a falar.

Ajudar e ser educado para com uma mulher (ou qualquer pessoa) deveria ser um pensamento universal por parte dos indivíduos do sexo masculino. Matem o macho man e ressuscitem o cavalheirismo!

Raparigas, os cavalheiros fazem falta? Rapazes, não me desiludam.

19 comentários:

  1. Felizmente ainda conheço muitos cavalheiros e o meu namorado é um perfeito exemplo disso! x

    ResponderEliminar
  2. Felizmente até agora tenho conhecido rapazes muito cavalheiros, desde o meu amigo de infância que, em garoto, puxava-me a cadeira para me sentar ao meu namorado que mal me vê com o saco de treino tira-mo das mãos para o carregar. E com as compras é outra luta porque quero levar coisas e ele não me deixa carregar nada, ou então deixa-me levar um pacote de bolachas enquanto ele carrega a despensa inteira x)

    ResponderEliminar
  3. Acredito que isto é mais uma daquelas coisas que depende muito do exemplo que se vê em casa.

    ResponderEliminar
  4. A ver se me consigo explicar...
    Concordo praticamente com tudo mas penso que este respeito, estes pequenos gestos deviam de ser gerais. Seja elogiar o amigo ou amiga, marido ou mulher, seja o abrir a porta a uma mulher, como a um homem, idoso ou criança (eu pelo menos sou assim e o meu homem também) mas na porta, quem passa primeiro sou eu por cortesia dele. (obviamente que não elogio pessoas desconhecidas... quer dizer já o fiz haha)
    Na nossa relação também lhe agradeço imenso quando ele carrega os sacos mais pesados, eu até sou uma moça de força mas não tenho tanta como ele.
    Também agradeço quando chego a casa e ele tem o almoço ou jantar feitos. E penso que o olhar o bem estar é mutuo. Porque isto do cavalheirismo tudo bem que supostamente é dos homens para as mulheres MAS também é das mulheres para os homens. Também gosto de olhar o bem-estar dele, também o elogio. Sabes este cavalheirismo devia de ser mutuo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sim, também acho que o respeito deve ser mútuo. Tal como referi logo no início do texto, "'cavalheiro' não se resume ao acto de ser cordial apenas com o sexo feminino', apenas optei por esse ângulo de abordagem ao tema :)

      Eliminar
  5. Não há como não concordar contigo. Os homens geralmente esquecem as boas maneiras e acham que o que está certo é falar as berros e tratar as mulheres como se fossem gado, é estúpido, mas é verdade. Como é óbvio os cavalheiros fazem falta, não apenas para tratar bem quem conhecem mas, como mencionaste, tratar bem todos em geral. Óbvio que se não for alguém que mereça, virar as costas não é falta de cavalheirismo. Já vi muitos homens a ver uma mulher a custar a carregar sacos e quem teve que ir ajudar fui eu que mal consigo com um garrafão de 5 litros.
    Felizmente para mim vivo rodeada de cavalheiros, tanto os homens da família como o meu namorado e amigos são bastante respeitadores e fazem esses pequenos gestos que parecem pouco mas que acabam por marcar a diferença.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Os cavalheiros e as cavalheiras fazem muita falta! Já cheguei quase a levar com portas na cara porque as pessoas (homens e mulheres!) nem olham para trás para ver se vem alguém. Felizmente fui bem educada e o meu namorado também! Ele é tal e qual como tu te descreveste! Tanto eu como as mulheres da tua vida temos muita sorte! Continua a ser sempre assim ;)

    ResponderEliminar
  7. A verdade é que cada vez mais vemos miúdos (e graúdos, mas os miúdos é que são futuro), que não se sabem comportar. Ja nem é falta de cavalheirismo, é mesmo falta de boas maneiras, falta de educação.
    Pessoalmente nunca gostei que um namorado meu me pagasse jantares, cinemas e afins, mas a atenção de me segurarem a porta, de ficarem do lado de fora do passeio, são coisas que pequenas, que fazem toda a diferença, e aceito-as e aprecio-as, tal como gosto que aceitem e notem determinados gestos que nos raparigas, também temos (:

    ResponderEliminar
  8. Acho que devias organizar uma série de workshops sobre este tema... =P

    ResponderEliminar
  9. Nunca deixes de ser assim, acredita em mim! Não és uma espécie em vias de extinção por boas causas, muito pelo contrário! Há verdadeiros otários que tratam muito mal as mulheres e ainda se acham boas pessoas. Enfim... Continua assim! :)
    Beijinhos grandes e muitas felicidades! <3

    Chamam-me Pequenita - https://chamammepequenita.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. Faltam muitos cavalheiros! Ainda agora comecei a fazer um estágio e fico admirada sempre que o meu orientador me abre a porta do que quer que seja ou me deixa passar primeiro. Hoje em dia ninguém dá atenção a essas coisas.

    Lena's Petals xx

    ResponderEliminar
  11. Eu sou um bocado como tu, atencioso e prestável nesses aspectos. Detesto (mas mesmo de ódio) pessoas que entram no elevador e nem dizem nada, ok que somos vizinhos mas (como referiste e bem) é uma questão de educação porra, parar e dar dois dedos de conversa com uma pessoa que provavelmente ves todos os dias, porque não? Hoje em dia a questão do pagar é relativa, tento imensas vezes pagar e chegar-me à frente tanto com a minha namorada, amigos e família mas parece que ficam-me a dever um favor.. e que mais tarde tem que o saldar (o que é errado na minha perspectiva)
    Por fim, quero dizer que é possível estar preocupado com o cabelo, com o facto de ser atencioso e prestável e com o bem estar da namorada (ola, sou o Rodrigo e o meu problema é ser vaidoso quanto baste ahaha)
    Abraço, Rodrigo | OOTD Blog | OOTD FB

    ResponderEliminar
  12. Infelizmente, tanto nas notícias, como em telenovelas, como em jornais... Enfim, em todo o lado se pratica o "Sê um bad boy e elas caem-te aos pés". As próprias mulheres cada vez se desleixam mais e começam a arrotar em conjunto, em público e outros que tais. É tudo normal... Não!! Nós, tal como tu, gostamos de ser mais à antiga. Gostamos das típicas regras de etiqueta e isso não impede que sejamos contra os machistas e feministas, ao contrário do que muita gente pensa. O que se passa é que a sociedade parece querer deixar esquecer o que é a educação... Cada vez é mais notório que as crianças choram e é-lhes dado tudo o que pedirem, para que parem de chatear. Não é assim que se forma o mundo! Já o outro dizia "Eduquem as crianças e jamais será necessário castigas os adultos". Nós acreditamos neste lema e achamos que é por aqui que passa uma sociedade evoluída. É triste, mas quem ainda acredita nesta evolução deve continuar a defender o que acredita! Neste sentido, deixamos-te os nossos parabéns por isso! :)

    Ela e Ele, do Blogue de Casal.
    www.elaeele-nos.blogspot.com

    ResponderEliminar
  13. Concordo plenamente! Na minha sala os meninos são ridículos. Eles não respeitam ninguém, não respeitam a presença de meninas na sala, esbarram e não pedem desculpa, são mal educados e nem um pouco cavaleiros. Se eles com a idade que têm são assim, eu nem quero imaginar adultos !
    http://meninabelly.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  14. Por acaso o meu Moço tem essa postura comigo (e não só, mas especialmente comigo), e não acho isso nada fora de moda. Eu gosto de me sentir acarinhada e protegida, pois claro! Acho que fazes muito bem em ser assim, aliás, é uma mostra de boa educação. E como dizes, não é uma questão de apenas ser cordial com as mulheres, mas antes com toda a gente =)
    ***

    ResponderEliminar
  15. Adorei o teu blog e este post sem dúvida está demais e claro contém toda a veracidade em cada palavra, infelizmente já nada é como era!
    Comecei a seguir :)
    Beijinho*
    Catarina'Azevedo
    www.dontcreatelimitations.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  16. Concordei com cada ponto em que tocaste. Mas, enquanto mulher, tenho a dizer que as mulheres também precisam de ser "cavalheiras". Portanto, é uma coisa que me irrita de ambos os lados. Conheço raparigas que pensam que o namorado, por ser homem, tem que fazer tudo. E não me refiro apenas a carregar os sacos. Mas para não fugir ao teu tema, acho que sim, precisamos que os homens sejam ou voltem a ser cavalheiros. Do meu, não tenho queixa. Não anda tipo mordomo à minha volta, obviamente. Nem me faz vénias haha Mas aquilo que faz, que é o suficiente, fá-lo naturalmente. Isso é que é bom :)

    Isa,
    http://isamirtilo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  17. APLAUDINDO, fazem imensa falta pessoas com essa mentalidade que tu tens. E concordo com a Isa, as pessoas tendem e distorcer sempre as coisas. Ser cavalheiro não é o mesmo que se ser um escravo xD

    ResponderEliminar
  18. Não podia concordar mais com cada palavrinha que aqui escreveste. És genial, só isso! :D

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...