Pages

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Está a chegar a 3ª temporada de "Orphan Black"


É já amanhã que estreia a terceira temporada de Orphan Black e dizer que estou ansioso é pouco. Aclamado pela crítica, o hit de culto da BBC América, não tem a visibilidade que merece em Portugal. As chances de não fazerem ideia do que estou a falar são muitas, portanto temos que alterar isso urgentemente.

Orphan Black conta a história de Sarah Manning (Tatiana Maslany), uma orfã com um histórico de delitos criminais que após presenciar o suicídio de uma desconhecida com a aparência idêntica à sua, resolve assumir a sua identidade. Ao fazer-se passar pela detective Elizabeth Childs, as intenções de Sarah eram simples, esvaziar a conta bancária da falecida e recomeçar uma vida com a filha de 7 anos, Kira (Skyler Wexler), e o seu irmão adoptivo Felix (Jordan Gavaris). A trama complica-se quando Sarah descobre algo impensável: ela é um clone. Há mais como ela e alguém está a matá-los.

A "verdadeira" Cosima, Cosima Herter.
No caso de estarem a pensar que esta é apenas mais uma série medíocre de ficção científica (acreditem que sei do que estou a falar), estão enganados. Uma das componentes mais interessantes do show é a parte científica. 

Curiosamente um dos clones tem o primeiro nome da consultora científica da série, Cosima Herter. O seu trabalho com os escritores é importante para assegurar que a clonagem e outros aspectos científicos e tecnológicos sejam cientificamente credíveis, assim como a envolvente ética e filosófica que a história possui. 
Paralelamente Cosima responde a questões dos fãs sobre a ciência em Orphan Black, no seu blog pessoal RealCosima.


Até ao final da segunda temporada ficamos a conhecer um total de 13 clones. Embora sejam fisicamente idênticos (claro que com as suas particularidades, como cor de cabelo, etc), tem nacionalidades e estilos de vida diferentes. Para terem uma ideia, há uma mãe de família dos subúrbios, uma lésbica e até um transsexual. Estou a controlar-me para não desvendar demasiado sobre a história portanto vou antes falar do desempenho da protagonista. 

O facto de uma única actriz fazer o papel de uma dúzia de personagens, com os seus maneirismos, sotaques e histórias pessoais, é no mínimo brilhante. Não conhecia o trabalho da Tatiana Maslany, mas fiquei fã. É chocante como nos esquecemos que é a mesma pessoa que está a desempenhar todos aqueles papéis. Felizmente os críticos concordam e a(s) sua(s) performance(s) valeram-lhe dois Critics’ Choice Television Awards, um TCA Awards e dois Canadian Screen Awards, assim como nomeações para os Globos de Ouro e os SAG Awards.

O elenco conta ainda com nomes conhecidos como Kevin Hanchard (The Strain), Maria Doyle Kennedy (Downton Abbey) e Michiel Huisman (Game of Thrones e Nashville). 
Apesar de ainda não haver data prevista para a transmissão da terceira temporada em Portugal, podem assistir às duas primeiras no canal MOV. Atenção! Antes de verem, aconselho-vos a verificarem a tabela de programação do canal porque pelo que percebi eles misturam as duas temporadas.

Já conheciam a série "Orphan Black"? Ficaram interessados?

4 comentários:

  1. Vi a primeira temporada, mas depois não continuei, apesar de ser awesome! Queria rever os primeiros episódios para entretanto começar os da segunda temporada. Mas neste momento não há tempo para isso :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale mesmo a pena ver, a história vai ficando cada vez mais interessante :)

      Eliminar
  2. R: Para mim a Battlefield é também a melhor, juntamente com a If You Say So (e a Cannonball). Adoro a IYSS, é tão intensa!

    ResponderEliminar
  3. Vi 4 episódios e desisti. Sei que é uma boa série mas não criei empatia com a protagonista.

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...