Pages

quarta-feira, 15 de abril de 2015

#WhoThat? | Marina and the Diamonds


Já não me lembro da última vez que ouvi rádio por vontade própria. Numa era dominada pela internet, porque é que hei de perder o meu tempo a ouvir músicas mais que ultrapassadas, mas que por cá são novidade, ou que se tornam populares por passarem em reality shows medíocres? Pelo que percebi a moda agora é o kizomba. Resultado, cada vez que ando de carro com alguém sou massacrado com as mesmas cinco músicas que, aparentemente, tocam num loop infinito.  

Cansado da falta de variedade musical em Portugal, decidi criar a rubrica #WhoThat? Sim, o título foi inspirado na "Fancy" da Iggy (se não sabem do que estou a falar, então estão no sítio certo).


Nunca ouvi uma única música da Marina and the Diamonds na rádio portanto parece-me bem começar com ela. Para quem não a conhece, a cantora galesa ganhou algum reconhecimento ao ficar em segundo lugar na lista “Sound of 2010” organizada pela BBC. (Cada vez que penso que a Ellie Goulding ficou em primeiro até me dá uma coisinha má).

Posso dizer que acompanho a Marina desde o início da sua carreira. O álbum de estreia, "The Family Jewels", foi lançado em 2010 , e chegou à quinta posição no top de álbuns do Reino Unido.

A sonoridade é bastante diversificada, saltando do indie e pop-rock para um estilo mais experimental. As letras das músicas são honestas e extremamente cínicas, o que eu adoro. Os temas centrais focam-se no poder de sedução do consumismo, os valores sociais modernos, a família e a sexualidade feminina.

Excepto uma ou duas músicas um bocado irritantes e cansativas, este disco é óptimo. Já se passaram cinco anos e ainda ouço a "I'm Not A Robot" regularmente, por isso não estou a exagerar. Há certas partes na voz da Marina que me lembram a Kate Bush, o que só por si é um enorme elogio.



Faixas Favoritas: I'm Not A Robot, HollywoodOh No!ObsessionsShampainRootless.



Dois anos e um desgosto amoroso depois, nasce "Electra Heart" (2012). O estilo deste álbum (electropop), é completamente distinto do anterior, mas o cinismo e os tópicos de amor e identidade feminina continuam presentes. 

Para esta era a Marina criou a personagem "Electra Heart" que segundo ela funciona como um "veículo para retratar o 'sonho americano' com elementos da tragédia grega". Basicamente é uma história dividida em quatro partes, "Teen Idle", "Primadonna", "Homewrecker" e a "Su-Barbie-A", e que ganha vida com os vídeos.

Apesar dos críticos se dividirem em relação à mudança de estilo, a verdade é que a Marina and the Diamonds ganhou um novo leque de fãs e o disco alcançou o nº1 no UK. Compreendo quem diz que as melodias são mais genéricas, mas em termos de conteúdo, é um trabalho sólido. Cresci nos anos de ouro da música pop, portanto não é de estranhar que este seja o meu álbum preferido dela. Além do mais foi a minha banda sonora quando fui pela primeira vez a Inglaterra com a minha namorada. 

As baladas e os elementos visuais são sem dúvida alguma a melhor parte deste projecto.



Faixas Favoritas: PrimadonnaLiesStarring RoleTeen IdleBuy The StarsHow To Be A Heartbreaker.



Lançado no mês passado, "FROOT", é um álbum consideravelmente mais reflexivo. "Metade deste álbum fala sobre uma relação que eu tinha que acabar. Não é algo com que eu me sinta bem (...) É sobre a culpa que sentimos por magoarmos alguém. É tão difícil quanto ser rejeitado ou trocado." - Marina Diamandis.

Pensei que fosse sentir falta da bitchiness nas letras dela, mas assim que ouvi o primeiro single, "Froot", fiquei rendido. Sinceramente quando a ouço imagino sempre um cenário intergaláctico com uma festa disco dos anos 80. É muito estranho mas super viciante.

A sonoridade geral deste disco aproxima-se de tal maneira do primeiro álbum que até há certas músicas que têm os instrumentais semelhantes. De uma certa forma, este devia ser o sucessor natural do "Family Jewels" e não o  "Electra Heart". 

Ainda não consegui formar uma opinião concreta sobre projecto. Aprecio o facto da Marina ter escrito todas as músicas sozinha e de ter gravado o álbum com uma banda ao vivo. No entanto tenho umas três músicas que realmente adoro, mas de resto não há assim nada que fique no ouvido. Ao que parece os críticos adoraram e ainda lhe valeu o primeiro top dez nos Estados Unidos (nº8).

Faixas Favoritas: Froot, Happy, I'm a Ruin.


Já conheciam a Marina and the Diamonds? Se sim, qual é o vosso álbum ou músicas preferidas?

2 comentários:

  1. Funny Fact: Ela é uma artista a solo e o "and the Diamonds" refere-se aos seus fãs. Não é uma banda como aparece por aí muita vez.
    O Electra Heart ainda é a minha workout soundtrack actually.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei, por isso é que não referi em lado nenhum que era uma banda. Olha para ela a falar de uma cantora que só conhece por minha causa. A audácia!
      Estou a imaginar-te a workout ao som da "Bubblegum Bitch" e é uma visão hilariante haha.

      Eliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...