Pages

sexta-feira, 24 de abril de 2015

7 Dias, 7 Filmes de Terror


Por esta altura já devem ter percebido que sou um autêntico cinéfilo. Não sou esquisito quanto aos géneros. Tanto gosto de um drama que me faz soluçar (sim, os homens também choram), como de uma comédia que me dê uma dor de burro de tanto rir. No entanto, tenho um soft spot para os filmes de terror. Por volta dos nove/dez anos de idade, comecei a assistir a algumas cassetes (lembram-se delas?), que o meu pai coleccionava, e foi assim que descobri filmes como Alien - O 8.º Passageiro (1979), A Mosca (1986), e o Pesadelo em Elm Street (1984).

Não sei se é por já ter visto muita coisa, mas a verdade é que parece que já não se fazem bons filmes de terror. E olhem que sou uma pessoa bastante assustadiça, literalmente ouve-se um som brusco ou até mesmo a música de fundo e já sou capaz de lançar um "ah!". Porém, não é por me assustar uma ou duas vezes que define a qualidade de um filme deste tipo.

Tendo em conta que este género é muito subjectivo, e que o que me mete medo pode não vos assustar, fiz uma selecção de sete filmes que considero interessantes. Ainda hei de escrever um post sobre os clássicos de terror porque são sem dúvida melhores que os "actuais", mas falamos disso depois.

Nota IMDb: 7.1/10
Nota Ghostly Walker: 8/10
Tinha 10 anos quando ouvi falar do The Ring. Lembro-me como se fosse hoje. Estava no intervalo à espera que começasse a aula de Educação Física e uma amiga minha contou-nos que tinha visto um filme "super assustador". Fascinado com o enrredo, descobri que ia passar num daqueles canais de filmes e vi-o.

Inspirado no filme japonês Ring de 1998, The Ring (2002) conta a história da jornalista, Rachel (Naomi Watts), que decide investigar a misteriosa morte da sua sobrinha. Segundo amigos da vítima, a causa da fatalidade está relacionada com uma cassete de vídeo amaldiçoada. Qualquer pessoa que assista ao seu conteúdo recebe uma chamada telefónica a avisar-lhes que têm sete dias de vida.

O impacto do The Ring é notável por ser o primeiro remake americano de um clássico de terror japonês e por ter aberto o caminho para outros filmes como The GrudgeDark Water e Pulse.

Devido ao enorme sucesso de bilheteira (até 2013 era o 4º filme de terror mais visto de sempre, agora é o 6º), uma sequela foi lançada em 2005. Tenho estado há anos à espera que fizessem um terceiro, e parece que finalmente vai acontecer. Infelizmente vai ser um remake do remake, ou seja, uma treta. Realmente, passados 13 anos, é normal que nenhum dos actores dos primeiros dois filmes vá entrar neste. Ao que tudo indica, Rings sai nos Estados Unidos a 13 de Novembro.


Nota IMDb: 6.9/10
Nota Ghostly Walker: 7/10
Seis anos após a morte violenta do seu marido, Amelia (Essie Davis), ainda não conseguiu superar a sua perda. Sozinha, esforça-se para disciplinar Samuel (Noah Wiseman), o filho de seis anos que considera impossível de amar. Os sonhos de Samuel são atormentados por um monstro que, segundo ele, vai matá-lo e à sua mãe. Quando um livro assustador de histórias chamado The Babadook aparece à porta de casa, Samuel convence-se de que o Babadook é a criatura que o está a assombrar. Aos poucos Amelia começa a sentir que algo de sinistro está a acontecer. Talvez o seu filho estivesse certo.

Aclamado pela crítica, o filme australiano foi considerado um dos melhores de 2014, e um dos melhores filmes de terror de sempre, The Babadook é daqueles filmes que divide opiniões. No início tive as minhas dúvidas, mas quanto mais pensei e pesquisei factos sobre a história, apercebi-me o quão bom era.

Posso estar errado, mas pelo que entendi, e sem revelar demasiado, a entidade Babadook, é basicamente a forma física do sentimento de perda da mãe. A cinematografia é excelente, não existem aqueles clichés ultrapassados de terror e o desempenho da Essie Davis e do Noah Wiseman é simplesmente genial.


Nota IMDb: 6.4/10
Nota Ghostly Walker: 6/10
Dezasseis anos depois do seu lançamento (1999) e The Blair Witch Project continua no top 5 dos filmes mais vistos de sempre. Estava no quarto ano quando o vi pela primeira vez. Em bom português, borrei-me todo. 

Em Outubro de 1994 três estudantes de cinema viajam até Maryland (EUA) para filmarem um documentário sobre uma lenda urbana local, a Blair Witch. Em busca da bruxa, Heather Donahue, Joshua Leonard e Michael Williams, foram para a floresta fazer uma caminhada de dois dias, e nunca mais voltaram. Um ano depois o equipamento de vídeo dos estudantes é encontrado na floresta. As gravações foram compiladas e transformadas num filme. O Projecto de Blair Witch.

Sempre que digo que este é o filme de que mais tenho medo (até hoje), riem-se. "Aquilo não mostra nada", dizem-me. O que não entendem é que é aí que reside o medo, no desconhecido. O facto da Bruxa estar escondida do espectador durante o filme inteiro força um suspense quase irracional. Das três vezes que vi o filme passei o tempo inteiro assustado à espera que algo acontecesse. Além do mais, os cenários, a floresta e os sons criam uma atmosfera aterrorizante. 

O que é certo é que o filme teve um êxito esmagador de bilheteira, assim como entre os críticos que elogiaram o formato de "filme perdido".


Nota IMDb: 6.5/10
Nota Ghostly Walker: 7/10
Baseado no romance homónimo de Susan Hill, The Woman in Black, decorre na era Victoriana, em Inglaterra. 

Nesta história sobrenatural, Arthur Kipps (Daniel Radcliffe), um advogado viúvo, é enviado para uma aldeia remota para tratar dos papéis de um excêntrico, recém-falecido. Após a sua chegada, fica claro que toda a gente esconde um segredo mortal. Embora os habitantes da vila tentem evitar que Kipps descubra a verdade, cedo ele se apercebe de que a casa do seu cliente está assombrada pelo fantasma de uma mulher determinada a encontrar alguém que ela perdeu. Ninguém, nem mesmo as crianças, estão a salvo da sua vingança.

Este foi o primeiro trabalho do Radcliffe após terminar a saga Harry Potter. Confesso que fiquei um pouco relutante por saber que ele seria a personagem principal de um filme de terror. Até podia ser, mas a derradeira personagem em The Woman in Black, é a mansão. A casa é uma autêntica obra-prima de design de produção, está a cair aos bocados e repleta de peças típicas do período vitoriano que criam um ambiente sinistro. A componente sonora também está excelente. Em todos os momentos assustadores, a música intensifica o ambiente de tal forma que temos medo até da nossa própria sombra.


Nota IMDb: 6.8/10
Nota Ghostly Walker: 7/10
Dos produtores de Paranormal Activity e Insidious, e do escritor-director do Exorcism of Emily Rose, Sinister (2012), é simplesmente assustador.

Num resumo muito rápido, Ethan Hawke interpreta um escritor sobre crimes verídicos, que ao se mudar para a sua casa nova, descobre uma caixa misteriosa com filmes caseiros que acabam por mergulhar a sua família num autêntico pesadelo sobrenatural.

Sinceramente a única razão que me levou a ver este filme foi a participação do Ethan Hawke. Pensei, "bem se um actor desta qualidade aceitou entrar, é porque deve ser bom". Felizmente estava certo. Para terem noção passei grande parte do filme a cobrir a cara com as mãos. A entidade desta película é das mais aterrorizantes que já vi até hoje. Só de me lembrar até estou com medo de olhar para trás e ver alguma coisa.

A sequela vai ser lançada este Verão, a 21 de Agosto. Pelo que li, apenas uma das personagens da história original volta neste segundo projecto.




Nota IMDb: 6.8/10
Nota Ghostly Walker: 7/10
Insidious conta a história da família Lambert, os pais Josh (Patrick Wilson) e Renai (Rose Byrne), e os filhos, Dalton, Foster e a bebé Cali, que se muda para uma casa nova. Pouco tempo depois, Dalton é atraído até ao sótão e ao ver uma figura nas sombras, cai das escadas. No dia seguinte descobrem que Dalton está num coma inexplicável. A pior parte é que enquanto se encontra neste estado, o jovem torna-se numa espécie de recipiente para fantasmas de uma dimensão astral que querem habitar o seu corpo e deste modo, voltarem à vida.

O Objectivo deste filme é simples: assustar. É que começa logo nos créditos! Apesar de ter momentos mais parados, nas parte de mais acção, podem contar com momentos de puro terror. Confesso que a certa altura apanhei um susto tão grande que gritei. Acreditem que tenho perfeita noção que é vergonhoso. Por sorte nenhum vidro se partiu durante a duração deste filme. 

Além de contar com dois actores que adoro, o Patrick Wilson (The Conjuring) e a Rose Byrne (Bridesmaids), o Insidious (2010) teve um sucesso tal que já rendeu uma sequela em 2013, e uma prequela que vai estrear nos cinemas portugueses a 4 de Junho.


Nota IMDb: 6.1/10
Nota Ghostly Walker: 6/10
Por baixo das ruas de Paris existem quilómetros de catacumbas, o eterno lar de várias almas. Quando uma equipa de exploradores se aventura por uma parte desconhecida do labirinto de ossos, descobre o segredo que esta cidade dos mortos escondia. As Above So Below, é uma viagem à locura, atingindo a psique humana para revelar os demónios pessoais que eventualmente voltam para nos assombrar.

Lançado em Setembro do ano passado, é o filme mais recente desta lista de sete. Só o vi na semana passada e não sei se desilusão é a palavra certa para o descrever, visto que não estava à espera de muito. As Above So Below tem um ou outro momento assustador, mas nada que me vá deixar acordado à noite. A razão pela qual o incluí nesta lista é o facto de ser outro tipo de "filme perdido", como o Blair Witch, misturado com o Anjos e Demónios do Dan Brown.

Apesar da componente de terror não ser das melhores, a história é verdadeiramente interessante. Sofri quando as personagens passavam por espaços apertados, e fiquei preso ao ecrã quando tentavam desvendar... Não posso dizer mais sem revelar nada! Apenas digo que se forem claustrofóbicos não vejam este filme.


Já conheciam todos os filmes? Qual é o vosso filme de terror favorito? Algum dos sete?

6 comentários:

  1. Eu adoro filmes de terror, mas já não vejo esse estilo há muito tempo! Desses vi o The Ring (clássico, mesmo!), The Blair Witch Project e Insidious. Estes dois últimos achei uma verdadeira treta. O primeiro, como disseste, não mostra nada e em nenhum momento do filme me senti assustado. Ou vá, talvez no final, quando eu pensava que finalmente iria acontecer alguma coisa. De resto achei fraco. Compreendo o sucesso brutal do filme, mas se fosse hoje aposto que não teria metade do reconhecimento. Sobre o Insidious, achei-o meio vazio, sem história. Mas também não me lembro bem, já foi há imenso tempo!

    O último filme de terror que gostei de ver foi o The Counjuring. Acho que as opiniões também se dividiram bastante, mas eu gostei muito!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se foi por ser muito novo quando o vi a primeira vez, mas tenho mesmo medo do Blair Witch, é absurdo haha. Inicialmente tinha uma lista de 10 filmes e o Conjuring estava lá, mas como era um pouco semelhante ao Insidious resolvi optar pelo segundo.

      Eliminar
  2. Não tenho por hábito ver filmes de terror porque: 1. Tenho medo de os ver sozinha porque depois fico demasiado tempo num estado inconsciente e começam a aparecer "coisas" em casa. 2. Quando decido ver (com alguém claro) fico sempre desiludida por não acontecer "nada". Desses só vi o The Ring, o Blair Witch Project e o Woman in Black. Vou convencer alguém a ver os outros comigo haha :)

    Isa,
    http://isamirtilo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha namorada também só vê filmes de terror comigo pela mesma razão haha. Espero que gostes dos outros :)

      Eliminar
  3. Filmes de terror NÃO são, de todo, o meu género! Mas boa sorte :D

    ResponderEliminar
  4. AMO filmes de terror! Já assisti todos da lista, e adorei! Meu preferido é Sobrenatural :D

    m-eusvicios.blogspot.com.br

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...