Pages

sexta-feira, 15 de maio de 2015

MOVIE LOUNGE | "Lost River" (2014)


Não é segredo nenhum que Ryan Gosling é um actor talentoso. Como contador de histórias, nem tanto. Na sua estreia como director e roteirista, o elegante mas disperso Lost River, mais parece um tributo aos auteurs com quem já trabalhou. A inspiração descarada no Nicolas Winding Refn (Drive, Only God Forgives), cuja imagem de marca é o estilo vazio, neon e niilista, leva-me a questionar se o Gosling quer ser um forjador ou um cineasta. 


Filmado num bairro apocalíptico de Detroit, Estados Unidos, onde as casas em ruínas marcadas para demolição e os relvados altos indicam o êxodo da população devido a dificuldades económicas, a visão de Gosling centra-se numa família afectada pela recessão.
A Christina Hendricks (Mad Men), interpreta Billy, uma mãe solteira de dois rapazes que tem que contar os tostões para sobreviver. Vítima de um empréstimo fraudulento, está prestes a perder a sua casa de infância, se não arranjar dinheiro rapidamente. O seu novo gerente do Banco, Ben Mendelsohn (Bloodline), oferece-se para ajudá-la. Curiosamente ele também gere um clube burlesco underground onde os clientes entram em êxtase com shows pantomimos macabros. Eva Mendes (esposa do Ryan Gosling), é uma das artistas que guia Billy neste mundo obscuro.


Simultaneamente, Bones (Ian De Caestecker da série Agents of S.H.I.E.L.D.), filho mais velho de Billy, tentar ganhar o dinheiro possível através da venda de cobre que encontra em casas abandonadas. Tanto ele como a sua amiga Rat (Saoirse Ronan, chamada assim por ter um rato de estimação), são perseguidos e atormentados por Bully (Matt Smith, o Dr. Who), que tem o terrível hábito de torturar quem vai contra os seus planos ao cortar-lhes os lábios com uma tesoura. 
Segundo a Rat, a cidade deles, Lost River, está condenada. A jovem conta a Bones que há uns anos atrás uma cidade vizinha foi submersa para dar lugar a uma barragem, e desde então estão amaldiçoados. A única maneira de inverter o feitiço é trazer um pedaço desta Atlântida à superfície. Que tremenda confusão.


Sem dúvida um filme ambicioso e fantástico, do ponto de vista visual, mas tudo o resto é uma autêntica trapalhada. Há que parabenizar o cinematógrafo, Benoît Debie (Spring Breakers, The Runaways, Enter The Void), pelo excelente trabalho na captura de imagens. O problema foi o Ryan Gosling optar por bombardear-nos com visuais poderosos, atrás de visuais poderosos, resultando num diálogo ofuscado por imagens surreais e cores saturdadas. Existe uma barreira enorme entre a história e o espectador, ao estilo de David Lynch (Mulholland Drive), se bem que neste caso em vez de estimulante, torna-se monótono. É uma pena o Gosling não ter apostado mais no bizarro clube nocturno só por si. A vertente sci-fi é bem mais interessante que o já fora de moda neon ghetto.


Lost River é incrivelmente frustrante porque apesar da narrativa, está brilhantemente filmado e realizado, e o cast é óptimo. O Matt Smith foi uma revelação, enquanto que a Saoirse Ronan captou a atenção de cada segundo em cena. A banda sonora é genial, em certas partes lembrou-me o filme Drive. Gosling pode não ser um grande escritor, mas não podemos negar que tem um óptimo olho para a direcção artística à la Lynch e Refn. Em vez de escritor-director, Ryan Gosling devia ser considerado um cinematógrafo.

 
Classificação IMDb: 5.9/10
Classificação Ghostly Walker: 6/10

4 comentários:

  1. Ai estou-me a sentir tão estúpida por não saber disto xD Acho que vou trocar o filme que tinha destinado para hoje à noite por este. Curiosa para ver essa inspiração no Lynch. O único filme que odiei, de morte, com o Gosling foi mesmo o Only god forgives. Não me disse absolutamente nada, ao contrário do Drive.

    Isa,
    http://isamirtilo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Acho que nunca tinha ouvido falar :)

    R: Quem me dera estar no teu lugar, preferia nunca ter visto também ahah

    ResponderEliminar
  3. Vou ser-te franco, gostava de começar a ler livros estrangeiros para ver se me desenvolvo mais o meu inglês. Acho que seria uma ótima ajuda, não?! :/

    Sou muito leigo nisto dos filmes mas a minha lista de filmes que tenho de ver tem aumentado. Tenho lido imensas e ótimas críticas a diversos filmes e esta é mais uma. As imagens prenderam-me tal como o enredo!!!

    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  4. Como não vi o filme, não posso comentá-lo com propriedade. Mas o enredo e as imagens despertaram a minha curiosidade! Tenho de ver se arranjo um tempinho para ver.
    xx

    http://diariodeumafricana.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...