Pages

terça-feira, 21 de julho de 2015

MOVIE LOUNGE | Ex Machina (2015)


Caleb (Domhnall Gleeson), um programador numa empresa de internet, vence uma competição cujo prémio é passar uma semana no refúgio privado do CEO Nathan (Oscar Isaac). Chegando ao local, depressa se apercebe que o objectivo da sua estadia não é assim tão inocente. O jovem de 26 anos está ali como cobaia e a sua função é interagir com a mais recente criação de Nathan: um "robot" de última geração com inteligência artificial. Dentro do corpo de uma bela e sedutora figura feminina, Ava (Alicia Vikander) consegue agir, sentir e expressar-se. Embora tenha total consciência de que Ava não passa de uma máquina pré-programada, com o passar do tempo, Caleb começa a sentir uma inesperada atracção/ligação com ela. Conforme vão sendo reveladas mais informações sobre o projecto, o programador começa a colocar em causa as reais intenções daquela experiência, assim como as suas implicações éticas.


Estava tão animado para ver este filme como uma criança numa loja de doces. Chamem-me cromo, mas adoro o género de ficção científica. Além dos efeitos visuais servidos em prol da acção, aqui a temática da IA funciona na perfeição como uma ponte para reflexões filosóficas ou até mesmo sociais. Em vez do típico aparato tecnológico futurista, em 'Ex Machina' a preferência recai no desenvolvimento de questões do foro humano, como a consciência e a ilusão.


Contrariando outras apostas do mesmo género (Transcendence e Automata), que apesar de também questionarem as limitações da inteligência artificial, acabaram por se vender à espectacularidade, 'Ex Machina' é um trabalho discreto, com diálogos subtis que se focam na química entre as suas personagens. Química essa que pode existir entre humanos e máquinas. O papel de Alicia Vikander como Ava, uma obra ainda em fase experimental, foi bastante convincente.


Para os mais atentos, as conotações religiosas e filosóficas são no mínimo geniais. Desde o nome do andróide Ava (evidente alusão bíblica a Eva), ao próprio título do filme. "Deus ex machina" é uma expressão com origens gregas que basicamente significa "Deus surgido da máquina" (Caleb chega a comparar o trabalho de Nathan ao de um Deus). Hoje em dia é geralmente utilizada para designar uma resolução forçada ou fácil dos acontecimentos de uma obra. Se considerarmos "Poética" de Aristóteles, falamos do quase obrigatório destino infeliz do herói trágico (Caleb) - a catástrofe -, que apesar de forças para lá do seu controlo, tem por norma o seu motor inicial num erro. Mesmo que encaremos o protagonista como inocente, o desenrolar dos acontecimentos acaba por depender de um capricho divino, neste caso, por parte de Ava.


Do ponto de vista narrativo, os diálogos bem construídos enaltecem a cumplicidade entre as duas oposições de matéria em destaque, a carne e o sintético. Embora satisfeito com o filme (mesmo achando a história um pouco previsível), fiquei com um ligeiro sentimento de que poderia ter ido muito mais longe. Basicamente enchi o meu saco com gomas deliciosas, mas não tinham o meu sabor favorito na loja. 'Ex Machina' marca a estreia na realização do escritor e argumentista Alex Garland (The Beach), e é um dos melhores exemplares do género desde o subvalorizado I, Robot, de Alex Proyas.

Classificação IMDb: 7.8/10
Classificação Ghostly Walker: 8/10

Já viram o 'Ex Machina'? Partilhem as vossas opiniões!

7 comentários:

  1. Não vi, mas tenho mesmo, mesmo, mesmo de ver!

    ResponderEliminar
  2. Adorei este filme e admito que no fim apeteceu-me espancar a Ava mesmo já estando à espera do final! x

    ResponderEliminar
  3. Eu ainda não vi. O meu namorado quer ver mas eu não gosto muito de ficção científica, no entanto, agora que referiste essas referências religiosas e filosóficas fiquei com mais curiosidade em ver :)

    ResponderEliminar
  4. Em primeiro lugar deixa-me dar-te os parabéns pelo blogue que aqui tens Ricardo, é super completo, daqueles que dá imenso gosto seguir.
    Em relação ao filme estou já aqui a bater o pé para o vir com o meu namorado ahaha, a história agrada-me (também sou uma croma do sci-fi!) e pelo que disseste já percebi que o fim vai dar que falar!
    No IMDB está com uma nota de 7,8 por isso deve mesmo valer a pena ::)

    ResponderEliminar
  5. O FINAL DESSE FILME É TÃO WOW E WTF! (Desculpa a histeria ahaha) mas um daqueles filmes que nao dava nada mas que no fim surpreendeu-me imenso! Adoro este tipo de filme, com twists (nao posso spoilar mais né ahaha)
    Abraço, Rodrigo | OOTD Blog | OOTD FB

    ResponderEliminar
  6. Eu adorei o filme, mas o final deixou-me furiosa. Mas é assim que se ve que é um bom filme. E sou como tu, adoro este genero de filmes de ficção cientifica. O facto de ser Ava, alusivo a Eva, não me tinha lembrado, mas realmente faz todo o sentido em relação ao tema religião.

    The eyes of a Mermaid | Facebook Page | Instagram

    ResponderEliminar
  7. Esse tipo de filmes não me cativa muito mas acredito que seja interessante.

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...